terça-feira, 22 de junho de 2010

"Va te faire enculer, sale fils de pute!"

Sempre adorei o francês. Não foi a minha escolha no ciclo, mas só porque entre um e outro não podia escolher os dois e estava completamente enfeitiçada pelo inglês. E não me arrependo: o inglês dá jeito, é prático, leva-me longe e continuo a gostar muito.

Contudo, o inglês tem limitações que não tem o francês. Como fazer com que um chorrilho de asneiras pareça ter classe e estilo. Relembrei-me disso quando li a deliciosa frase acima, que em português significa só "vai tomar no cú, filho da puta imundo". O autor? Um cidadão de nome Nicolas Anelka (só sei que é jogador da selecção francesa), que dedicou estas carinhosas palavras ao treinador. Que, rezam as crónicas, tem maus fígados e por isso levou a mal, mas eu acho não devia: soa tão bem! E, conhecendo os franceses, na volta era um elogio (se fossem ingleses, na volta seria um convite). Seja como for, não me parece tão grave assim. Mas como os franceses sempre foram uma pedra no sapato dos portugueses em futebol, estou relativamente feliz pela confusão no meios dos "les bleues". E só tenho pena do Thierry Henry, que é um querido!


Já no Matrix uma das frases célebres é "I love the French language. I have sampled every language, French is my favourite - fantastic language, especially to curse with. Nom de Dieu de putain de bordel de merde de saloperies de connards d'enculé de ta mère. It's like wiping your arse with silk, I love it."



Ainda não experimentei limpar o rabo com seda (desconfio que não será muito eficiente), mas de certeza que ao menos será pelo menos como limpar o rabo a uma raça qualquer de papel ultra-chique, ultra-fino e com uma cuidadosa selecção de cores e feitios da Renova (ou então a Renova deverá investir em fazer papel para limpar o rabo a partir de seda). Isto porque não é hora de explorar o conceito de papel higiénico reciclado, que já é outra conversa.

Em todo o caso, um povo que ao praguejar parece ter estilo só pode ser bom! Mesmo ocasionalmente a futebol. O praguejar inglês não tem o mesmo "allure", porque "up yours, dirty son a bitch" parece uma porra qualquer ouvida num pub por um barrigudo branquela, queimado do sol, em tronco nú e com um grãzinho na asa (que, para quem conhece as cervejas amaricadas dos bifes, implica litradas de mijoca até bater a sério). Ou seja, é o equivalente a limpar o rabo com um tojeiro. Além de limpar mal, arranja.

Não sei como se traduz a famosa frase em alemão, mas deve soar qualquer coisa como "ramstein, ramstein, ramstein, filho da puta imundestein". Não será como um tojeiro, mas aproximar-se-á de papel de jornal. Arranha, mas se feito com técnica, cumpre com o dever de limpar.

Em italiano suponho que seja qualquer coisa como "va andati a enrrabarti, filho di putini imundini", que pode ser dito no mesmo tom de "vamos ali num instantini comer uns tremocini e ver portugalini a dar mais 7 golini à Coreia do nortini". Aqui já passamos para os guardanapos de papel (de marca branca): até limpam o rabo, mas não foi para isso que foram criados.

E em português? Bem, aí depende: se for dito a esbracejar por um alguém do norte, soa como uma sinfonia. Se for por lisboetas, é capaz de não sair natural. E praguejar tem que sair natural, senão sai uma merda. Ou seja, um nortenho a praguejar não precisa de papel higiénico para limpar rabo nenhum. Nem de seda. Quando muito, de uns lenços de papel para amparar uma lagrimita marota que possa escapar de ouvir tão afinado som.

E aqui fica a minha sincera homenagem à fina arte de praguejar. Ou à selecção francesa. Ou à fina arte de escrever disparates que não significam nada, só para encher chouriços. E já agora, mais um exemplo de bom futebol francês. Ou talvez não...

16 comentários:

NI disse...

Pois eu tive oito anos de francês e fiquei siderada com a frase. É que os professores não nos ensinaram o verbo enculer.

Andávamos nós naquela altura a inventar termos para dizer o que o verbo enculer resume na perfeição.

Não está certo, digo eu...mas, verdade seja dita, conseguimos escapar ao ouvido atento da "voando sobre um ninho de cucos" que era o cognome pomposo e amável da nossa professora de francês.

:)

Paula disse...

Por acaso não so nada fã do francês... mas essa é a minha opinião... até porque a sei falar mas só a uso quando necessito mesmo... e graças a Deus precisei mais de falar Holandês que Francês... MERCI À DIEU!!!!

GATA disse...

Se não me falha a memória, em alemão é qualquer coisa como "fick dich, schmutzig Hurensohn" :-)

PS: não gosto da saga Matrix, mas o querido Lambert Wilson é um 'must'! :-)

GATA disse...

ADENDA: é "praga" da Irlanda o que está a acontecer à Selecção de França... lembras-te da 'mãozinha' do quiducho do Thierry Henry??? Ah pois...

Eu Mesma! disse...

Olha olha...
Se for por lisboetas, é capaz de não sair natural....

deves...
até parece que aqui pessoal de baixo não sabe berrar, gritar e espernear quando é preciso...

:)

Abobrinha disse...

Ni

8 anos de francês? Credo! E não tiveste nunca vontade de espetar com um tiro nos miolos? Eu gosto, mas 8 anos é um bocado demais!

Enculer é um excelente verbo! E, além de soar melhor que enrabar, diz perfeitamente ao que vai (ou, no caso, onde).

Abobrinha disse...

Paula

Ui, holandês é que é exótico! Mas não sei se em termos de insultos chega ao francês. Em todo o caso, como não há dinamarqueses nem holandeses feios, estava disposta a umas explicações...

Abobrinha disse...

Gata

Fick dich é "vai-te foder". Não é específico no sítio. Mas estou a ver que te ensinaram coisas que a mim não ensinaram! Ou então andei a faltar às aulas erradas.

Por o fofinho do Thierry deve estar a pensar que não teria sido má ideia ter cortado a mão na hora certa. E os irlandeses devem estar a esta hora a rebolar-se com o riso!

Abobrinha disse...

Eu Mesma

Um lisboeta a praguejar soa bem, mas não é a mesma coisa. É que simplesmente não é a mesma coisa, acredita!

JP disse...

Abobrinha
Não percebo puto de italiano mas o "va andati a enrrabarti, filho di putini imundini" abriu-me o apetite e deixou-me cheio de curiosidade. :-)))
Beijocas

Abobrinha disse...

JP

Com apetite? Para os tremocini? HAHA!!! Diz lá se a versão alemã também não está um mimo! E ainda dizem que o alemão é uma língua difícil!

Ritchie disse...

Ai pah, ri-me que nem um perdido do princípio ao fim do post.
Limpar a merde com papel de seda... sim a merde... é muito mais chique né?
Leio correctamente em francês, para ninguém colocar defeito na pronuncia... mas só ler... não falo rigorosamente nada de jeito nem tão pouco tenho a capacidade de perceber grande coisa... mas ainda hoje recordo, à saída de um dia de aulas do sétimo ano, o dia em que a avó do Tó o veio buscar e ele disse: "avó, avó! Aprendemos a dizer avô e avó em francês" ao que ela responde "ai filho, então diz lá avô" ele respondeu todo orgulhoso "grand pere" e avó? como é que é? "grand mere" e a mulher tascou-lhe um valente estaladão e nem o deixou explicar... ainda hoje nos rimos a pensar nessa confusão de compreensão de línguas por parte da avó do Tó... chamar assim grande merda à senhora (hihihihihihihihihi) lindo!

Francis disse...

pumpkin, ao tempo que não vinha aqui...post brilhante pá. ahahahahahahahahahahahahahahah

wholesale Jimmy Handbags disse...

It is interesting, I will go back to read them again.
I am just trying out your new predictions platform.

CINE31 disse...

Um das cenas mais divertidas do Matrix Reloaded :-D

The one you know disse...

Ainda me lembro da minha professora de francês a mandar calar a classe:
- Tesez vous!

Que coisa mais sensual que aquilo era.

Parabens pela posta, engraçadita sim senhor.