segunda-feira, 8 de junho de 2009

De vez em quando dá jeito ter um namorado

Para quem não sabe, par mim ir às compras ao IKEA de Matosinhos tem muitas etapas.

A primeira etapa consiste em percorrer os corredores tipo labirinto, de lápis minúsculo na mão, olhar para todos os lados e conter-se para não se sentir mal ao olhar para algumas combinações de cores. Faz-se uma lista do que se quer, de quanto custa, da referência e localização. Numa pequena nota, hoje na hora "H" perdi a porra da lista. Mas isto era um à-parte.

A segunda etapa consiste em atravessar de olhos tanto quanto possível vendados a secção de cozinha, porque a tentação de açambarcar tupperwares, caixinhas e gadgets de cozinha vários. A Laurinda Alves disse em campanha eleitoral que uma mulher não resiste a uma feira. Ora eu resisto a uma feira (detesto-as para falar verdade), mas a utensílios de cozinha não. E por esta altura há leitores a fazer um sorriso maldoso e a dizer... espremedor de citrinos!!!

A terceira etapa consiste em ver quais dos tecidos a metro é mais feio.

A quarta etapa requer alguma coragem e implica fugir da zona das velas de cheiro, que me agoniam.

Ora até aqui um namorado tem uma função: estorvar! Ah, e tal, quando é que vamos embora? Mas a quinta etapa é mais complicada!

Ora a quinta etapa implica sacar da lista e... ... ooops, perdi a lista! Não faz mal, porque o artigo está mesmo à minha frente. E é aí que eu penso: preciso de um namorado! É que eu hoje trouxe para casa não um nem dois mas três (!!!) volumes de mais ou menos 30 kg cada.

Ora bem, etapa 5.a... arrastar o primeiro volume para o carrinho. Pois... além de tudo sou baixinha e dois daqueles tinham que estar altos!O primeiro, graças a manobras com o carrinho ainda foi. E os outros? E eis senão quando... uma gaja me empresta o namorado dela, que me coloca os outros dois no carrinho, em cima do primeiro! As gajas às vezes são fixes!

O carrinho até empenou com o peso! Ora prossegue a Abobrinha para a caixa! E pensa na etapa 5.b.

Ora a etapa 5.b consiste em depositar em segurança os volumes (que recordo são três e pesando mais ou menos 30 kg cada) na viatura automóvel que já me transportou vai fazer dois anos o sofá com a mesma proveniência. Toca de rebater os bancos e olhar em volta. E não há namorados alheios! Nem gajas com vocação para body-builders... pena!

Aqui a coisa até é fácil graças à superior inteligência da Abobrinha e sua habilidade em fazer deslizar caixas de cartão umas por cima das outras, conjugado com o movimento para trás e para a frente do carrinho de transporte. E tudo sem rebentar com a mala da carrinha nem a pintura do pára-choques! Pronto, não precisei de namorado nenhum até agora. OK, o da outra deu jeito!

Posto isto, segue-se a viagem para casa. Nota mental: para a próxima pôr a merda das caixas do outro lado, porque isto de esta a ser cutucada nas costas pelas caixas não está com nada! Felizmente não sou de travagens bruscas!

E eis-me chegada a casa. Um namorado dava jeito para tirar aquele peso todo de dentro do carro! Mas lá me ajeito e consigo tirar tudo e encostar à parede sem riscar a pintura (acho eu, mas estava escuro e não consegui ver bem). Ou seja, não preciso de namorado de novo!

Etapa 7... arrastar aquela coisa até casa! Mas hoje não! Hoje ficam na garagem que estão bem! Desconfio que vou ter que tirar tabuinha a tabuinha e subir as escadas 50 vezes com aquilo. Ora bem, mais uma vez não só não preciso de namorado como também ganho de bónus um rabo firme e hirto como uma barra de ferro!

Etapa 8 vai consistir em montar aquela coisa. E eu gosto de montar! Oooooooooops... posso ter induzido os leitores a pensar que para isso precisaria de um namorado, mas não: eu gosto de montar os meus móveis sozinha. Assim posso praguejar mais à vontade! E se sobrar peças, só eu é que fico a saber!

Moral da história: só precisaria de um namorado para burro de carga! E não é para isso mesmo que eles servem? Mas eu... eu nem para isso preciso deles! São assim tão inúteis!

42 comentários:

Tilt disse...

Pormenor: a dois tem sempre mais piada.

Storyteller disse...

Eu sou adepta do desmanchar as caixas cá em baixo e fazer a viagem com as peças na mão 327 vezes.
E também adoro montar os móveis sozinha, sem ter à minha volta gente a dar palpites!

Abobrinha disse...

Tilt

Depende dos dois. Mas aceitei há muito que estou sozinha e que não posso contar com outra pessoa que não eu mesma para muita coisa. Compras no IKEA incluída. Felizmente tenho uma rede de amigos que me vão quebrando a solidão.

Abobrinha disse...

Storyteller

Oié!! Às vezes muita gente só faz mesmo monte!

Beijoca!

Bruxinha disse...

eheheheh

Eu também por norma gosto de fazer tudo sozinha, a não ser quando as peças são muito pesadas :( Mas aí ligo logo para o meu pai, que vai de bom grado e nem reclama eheheh

Jinhos

Catwoman disse...

Concordo que podemos fazer sozinhas mas realmente a dois é mais divertido.. principalmente montar os moveis sempre a ver quem tem razão :)mas olha á falta de um.. tambem me desenrasco..

Beijinhos :)

Pipoca disse...

O milagre acontece quando, depois de tudo montado, sobra um parafuso e uma gaveta não fecha... até hoje!

Pétala disse...

Eu tenho um marido e às vezes também me dava jeito ter um namorado!!!

JoKaS

francis disse...

eu quando vou sou um mero acompanhante, por isso não preciso saber nada, deixo-me ir.

rds disse...

rsrsrsrsr:DD adoro-te, quando escreves assim !

JPVale disse...

Abo!

Tens razão!
Claro que não. Tu não precisas de namorado, que isso é muito abichanado, precisas é dum gajo.
;)

Bons feriados,
beijinhos

Lança disse...

IRRA!!! Fui lá uma vez e chegou! Foi só pena o tempo que demorei a encontrar a... porta de saída! (não foi fácil!) AH AH AH!!!

inwhitelight disse...

Eu quando vou ao IKEA de matosinhos a etapa mais dolorosa é convencer o meu namorado a sair lá de dentro. É que o bicho decorador cá de casa é ele, que eu não ligo muito a estas coisas e ele quer ver tudo e comprar tudo e eu aborreço-me de estar lá dentro.
Mas que ele dá um jeitaço a carregar e a montar as coisas dá!

Dri Viaro disse...

Oi, passei pra conhecer seu blog, e desejar otimo feriado
bjs


aguardo sua visita :D

Abobrinha disse...

Bruxinha

Pois, o peso das peças é que é um problema. Mas olha que mesmo assim eu geralmente desenrasco-me! Ainda hoje estou por saber como é que consegui meter em casa algumas peças que trouxe do IKEA. E arrastar um sofá de um lado para o outro da casa... e de volta ao sítio original! Eu sou uma super-mulher de vez em quando!

(Falhando tudo, há o papá ou o cunhado)

Abobrinha disse...

Catwoman

Montar os móveis a dois não me parece muito divertido. Dito isto, também não tive opção! Em todo o caso, diverti-me!

Abobrinha disse...

Pipoca

... pois... so far so good! Digo eu!

Abobrinha disse...

Pétala

Pois, mas um namorado fortazão, que é para poder carregar mais coisas, não? E para emprestar às amigas para pequenas tarefas e reparações. E outras funções mais... mais... mais coisas!

Abobrinha disse...

Francis

Por aí se vê que o teu casamento não tem por onde falhar!

Abobrinha disse...

Raio de sol

Também eu! Prefiro estes posts àqueles em que destilo a minha alma e as minhas dores. Obrigada por me continuares a acompanhar!

Abobrinha disse...

JP

Eu preciso mesmo é de um escravo! Mas se ele souber e gostar de passar a ferro, caso com ele imediatamente! E não é por interesse: é amor mesmo!

Abobrinha disse...

Lança

Tem calma, moço! O IKEA comigo não foi um amor à primeira vista. Mas agora até nos damos bem e temos uma relação que funciona para os dois.

Mas concordo que encontrar a saída (ou a entrada de volta) não é propriamente fácil! Sobretudo a quem tem um sentido de orientação tão (ahem) apurado como o meu!

Abobrinha disse...

Inthewhitelight

... e tu achas isso normal?

Abobrinha disse...

Dri Viaro

Eu até passaria, não fosse ter reparado que não leste sequer o que eu escrevi e que deixaste a mesmíssima mensagem numa série de blogues que eu leio. Isso é SPAM.

kandarian disse...

"souber e gostar de passar a ferro, caso com ele imediatamente! E não é por interesse: é amor mesmo!"

lol, sim sim...muito amor.. nada interesseira :P

Asa Que Não Voa disse...

Eu sou apologista de antes só que mal acompanhada... então... muitas vezes socorro-me do pai.. outras faço eu... resultado: umas valentes dores de costas no dia seguinte.
Já o IKEA.... sinceramente fico zonza sempre que lá entro, e se fico com alguma coisa na ideia e quero voltar ao local onde a vi... não consigo....

JPVale disse...

Abo!

Gostaria de ser escravo… não de passar a ferro mas do amor.
Ui! Esta até a mim me doeu.
Lol

Desenrasco-me na passagem a ferro, mas não sou escravo de ninguém. Quando o faço, faço-o com todo o gosto.

Beijocas grandes
:)

Eu Mesma! disse...

Confesso abobrinha que a minha companhia de eleição para o IKEA é mesmo o pai.....

dá sempre umas optimas ideias... carregas os pesos de 30 quilos e ...

não reclama!

móveis novos miuda?

LH disse...

Gostei particularmente daquela parte "Nesta altura um namorado dava jeito!".
É adepta de part-times? :P

Um beijinho.

Abobrinha disse...

Kandarian

E não... não sou nada interesse! O meu único interesse é no amor! E eu acho que seria um acto de amor passar-me a ferro e carregar-me os móveis... o que talvez explique porque é que eu ainda estou solteira!

Abobrinha disse...

Asa que não voa

Dores de costas têm uma vantagem: uma excelente desculpa para uma massagem!

Para te lembrares de onde viste o que gostaste no IKEA, eles têm aqueles papeluchos (que eu perdi) para anotar. Também se pode simplesmente ver no catálogo e ir à procura (com todas as desvantagens que tem casar por fotografia).

Mas tenho que confessar que as minhas primeiras visitas ao IKEA acabavam comigo ao pé de um ataque de nervos. Daí que vou algumas vezes passear só, ver só por ver desinteressadamente e só depois compro. Também já me aconteceu gostar de algo no IKEA, mas achar de muito fraca qualidade. Vai daí... mandei fazer parecido em madeira maciça! Ora toma, Sr. IKEA!

Abobrinha disse...

JP

Vá, como é, passas a ferro ou não, pá? E não disseste como és com pequenas reparações domésticas e a carregar pesos. Já agora, como é que te safas a cozinhar? E ganhas para me manter a dondoca ou a escrevedora de blogues em full-time?

... e isto era para quando começavas a pensar que eu era fácil de contentar! ;-)

Abobrinha disse...

Eu Mesma

"Móveis novos"... estou a ter um problema com o plural desse "verbo", mas já vais compreender com o próximo post.

Quanto ao meu pai, nunca entrou no IKEA. Na realidade, uma vez fui com ele jantar a um centro comercial e achei... estranho! Não era o sítio onde estava habituada a jantar com ele! Curiosamente, acho que foi por causa de uma mudança de casa, em que ele me ajudou com coisas tão pesadas como arrastar coisas e outras como varrer o chão e limpar os vidros. Grande pai!

Abobrinha disse...

LH

Bem, em termos de namoros não sou nada adepta de part-times. Pena alguns dos indivíduos com quem me envolvi acharem que seria boa ideia...

Mas isso agora não interessa nada: afinal, não precisei de namorado nenhum para a minha aventura. Sou IKEA-suficiente!

Asa Que Não Voa disse...

E o que eu gosto de massagens.. faço massagens com regularidade, faz-me bem ao espírito e não só, mas uma mão pesada nas costas... mas acho que nem assim recuperava, é caruncho mesmo..

Abobrinha disse...

Asa

Pois eu tenho que arranjar quem me faça massagens em condições. É engraçado que das poucas vezes que fiz, não sei porquê fiquei sempre um pouco tensa.

Quanto ao caruncho, deixa lá: os móveis com um niquinho de caruncho têm sempre mais carácter! Excepto se forem do IKEA, porque como não são maciços o caruncho significaria se que estariam a esboroar mesmo! Ou seja, és um móvel maciço de excelente qualidade e com carácter!

Asa Que Não Voa disse...

Moça,

Essa do móvel maciço deixou-me preocupada.... eu assim.. grande e forte... nop...

Eu faço massagem numa estética, não tenho mão masculina apta para.. e sabes... entro lá muito tensa, mas quando termina estou a dormir quase sempre, e sai de lá leve.. o pior é que dura pouco...

inwhitelight disse...

Se acho normal o quê? Ser ele o doido por IKEA. Eu acho.... coisa aborrecida, tantos corredores com tanta tralha lá dentro... ainda agora me falou no IKEA... chiça, eu só gosto quando vamos a sair e posso comer um cachorro.
Pronto também gosto das coisinhas novas que ele escolhe =)

Abobrinha disse...

Asa

Um móvel maciço não é um movel "gordo": é um móvel de madeira a sério e não daquela mariquice de contraplacado revestido a finas folhas de madeira ou equivalente. É sinal de "kólidade"!

Abobrinha disse...

Inthewhitelight

Vá lá, se funciona para vocês os dois, tudo bem! Mas é esquisito!

Asa Que Não Voa disse...

Ok Abobrinha, estou convencida, eu sou uma robilia de Kólidade!

;-)
beijinho

Abobrinha disse...

Asa

Beijoca!!!