segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Gosto de segundas-feiras...

... sabem a recomeços...

45 comentários:

Storyteller disse...

Pronto! Vou bater-te!
Imaginas o trânsito que está em Lisboa? Imaginas?
Pois! Isto está de doidos!
Demorei meia-hora a fazer um trajecto que faço em 7 minutos!

NI disse...

Gosto de recomeços...

:)

Ana disse...

Esto solidária com a Storyteller. Para além de ser doloroso acordar cedo depois de 2 dias de ronha completa, o trânsito em Lisboa tira a boa disposição a qualquer um! Sabes o que era um excelente recomeço? Era ser sexta-feira outra vez, isso é que era!!

:-)

Eu Mesma! disse...

Gostas de segundas feiras?????

louca... agora está louca....
eu odeio segundas feiras....

Abobrinha disse...

Storyteller

Ou saías de casa mais cedo ou ias de transporte público. Isto era suposto ser um post de esperança, seu mau feitio!

Abobrinha disse...

Ni

Só tu é que me compreendes!

Abobrinha disse...

Ana

Bom, bom era um bocadinho de sol, que isto já chateia! Mas sim, eu compreendo que vocês por esses lados fiquem mais fulos com o trânsito que o comum dos mortais no resto do país. Mas pronto, são daquelas inevitabilidades da vida, não vale a pena perder a paciência nem a compostura por causa disso.

Boa segunda-feira!

Abobrinha disse...

Eu Mesma

Que parte do "eu sou louca" é que não é óbvio. Mas é a realidade: gosto de segundas-feiras. Também gosto de sextas à noite, como é óbvio!

Eu Mesma! disse...

para mim as sextas à noite são de facto optimas para ficar a ronhar no sofa...

Gosto... disse...

Ninguém querida.....mas ninguém gosta das segundas...

ARGHHHHH.......

Cortem-me os pulsos com uma folha de papel, sff... :D

BEIJOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

asaquenaovoa disse...

Olá Abobrinha!

Eu prefiro as 6as feiras :P, mas uma segunda-feira, com sol, ainda que cheia de trânsito, é simplesmente fantástico!

beijinho e bem vinda

Joaninha disse...

É nestes momentos que fico preocupada contigo...Mas pronto, cada gosta do que gosta e o gosto não se discute...


Beijos linda

Inês disse...

Ah eu amo segundas feiras... quando são feriado... ou quando estou de férias...

as velas ardem ate ao fim disse...

Odeio 2ªas feiras!

bjo

Bloguótico disse...

Eu gosto especialmente das terças-feiras! Significa que a segunda-feira já passou e ainda demora uns dias para que a tortura desse dia... recomece, já que falas em recomeços! LOOOL

Abobrinha disse...

Joaninha

Eu sou um motivo constante de preocupação! HAHA!! Beijoca, linda!

Abobrinha disse...

Inês

Também gosto dessas, mas essas sabem a fim de semana prolongado! ;-)

Abobrinha disse...

Velas

É um ponto de vista. Mas esta segunda-feira soube-me particularmente a recomeço...

Abobrinha disse...

Blogótico

... bem, desde que haja recomeços, tá-se! Essa é a parte crítica!

Caramelo disse...

Eu gosto de qualquer dia da semana,quando correm bem...Mas gosto muito mais de recomeços!...
Boa semana para ti,Abobrinha!

Abobrinha disse...

Caramelo

Eu gosto que as coisas corram bem. Recomeços são bons, mas às vezes cansam. Acho que a parte boa é mesmo ter capacidade para recomeçar...

francis disse...

eu cá gramo...sou do contra.

Bacardi disse...

Sim, recomeços são bons. Excepto quando se trata do "recomeço a acordar cedo após um fim de semana a acordar à hora do lanche", do "recomeço a ter de ir trabalhar" e do "recomeço a ter de ir para casa cedo senão amanhã não acordo a horas".

Miguel disse...

Bem... é um recomeço. Por algum lado e de alguma maneira tem de ser...

valetorno disse...

knock knock
Hello it's already thursday
give us a break
dedicado
Valetorno

Tinta Permanente disse...

Eu sei que sou suupeita, mas tb gosto das segundas... é que à sexta já estou de rastos...

Paula disse...

E (re)começos são sempre positivos...

Beijocas e Bom FDS***

Abobrinha disse...

Miguel

Não está fácil...

Abobrinha disse...

Valetorno

Não estou mesmo com tempo ou disposição para escrever mais que isto...

Abobrinha disse...

Tinta

Et voilá! Ainda bem que não trabalhas ao fim de semana (nem eu).

Abobrinha disse...

Paula

Beijinhos. E amanhã é segunda-feira de novo...

Miguel disse...

Às vezes faz falta alguém que nos puxe para o caminho certo...

Abobrinha disse...

Miguel

... estou sozinha. Não contando com os pais, que estarão sempre do meu lado mas não me podem dar tudo (e dão muito), estou sozinha. Sou eu que tenho que me empurrar para o caminho certo e estou dolorosamente consciente disso. Há amigos, mais amigos, mais ou menos amigos, com mais e menos tempo, mas em última análise depende tudo de mim (como sempre dependeu). E isso não é necessariamente mau... mas leva tempo. O tempo cura muita coisa. E estou cada vez a demorar menos tempo para curar muita coisa.

Miguel disse...

É certo que depende sempre de nós!
Eu não sei isso?
Caramba, sei isso, infelizmente, bem demais!!!!

Mas há maneiras de minimizar o sofrimento. E é isso que devemos ver também... mesmo que por vezes nem apeteça!

O tempo não cura tudo.
Eu também pensava que sim, mas não cura. Diminui o sofrimento mas não o apaga, nem afasta a tristeza.
Isso tem de ser tratado de outra maneira. E é aí que é bom caminhar ao lado de alguém. Ao lado! Nem em cima, nem em baixo... é mesmo ao lado!

Depois chegará o dia em que a vida volta a acontecer... mas porque tu também fazes por isso!

* gℓê Scaliizz disse...

Olha que pensando assim, é até agradavel! :D

Rui disse...

Falar em recomeços depois de ainda estar a pensar em 5 toques rectais... Francamente não gosto de recomeços!
:)

Abobrinha disse...

Miguel

O tempo cura quase tudo. Mas sobretudo há que afastarmo-nos de ideias e pessoas que nos façam infelizes.

Abobrinha disse...

Glê

Eu sou uma optimista ;-)

Abobrinha disse...

Rui

FINALMENTE alguém descobriu o significado da sequência de posts!

... o que não deixa de ser curioso, porque eu mesma ainda não tinha chegado lá...

Miguel disse...

Abobrinha, Abobrinha... Senta-te e espera que o tempo cure (o que quer que seja)...

Não cura!
Atenua a tua dor até u certo ponto mas chega aí e o seu trabalho está feito. Depois, ou fazes tu por curar o que te afecta ou nunca mais isso sairá da tua cabeça...

Mas, enfim, isto sou eu a pensar! Mas tu já sabes que não sou de cá...

;)

Abobrinha disse...

Miguel

Esperar até que a crise passe não resolve nada: é claro que tenho que tocar o barco para a frente. Isso e o tempo curam, porque o tempo não pára e eu também não posso parar e pensar no que está para trás, fazendo do passado presente e futuro.

Miguel disse...

Eu só não concordo com essa frase de "o tempo tudo cura"... É uma frase feita que, de tanto repetida, acaba por andar na boca de toda a gente como uma verdade e uma maneira de solucionar estes problemas.

Discorco completamente. Não acho que seja verdade, a não ser quando o sentimenteo não é forte e enraizado...

Abobrinha disse...

Miguel

Quando é preciso o tempo para curar um sentimento ou a pessoa literalmente morreu e não há nada a fazer ou desapareceu da nossa vida voluntariamente (por sacanice ou outro tipo de motivo, que pode mesmo ser alguma nobreza de espírito). Um sentimento para ser verdadeiro tem que ter dois lados, não um. Quando não tem, tem que ser arrancado como um dente cariado. E a dor desse dente arrancado passa com o tempo, porque o dente já lá não está. Se continua lá só causa mais dor e mais podridão.

A vida é para a frente, não para trás. Para trás há memórias: boas e más, mas só memórias... e não se vive de memórias...

Miguel disse...

Abobrinha, eu concordo com isso... não concordo é com a frase...

Tu não arrancas o que sentes por alguém, quando é um sentimento poderoso como, por exemplo, o Amor, assim... Pimba, já está!!!

É um processo que leva tempo (daí o tempo ajudar a diminuir a dor...) e requer paciência... Mas só te leva até a um determinado ponto.

Vou usar este exemplo... (que acho que já tenho 3 ou 4 mestrados nisto!!!)
Num desgosto amoroso, o sentimento de perda, de abandono, a saudade, (quase sempre) a dor de veres ou saberes que a pessoa que Amas está nos braços de outra toma conta de ti. Absorve-te completamente. Sentes-te traida, mesmo quando não houve essa traição (fisica).
Nesta fase, por muito que estejam contigo, que te ajudem, que façam companhia, a dor não desaparece facilmente. É o tempo que trabalha aqui.
Dimunui a dor, a magoa... até chegares a uma dor mais suave mas dolorosa na mesma. Uma dor triste. Não é facil tirares essa pessoa da cabeça (e falo sempre no caso em que Amas a pessoa).
Nesse patamar, o tempo não faz mais nada. Estás pronta para iniciar uma nova etapa. Começas a olhar para as pessoas e já consegues ver para além de pessoas: eventuais potenciais novas relações.
Se nunca conseguires uma relação satisfatória, nunca largarás essa mágoa. Nunca expulsarás essa pessoa do teu coração... nunca a esquecerás. Não interessa quanto tempo passe. O tempo já não tem peso aqui.
Só o farás no dia em que outra o ocupar, te encher de alegria, te fizer acordar com um sorriso... Aqui, sim, largas o passado realmente...

Abobrinha disse...

Miguel

Eu não posso depender de uma outra pessoa para preencher o vazio que outra deixou. Senão salto de vazio em vazio. A verdadeira adaptação é aprender a eu mesma preencher o meu vazio e é nessa direcção que eu caminho todos os dias. Eu não sou metade de nada: eu sou inteira e se alguém quiser o prazer da minha companhia, desde que venha por bem é benvindo. Senão caminho sozinha, acompanhada só por mim...

Em relação a algumas traições, para mim por vezes o amor dá lugar a um profundo ódio ou só mesmo indiferença. Porque eu não gosto nem mereço que amigos ou namorados me traiam. Isso não se faz.