domingo, 25 de abril de 2010

Nova maioridade

Quando fiz 18 anos listei a quantidade de coisas que podia fazer: ver filmes para maiores de 18, ser presa, tirar carta, fazer toda uma série de totozisses sem que tivesse que dar satisfações aos meus pais.

De acordo com os meus caríssimos leitores, hoje será o meu 36º aniversário. Como dizia o outro, é só fazer as contas: 18*2=36. Esse como primeiro-ministro deu-se mal, mas como o que quer que ele faça agora (não sei quê de refugiados) conheceu a Angelina Jolie, o que só pode ser um sinal de que está bem na vida.

Moral da história: hoje supostamente chego à dupla maioridade e estou a tentar entender o que isso quer dizer. E se é tão marcante como a primeira... ou se é mais! Ora vamos às contas!

Aos 18 anos tinha a vida inteira pela frente. A minha vida era praticamente virgem, ainda a começar. Aberta para todos os sucessos... e todos os erros. Na dupla maioridade apanho com todos os erros que cometi nestes últimos 18 anos e tenho que lidar com eles. Apanho também com os sucessos e consequências de decisões que tomei e tenho que relativizar, pôr em perspectiva uns e outros e tentar fazer sentido de tudo o que me aconteceu.

Aos 18 anos era só filha. Aos 36 sinto que também devia ser mãe, mas contra os meus desejos isso não aconteceu. Se aos 18 anos pensei que algures nos próximos 18 deveria ser mãe, na nova maioridade temo que seja impossível. E não há retorno dessa decisão ou capricho do tempo e das circunstâncias e pessoas que se cruzaram comigo durante este tempo. E eu não gosto de coisas irreversíveis nem impostas.

Aos 18 anos não tinha uma única mazela física digna de nota que não aquelas doenças de criança que ajudam o sistema imunitário a crescer e ser gente (e felizmente toxoplasmose, o que dará jeito se eu um dia engravidar). Nem acne eu tive! Aos 36 juntei uma coleçãozinha interessante de porcarias que preferia não saber o nome. Felizmente nada que mate (pelo menos a curto e médio prazo), mas sei perfeitamente que daqui em diante é sempre a descer. E tenho que viver com isso e cuidar-me. Aprendi o que significava "até ao fim da vida". Em todo o caso, para que conste, a minha pele não "evoluiu" muito em 18 anos, o que é muito bom!

Em 18 anos o mundo mudou muito. A minha família mudou imenso: tive perdas dolorosas e acrescentos que me fazem chorar de alegria. A vida é feita de mudanças. Boas e más.

Nos meus primeiros 18 anos andei de carro sempre ao lado do condutor ou atrás. Assim que pude, tirei carta e comecei a fazer quilómetros e quilómetros, já com o cinto de segurança obrigatório. E servi de taxi algumas vezes, tendo a perfeita consciência disso. Conduzi por prazer, necessidade e escape. O carro será sempre uma parte importante na minha vida. Não vou falar do preço dos combustíveis para não ficar mal disposta.

Nos meus primeiros 18 anos andei uma vez de avião e saí do país uma vez. Nos meus segundos 18 anos deixei uma pegada de carbono importante de avião, saí várias vezes do país, sendo que só precisei do passaporte duas vezes, porque as fronteiras que o exigiam caíram pouco depois do meu 18º aniversário! Usei ainda outras moedas, sendo que as duas que tinha usado antes da minha primeira maioridade se extinguiram para dar origem a uma só. E já não precisei de cruzar a fronteira para ir ao El Corte Ingles... não tenho é a certeza se isso foi uma coisa boa! Tenciono viajar bastante nos meus próximos 18 anos, tanto no nosso país como para os outros.

Nos meus primeiros 18 anos aprendi duas línguas estrangeiras. Nos meus segundos 18 anos aprendi e praticamente esqueci uma terceira, que todos os dias quero retomar e nunca é dia. Também fingi que sabia falar italiano, o que resultou surpreendentemente bem.

Nos meus primeiros 18 anos preocupei-me em chegar ao ponto de pagar contas e ser independente. Nos segundos 18 anos a minha preocupação é não perder a inocência e despreocupação que devia ter tido nos meus primeiros 18 anos, apesar das preocupações diárias.

Com estes 18 anos em dobro mantenho uma coisa: o optimismo apesar das pancadas que a vida me deu. E a vontade de olhar para trás aos 54 anos e sorrir com a minha sorte em mais 18 anos de vida. E nos 18 que se seguirem. E eventualmente nos 18 seguintes. É que o 18 é um número primo...

Nos meus primeiros 18 anos não sabia bem quem era. Hoje já tenho uma ideia melhor, mas ainda não acabei a minha aventura de auto-conhecimento.

38 comentários:

Dorushka disse...

Muitos parabéns!
(Nota: 36+18=54)

Abobrinha disse...

Dorushka

Obrigada! Corrigi porque realmente não me enganei a fazer as contas: embrulhei-me com as teclas e acabei por escrever mal e não me dar conta quando li de novo.

Dorushka disse...

De nada! Há erros que se cometem e nem se dá por eles, é por isso que existe a chamada revisão de texto!

Ana disse...

Parabéns!!

Beijinhos

Bacardi disse...

EEEEEEHHHHHHH esqueceste-te de muitas outras coisas:

- Quando tinhas 18 anos, não eras casada comigo. Aliás, seria muito estranho se fosses, porque nessa altura a minha idade nem atingia os 2 dígitos;
- Aos 18 anos não acreditavas no Pai Natal. Agora acreditas, e também acreditas que ele nasceu para ser enchido de chumbo;
- Aos 18 anos, dizias disparates aos quais ninguém ligava. Agora dizes disparates no teu blog, e tens uma legião de fãs que te acompanham e completam os teus disparates com outros da sua autoria.

Resumindo e baralhando, aos 54 tudo aponta para que sejas famosa. Ou por o teu blog se tornar mais visitado que o site do correio da manhã, ou por irmos os presos por pai-natal-icidio.

Coraline disse...

Abobrinha

Muitos Parabéns!!!

Beijinhos :)

Nato disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Ultima Thule disse...

Muitos Parabéns!
Como seriam os posts da Abobrinha se houvesse blogs 18 anos atrás?

Abobrinha disse...

Ana e Coraline

Obrigada às duas.

Abobrinha disse...

Bacardi

Só tu para pôr tudo em perspectiva! Inclusive a minha senioridade em relação a ti. Respeitinho, ó júnior ;-)

Em relação aos 18 anos, tens toda a razão: eu já dizia muitos disparates, mas possivelmente ainda tinha a ilusão de que não o seriam! Mas aprecio muito os teus disparates! Quanto ao Pai Natal, não tendo ainda instintos homicidas contra tão famosa ou infame instituição, já não o gramava muito!

Quanto aos próximos 18 anos... vou fazê-los render, carago!

Eu Mesma! disse...

Minha linda...
Muitos mas muitos muitos parabens!

Que o dia tenha sido bem melhor do que aos 18 anos...

Jinhos!
:)

Abobrinha disse...

Ultima Thule

Boa questão! Merecia um post, e na volta um dia destes escrevo-o. Aliás, eu devia escrever mais, que ando-me a baldar um bocado.

Ora bem, nesta altura seriam esperançosos e tensos ao mesmo tempo: estava a preparar-me para fazer provas para ver se entrava na Faculdade, tinha escolhido o que queria, mas tinha que lutar para a média. Possivelmente teria a frase que eu e as minhas amigas repetimos à exaustão: "onde é que estaremos para o ano?". Eu fiquei no Porto e adorei!

Seriam posts optimistas, sem dúvida, porque ainda não tinha feito decisões marcantes nem grandes erros.

Olhando para trás, eu era uma adolescente querida... entre outras coisas porque ouvia música em condições e não fazia fila para concerto nenhum (nunca fez muito o meu género). Tinha a minha telha, mas era querida!

Numa coisa eu evoluí muitíssimo: a minha auto-estima é muito maior hoje que aos 18 anos!

Abobrinha disse...

Eu Mesma

.. boa... o que é que eu fiz para o meu 18º aniversário? Bem... deve ter sido mesmo memorável, porque eu não me lembro!

E eu realmente nunca acreditei no Pai Natal! E se (como espero) tiver filhos algures nos próximos 18 anos, hei-de ensiná-los que ele não existe. E convido-te para madrinha de um deles, ficas a saber!

Bloguótico disse...

Qual revolução dos Cravos ou do Crónica", qual quê?!! "Revolução da Abobrinha", queria eu dizer! :D

Já não estamos no 25 de Abril, mas desde quando isso é impeditivo de te dar os parabéns?!! O lado positivo da coisa é que sempre posso dizer que fui o primeiro a dar-te os parabéns, hoje! :D

Parabéns... e continuação desse somatório de 18ºs aniversários! :D

Rafeiro Perfumado disse...

Mas que bela forma de celebrar o aniversário. Só não concordo que a partir de agora seja sempre a descer. Eu tenho 38 e continuo a subir, e continuarei até bater com a cabeça algures e cair inconsciente.

Beijocas e parabéns (não são atrasados porque algures no mundo ainda é dia 25)!

NI disse...

Apesar de ser tua leitora, considero-me mais do que isso portanto, minha querida, lamento mas só te darei os anos no verdadeiro dia, certo?

Nota 1 - O problema é se eu não acerto no verdadeiro dia, ahahahahah

Nota 2 - Posso confirmar que a tua pele é óptima.

Beijo

Storyteller disse...

Parabéns!!!
Que os próximos 18 anos consigam ser ainda melhores que os últimos 36!
Um grande beijo apertado"

Sadeek disse...

PARAAAAAAAAAABÉNS QUERIDA!!! Que tenhas mesmo muitos mais 18 anos pela frente. E com tudo o que mereces (e o que mereces é estupidamente mais do que aquilo que tens!) e continues a ser a grande pessoa que és!!

Beijo especial!!!

Francis disse...

supostamente parabéns ?

no 25 ?

fuck.

Joaquim Simões disse...

Bem, poder-se-á gritar "25 de Abril, sempre!" por vários motivos. Mas aqui o pessoal que te acompanha já terá, pelo menos, um. E, além disso, não tens que ir trabalhar no dia dos teus anos.
Só vantagens.
Beijinhos e, claro!, parabéns!!!!!!

Abobrinha disse...

Blogótico

Este foi o meu aniversário democraticamente imposto. Ou seja, votado pelos blogguers... ... o que não quer dizer que seja esta a data certa! Em todo o caso, obrigada pela tua passagem por este tasco que já viu melhores dias.

Abobrinha disse...

Rafeiro

Só em termos de saúde é que é sempre a descer. Mas mesmo assim as perspectivas são muito boas. De resto, houve melhorias claras e ainda não parei de melhorar. E tenciono não parar tão cedo!

Abobrinha disse...

Ni

Deixa lá: eu sou famosa por me lembrar dos aniversários com antecedências bíblicas... e chegar ao dia para não me lembrar!

Quanto à pele, é daquelas poucas coisas em que não evoluir é um orgulho!

E claro que és mais que uma leitora!

Abobrinha disse...

Storyteller

Obrigada! Vou fazer por isso!

Abobrinha disse...

Sadeek

Obrigada!

Essa parte de eu merecer mais que o que tenho... não te esqueças disso quando ganhares o Euromilhões, certo?

Abobrinha disse...

Francis

Esta é a data que foi votada pelos meus leitores... e poderá ou não ser a data certa, sendo que as hipóteses que eu dei foram de 25 a 30 de Abril.

Abobrinha disse...

Joaquim

Obrigada! 25 de Abril para sempre... mas um de cada vez e a saborear lentamente cada dia entre eles!

GATA disse...

PARABÉNS!!!

PS: já não me lembro dos meus 18... nem dos meus 36 anos...

Abobrinha disse...

Gata

São dias como os outros. O que interessa é vivê-los bem! E não és assim tão velha, moça! E és uma querida!

Sadeek disse...

Obviamente não esqueço. Quando estiver estendido numa espreguiçadeira a apanhar sol lá na polinésia vai-me com toda a certeza passar pela cabeça o pensamento "eu aqui e a minha amiga Abobrinha a vergar a mola no porto....isto há injustiças do caraças...." HAHAHA

BEIJOOOOOOOOO

Francis disse...

parabéns atrasados...

JP disse...

Olá "Abo"
olha que 18+18 não faz 36.
18+18 provavelmente seriam duas irmãs gémeas jovens e boas, em estéreo portanto... 36 será uma gaja já com alguns defeitos com tendência a massacrar a cabeça de qualquer gajo com juízo. ;-)))

Mesmo atrasado... tipo o período... ainda venho a tempo. ;-))

Muitos PARABÉNS por mais um ANIVERSÁRIO NATALÍCIO.
Espero que ainda estejas a gozar o dia e as prendas.
Beijocas :-)

Paula disse...

18 anos... onde já não vão os meus 18 anos hehehe
PARABENS E GOZA TUDO AO MÁXIMO****

rds disse...

Quem diria que lembro-me de ti rsrsrs parabéns

Fada disse...

PARABÉNS!!!!!!!!!

(atrasados, sorry)

Beijinhos grandes e adorei a tua avaliação de 18 + 18 anos! :)

Que os repitas muitas vezes!

Abobrinha disse...

Fada

Não tem mal, não te preocupes. E também não te aflijas, que eu hei-de repetir muitos aniversários até o meu cabelo ficar (ainda muito) mais branco e a pele encolhida!

Beijinho!

Fábio Silva disse...

Uma refelxão interessante para quem está prestes a fazer 18 anos. Temos o mundo nas mãos com esta idade, depois vai-nos escapando, pelo que consta...
Tive a folhear o teu blog. Gostei.

Abobrinha disse...

Fábio

Os 18 anos são o máximo! Promete-me só que vais saborear os próximos 18 todos os dias. E vivê-los com juizinho, de modo a não teres muito de que te arrepender quando chegares a vésperas de fazer os 36.

Beijinho!