terça-feira, 4 de agosto de 2009

Bruno!!!

Finalmente um filme de jeito! Finalmente fui ver o Bruno!

Era mesmo o que eu precisava para me pôr a rir. E não só me ri a sério na hora como ainda me pôs a rir a caminho do carro feita tolinha! O Sasha Baron Cohen é um génio! Só não sei como é que ainda não apanhou um enxerto de porrada de alguém! ... OK, sem contar com as chicotadas da louraça swinger platinada com uns beiços descomunais, mamas XXL com um piercing em cada mamilo e tatuagens. Agora a sério: ele deve ter uma equipa que se desunha a manter a integridade física dele! Porque por várias vezes aquilo podia ter corrido mal!

Pontos fortes do filme:

- A entrevista à modelo. A sério que nunca pensei que alguém pudesse manter uma cara séria a dizer as barbaridades que ela disse. Isso ou nunca apreciei seriamente a complexidade e a coragem do acto (só aparentemente trivial) de colocar uma perna à frente da outra. Um parolo diria que isso é simplesmente caminhar. Mas não uma modelo loura a ser entrevistada pelo homem mais louco do mundo e arredores e com a cara mais séria do mundo!

- Adorei a entrevista ao Harrison Ford. Curto e grosso, mas acho que fez passar a mensagem!

- Nunca seguir indicações de relações públicas para questões de caridade (?????) que sejam louras e pareçam gémeas siamesas. Na volta não é por serem louras (e parecerem exactamente iguais), mas mesmo só por não saberem que uma frase tem um início, um meio e um fim. Com um pouco mais de ambição, algumas chegam a ter um sentido, mas trabalhemos uma coisa de cada vez (senão fica cansativo e ainda alguém acaba a ter um esgotamento nervoso).

- Está descoberto o caminho para a paz entre israelitas e árabes: o Humus! Aqui eu não me ri: eu perdi o controlo e desatei a chorar com o riso! Tanto o israelita como o palestino concordaram que o Humus é estritamente vegetariano e muito bom para a saúde. Então e isso não é um ponto muito frágil de entendimento? Eu acho que não: frágeis são possivelmente os motivos para os tipos andarem à porrada. Vá, sentem-se à mesa, comam Humus, folhas de videira, tâmaras, fallafel e comida kosher e deixem de dar tiros e pedradas uns aos outros!

- Há uma parte do filme em que estou em crer que o longo silêncio é mesmo só porque o Sasha Baron Cohen está mesmo mesmo quase a partir-se a rir! Ele quase não consegue disfarçar!

- Vou ignorar que uma mãe concordou em fazer a filha com 11 kg perder 5 kg em uma semana, nem que fosse preciso lipo-aspiração para participar numa sessão fotográfica. De novo, não sei como é que o Sasha se aguentou a provocá-la e não lhe enfiou um par de chapos. Mas esta foi o cúmulo mesmo, porque todos os outros pais disseram coisas piores que absurdas.

- Só um paneleiro teria uma t-shirt com os dizeres "o meu cú só serve para cagar" (atenção, não confundir paneleiro como homem-sexual!). Isto porque qualquer macho a sério sabe que o cú também serve para dar peidos! E que dar peidos é coisa de macho! Independentemente da orientação sexual.

- Numa altura em que parece que proliferam os posts a falar de depilação dita "total" (uma falsidade, porque total implicaria cabelo, sobrancelhas, pestanas assim como a totalidade da pintelheira), o Bruno mais uma vez foi arrojado ao abordar o tema do branqueamento anal! E pronto!

- Tirei umas ideias para mobília para a minha casa. Mas para isso têm que ver o filme!

- Vou passar a ter cuidado com o excesso de hidratos de carbono. Acreditem: segundo o filme, a coisa pode correr mesmo mal!

- Estou destreinada de alemão, mas quer-me parecer que algumas das palavras que o Bruno disse não existiam. Mas isso não invalida o facto de ele ser um "cunnunglinguist" (a cena com o fantasma do Milli também conta).

- Nunca pensei seriamente num ataque com um dildo. Nem com dois. Parece que o mundo é um lugar mais perigoso do que aquilo que eu tinha pensado. É melhor eu meter-me em artes marciais, à cautela!

- Já sentia falta de uma canção de solidariedade. Com os bons da fita e um vídeo que é só o pessoal no estúdio de gravação. Sendo os bons o Bono, Sting, Elton John e ainda o Snoop Dog! Genial!

Ou seja, recomendo seriamente o filme! Não há maneira de sair de lá mal disposto, desde que (quem as tem) ultrapasse o desconforto de algumas cenas demasiado gay!

18 comentários:

Icon disse...

combinado! eu vou ver este... :D

Sadeek disse...

É...eu acho o mesmo...não sei como este gajo nunca apanhou uma "coça" daquelas...génio ao mais alto nível...

BEIJOOOOOOOOOOOO

francis disse...

vi todos mas ainda não vi este, o sacana é demais.

inwhitelight disse...

Tentei não ler muito o post porque vou vê-lo dia 15 (data marcada pa ir com as amigas) e espero ser surpreendida mas fico feliz com a crítica positiva!

inês, a anónima disse...

desconforto com cenas demasiado gay?
lololol
I'm afraid to ask...
Sabes que às vezes sinto algum desconforto com cenas demasiado hetero.;)

Bacardi disse...

Assim de repente não me ocorrem palavras suficientemente fortes para descrever o quanto odeio todas e quaisquer personagens desse senhor...

Ninja! disse...

Hehe, tenho mesmo que ver este então. :D

Abobrinha disse...

Icon

Vai mesmo: é demais!

Abobrinha disse...

Sadeek

Nesta altura acho que ele já ganhou prática a dar corda aos sapatos!

Abobrinha disse...

Francis

Eu ainda não vi o Ali G. É uma falha no meu currículo!

Abobrinha disse...

Inwhitelight

Depois lê e conta-me o que achaste.

Abobrinha disse...

Inês

Digo isto porque no filme "Milk" havia cenas íntimas gay e ouvi gajos em masculinos desabafos. Quer dizer... duuuuuuuuh, o homem era activista gay... e gay!

Eu já fico desconfortável com poucas coisas. E cenas gay não fazem parte da lista.

Abobrinha disse...

Bacardi

Não sejas assim! Não pode ser pior que o Pai Natal! A base (única) do nosso casamento!

Olha, se ele arranjasse uma personagem de Pai Natal é que ia ser giro! ... davas-lhe um tiro!

Abobrinha disse...

Ninja

Ah, pois tens! É demais!

blu (Icon) disse...

Está difícil! Aqui ao pé de casa só tem sessões a horas que eu estou a dormir ou praticamente a dormir!
Bruno só à hora do almoço... não sabem ter uma sessãozinha à meia noite para eu poder ir ver?
incompetentes! falta de olho para o negócio! Fiquei chateado!

Abobrinha disse...

Deixa lá: depois sacas na net!

Krippmeister disse...

Não vi o filme, mas tenho a dizer que a escolha do nome do reporter gay dificilmente poderia ter sido menos infeliz...

Abobrinha disse...

Krippmeister

Querias tu dizer que a escolha dificilmente podia ser mais infeliz.

E não é Bruno só, mas Bruno com trema em cima do "u". Não sei se o trema vale de alguma coisa ou se é mesmo só mariquice.

Já dizia o Shakespeare: "what's in a name? A rose would smell as sweet by any other name". E o filme teria a mesma piada com um nome diferente. Mas olha que Sasha (de Sasha Baron Cohen) é que teria sido corajoso!