sábado, 12 de setembro de 2009

Não me esqueças

Há dois tipos de pessoas: pessoas de quem os outros se lembram e pessoas de quem os outros não se lembram. O primeiro tipo recebe chamadas de vez em quando a perguntar como estão e como deixam de estar. O segundo faz as chamadas e raramente as recebe.

Eu pertenço ao segundo grupo. A TMN agradece, porque volta e meia apanho rombos brutais no saldo de telemóvel porque me lembro que não falo com x há muito tempo e quero saber como a pessoa está. Quer seja quer não da TMN.

Dei por mim a pensar que um dia posso ir ter um acidente, ir parar ao hospital inesperadamente, ficar muito doente, ausentar-me um monte de tempo sem que ninguém me ligue a dizer "ouve, o que se passa que já há tanto tempo que não ouço falar de ti?". Se um dia me acontecer uma coisa dessas, terei que ser de novo eu a ligar a dizer "estou mal, estou no hospital, estou em casa doente, não me queres vir visitar?". E na volta a conversa fica por aí mesmo. Na volta nem uma visita terei. E a informação ficará à conta do meu saldo de telemóvel na mesma.

O facto de eu pertencer ao segundo grupo não é uma interpretação mas um facto. Há pessoas que ou estão ocupadas demais ou pensam que estão ocupadas demais ou não gostam de gastar telemóvel. Ou um pouco das três. Eu podia dar-me à minha importância, mas ficaria sozinha. Sozinha demais. E eu estou bem sozinha, mas tento não ficar mais sozinha do que o estritamente necessário. Porque eu sou um animal gregário.

O que acabei de descrever é um facto. Não é bom nem mau: é assim. Já não me importa sequer: é assim. E daí, volta e meia dói-me um bocadinho... mas depois passa.

16 comentários:

as velas ardem ate ao fim disse...

Eu tb faço parte do grupo 2...

Um dia será o nosso dia!

um bjo

Abobrinha disse...

Velas

Não creio. As coisas às vezes são como são. Há que saber lidar com elas como elas são e aproveitá-las da melhor maneira. Se mudarem, então aprendemos a lidar com elas, mas não podemos contar com isso.

Hoje, por exemplo, fui perfeitamente sozinha ao Red Bull Air Race. Amanhã sou capaz de fazer o mesmo e depois irei de férias. Sozinha também. Seria melhor ir acompanhada? O que é que isso interessa? Nada! Estou sozinha e esse é o facto. E tenho que tirar o melhor partido da situação. Há vantagens em estar sozinha. E procurar a presença dos outros de vez em quando.

Ricardo disse...

:/ eu acho q sou do primeiro.... pelo menos ligam-me de vez em qd e eu raramente ligo a alguem :/

Abobrinha disse...

Ricardo

Isso é bom para ti. Tenta retribuir as chamadas de vez em quando. Sabe bem...

Asa Que Não Voa disse...

Eu tb faco parte do grupo 2, a pender raramente para o 1, por isso sou dois mesmo!

Sou a amiga que todos podem contar, estou sempre ou quase sempre lá (a não ser que não seja mesmo possivel) já telefonei mais aos "amigos"..ainda telefono, mas não com tanta frequencia.... pois eu também estou aqui..

Não posso dizer que estou sozinha porque tenho uma filha, e familia (pai, mae e irma) fantásticos tenho um grupo restrito de amigos, que sabe que estou por aqui, ainda que quase não telefonem.. que fazer, sei que não é por mal.. simplesmente têm mais que fazer...enfim...

Tenho uma coisa... quer dizer.. sou uma pessoa bastante comunicativa e mesmo que ande sozinha, nem que seja com a menina do café, meto sempre aquela conversa, ou troco um sorriso... que fazer.. sou assim... não me ando a meter com as pessoas..

Quanto à corrida, estou aqui a roer-me de inveja.. não é bonito, sério, ainda pensei meter-me a caminho (alone) mas de Lisboa ao Porto, ir a conduzir sem ninguèm que me impedisse de fechar pestana.. nop, a princesa precisa da mami... podia ir de comboio, mas eu gosto mesmo de conduzir..

beijinho

Fada disse...

Eu não me defino em grupo algum... Para não variar...

O que me acontece com alguma frequência é, num dia, sentir-me sozinha e não conseguir falar com ninguém, ninguém me atende...
Noutro dia, em que quero estar sossegada ou dormir uma sesta, recebo 3 e 4 telefonemas de seguida...
LOL Não dá para perceber, pronto!

E a TMN também me adora, mas um dia detses, corto-lhe a adoração...

Um beijinho para ti, Abobrinha, e um bom dia, que agora ainda não consigo ler as tuas aventuras on the race, talvez mais logo...
(Vou pro mestrado........ )

GATA disse...

IDEM IDEM!
Mas, Little Pumpkin, aprendi a dar na medida em que recebo...

Abobrinha disse...

Asa

Eu também sou extremamente comunicativa. Sou um animal gregário. Daí que a solidão me custe tanto. Mas o que disse da eventualidade de ter um acidente... é verdade: pode acontecer que ninguém dê pela minha falta. Mas pronto, é assim, o que se há-de fazer?

Eu nem conto com a família. Ou por outra, com o núcleo duro conto sempre!

Abobrinha disse...

Fada

Sim, também há híbridos. Mas eu sou essencialmente do grupo 2...

Bom mestrado!

Abobrinha disse...

Gata

Pois eu ainda não defini qual é a medida certa. Não tem mal: há tempo para a definir.

Eu Mesma! disse...

Eu já fiz parte de ambos os grupos, consoante o momento da minha vida...

e acho que é assim que as coisas acontecem... de um dia para o outro as novas prioridades e a nossa propria vida muda...

antes confesso que tinha uma necessidade enorme de falar ao telemovel... agora... tantas vezes que está sem som ou que fica mesmo em casa...

deixei de depender do telefone para viver... ao oposto de há uns 4 anos que dependia enormemente...

penso que é tudo uma questão de momentos de vida....

agora sabes a minha opinião...
estamos sozinhas não é sinal de solidão... para mim pelo menos nunca foi... a adicionar o facto de eu necessitar de estar sozinha muitas vezes... comigo propria acima de tudo :)

Jinhos grandes

Asa Que Não Voa disse...

Era do núcleo duro que falava...

beijinho

Abobrinha disse...

Eu Mesma

É o que eu digo: é assim! E às vezes dói, outras não. Um dia há-de deixar de doer por completo. Não sei se nesse dia me sentirei sozinha.

Abobrinha disse...

Asa

O núcleo duro é que conta! O resto é só um extra mais ou menos agradável.

Eu Mesma! disse...

Duvido que nesse dia te sintas sozinha....

acho que sera o dia que te vais sentir verdadeiramente acompanhada de ti propria..

Chinook disse...

Curiosa aproximação. Sou daqueles que se encontram no meio. Quando alguém precisa de suporte liga... e alguns ligam. Quando preciso de suporte ligo... E por vezes tenho respostas.

Curiosa aproximação