terça-feira, 21 de outubro de 2008

Zangada!

Dizem que há aí uma crise e mais não sei quê e que a culpa foi do subprime e tal e coisa. Treta! Esta gente não sabe o que diz e não sabe ir à raíz das coisas! O que se passa é que a malta está deprimida e não gasta, pelo que toda a economia vai com o caraças!

Então mas as gajas não vão às compras quando estão deprimidas? Isso, meus amigos, é puro mito urbano! É o que querem os gurus da economia fazer-vos crer! Sim, esses mesmos que diziam barbaridades como o que é bom para Wall Street é bom para todos e outras cretinices que nos puseram a ter medo de pedir dinheiro emprestado. E sobretudo de o gastar, o que verdadeiramente transformará a crise financeira numa crise económica (e por um momento vocês até acreditaram que eu sabia a diferença entre uma coisa e a outra!).

A realidade é que uma gaja deprimida até gasta. Mas gasta em anti-depressivos e outras parvoeiras. Então mas e os anti-depressivos não alimentam a indústria farmacêutica, que até é uma indústria de elevado valor acrescentado e gera montes de dinheiro e mais não sei o quê? Duuuuuh! Eles depois põem os lucros em paraísos fiscais** onde (por definição) não pagam quase impostos e o dinheiro não entra em circulação para pagar merdas como auto-estradas, TGV e Rendimento de Inserção a que não precisa dele (o que só por si é um pilar da sociedade). E acham que isto faz o mundo andar para a frente? Não creio!

E agora? A Abobrinha, lógica e perspicaz como sempre, tem a solução: manter as pessoas zangadas! As pessoas deprimidas sentam-se e não fazem um boi, só dormem e comem! Isto, novamente, dá cabo da economia. E com a crise dos cereais, mesmo o excesso de comida pode ser um problema sério (já viram o preço de uma caixa de Special K?). E se se engorda ainda dá mais problemas porque a obesidade vai ajudar a engordar... a indústria farmacêutica que, como vimos, é a raíz de todos os males do mundo conhecido e desconhecido.

As pessoas zangadas têm que manter-se zangadas! E se não estão zangadas que chegue arranjam maneira de se enervar, sorvendo copiosas quantidades de café. Ora o café promove a economia de pequenos e grandes países, desde os produtores de café africanos e latino-americanos à Itália até ao mundo que é o George Clooney.

Pela parte que me toca, hoje emborquei 3 cafés: está visto que se for o coração a matar-me, não será por causa de mais ou menos cafeína! E se for, ao menos morro consoladinha e jovem, pelo que não chego a receber reforma. Chegar a velha é também outra fonte de prejuízo para a sociedade, mas nem é por causa da reforma em si (porque um reformado tem mais tempo para beber café, com todas as consequências enunciadas acima): é porque vou ter doenças que vão... engordar a indústria farmacêutica! E o que é a indústria farmacêutica? A raíz de todos os males!

As pessoas zangadas têm também tendência a fazer quilómetros de automóvel só para descarregar no mesmo o que não podem descarregar nos outros. Ora os automóveis gastam gasóleo! Sim, há uns mariquinhas que gastam gasolina, mas isso é para quem tem medo de fazer quilómetros como um macho! Patético! Ah, e tal, porque parece que faz mal ao ambiente... mas que gente tão miudinha! Assim a preocupar-se vão ficar doentes, o que... ah pois! Começam a ver o problema, certo?

Ora à volta da indústria automóvel giram vários mundos, desde a manufactura em si até às seguradoras, bancos que emprestam dinheiro para adquirir carros com muitos "burros" e indústria de combustíveis. Os combustíveis vêm de países duvidosos e que fazem parte de algum eixo do mal. Isto é importante porque mantém guerras, que mantêm as pessoas zangadas e a beber muito café (com todos os benefícios que se sabe) para congeminarem estratégias de morte e destruição maciças . E o dinheiro circula aqui de modo a alimentar a indústria de armamento e ir ter aos bolsos de barões de petróleo com ideias estranhas acerca da dignidade da mulher. Estranhas mas ao menos assumidas e autênticas! E se há coisa que eu aprecio num homem é que ele seja autêntico e não me engane!

Os bancos fazem o dinheiro circular (o que é bom). Os seguros ainda é naquela quando é só para nos ir ao bolso. Quando é para pagar ferimentos é que é chato porque estão a alimentar... a indústria farmacêutica!

Isto é assustador! A indústria farmacêutica tem que ser parada! Bute destruir a indústria farmacêutica! Passamos a viver de mezinhas caseiras e terapias New Age. Que não funcionam. E por não funcionarem nos deixam... zangados! Como a economia precisa!


** Não faço ideia se sim, se não, mas neste momento preciso que o façam, para garantir coerência à minha teoria.


NOTA: Ter escrito este texto fez-me rir e esquecer-me exactamente porque é que estava tão zangada, o que poderá ter consequências nefastas para a economia. Eu às vezes penso que tenho um pequeno problema de coerência! Mas ao menos não fiquei deprimida, pelo que não alimentarei a indústria farmacêutica. Isso é que é essencial!

2 comentários:

rds disse...

Continua....tem lógica!

Joaninha disse...

em toda a lógica mesmo :)

beijos