segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Coisas que se aprendem no Fantasporto 2009

- Olhos que servem para espreitar artistas e colegas de trabalho por um buraco enquanto trocam de roupa são excelentes para arrancar e dar a demónios que nos mantêm jovens (parece-me mais ou menos justo). Menos mau, parece que foram arrancados durante um orgasmo. Ou isso ou ele estava com medo, não entendi bem porque estava incomodada com a cena dos olhos;

- Se recorrerem a um bruxo para torturar e matar o ex namorado, não usem o mesmo do vosso ex namorado (não falta bruxos por aí, não há necessidade). Se tiver mesmo que ser, ao menos que não seja um com uma obsessão por listas de coisas a fazer e a leve mesmo a sério (sobretudo quando a última é uma centopeia estranguladora);

- Nunca me tinha ocorrido castigar um ex namorado com sanguessugas no rosto. Não me parece boa ideia, mas fica registado;

- Gajas que têm motosserras em casa são suspeitas;

- Desconfiem da proveniência do suculento bife apresentado de forma absolutamente luxuosa quando a cozinheira é uma indonésia pálida, boa todos os dias com um sorriso gelado, salto alto preto, um calendário onde risca os nomes das visitas para jantar e com tupperwares com nomes de gajos na etiqueta guardados no congelador. Ter cabeças humanas no mesmo congelador também pode ser considerado suspeito, mas não é forçoso;

- Sacrificar um polegar é uma excelente maneira de tirar a mão de umas algemas. E ao menos já é uma ajudinha quando o destino final é se cortado às postas de qualquer modo;

- Esta indonésia tem que ser apresentada às tripas à moda do Porto para não deixar as das vítimas na banheira, horrorizando claramente a vítima seguinte. Já que vai comer o resto da carne, não percebo o desprezo pelas tripas e eu odeio desperdícios;

- É perfeitamente possível conduzir um automóvel só com um braço. Mesmo quando o outro foi arrancado pela motosserra da cozinheira e está a esguichar sangue por todos os lados;

- Se um vírus letal que transforma todos os habitantes de Djakarta em monstros canibais e só poupa uma criancinha, só num filme americano é que a criancinha não se transforma também num monstro canibal com fome. Um fime indonésio não tem essa limitação de argumento, não percebo porquê;

- Se um indivíduo coreano com cara de assassino diz que assassinou 9 pesssoas é capaz de não estar a regar. Se depois corrige para 12 pode querer dizer que realmente assassinou mais 3 que não estava a contabilizar porque estava distraído (9 eram as prostitutas, faltava os 3 vizinhos) e não que a narrativa é inconsistente;

- Se não sabem do vosso vizinho e um estranho vos convida a entrar na casa do vizinho (onde não era suposto estar), é péssima ideia. Sobretudo quando ele saca de um martelo e vos bate na cabeça com ele;

- Se anda um assassino à solta, não é boa ideia passar um martelo para as mãos de um indivíduo que não se conhece de lado nenhum para nos proteger. Isso é particularmente má ideia quando o indivíduo e o assassino são a mesma pessoa;

- Num filme americano, a dama é salva no último momento. Num filme coreano é bem capaz de morrer e com muito sangue. Mas ao menos o assassino e o polícia ainda apanham mais umas marteladas, o que torna a narrativa mais verosímil, sangrenta e interessante. Não percebi bem a parte de o polícia acumular funções como chulo, mas pronto.


E aprendi estas coisas todas no Fantasporto. Se as pessoas tivessem sido alertadas para todas estas problemáticas, teria havido menos mortes hoje no Porto, nomeadamente no ecrã do grande auditório do Rivoli. Pronto, mas menos animação também!

... e ainda há mais uma semana de Fantas... yeeeeeeeeeeeeeeeeees!!!

17 comentários:

Bruxinha disse...

Também gosto muito do Fantasporto, este ano não tive possibilidade de estar aí, estarei aí no fim de semana, mas é a trabalhar :(

Jinhos

francis disse...

nunca fui.

Sadeek disse...

É o Fantas senhores...é o Fantas... :D

BEIJOOOOOOOOOOOOOOOO

Abobrinha disse...

Bruxinha

Acho que há uns filmezinhos do Fantas a passar em algumas salas de Lisboa (acho que não estou a dizer disparates se disser no Alvaláxia, mas hei-de ver isso melhor). Trabalhar ao fim de semana??? Má onda! MAs suponho (espero) que tenhas compensações durante a semana!

Francis

O Fantas não é para todos: ou se gosta ou não. Mas sobretudo é uma oportunidade de ver filmes que saem dos comerciais e de todo o mundo. Isso e indonésias sexy e com jeitinho com a motosserra!

Abobrinha disse...

Sadeek

Já viestes ao Fantas? É o máximo!

francis disse...

pumpkin, nunca fui porque estou longe e não calha, mas gosto do género.

Sadeek disse...

Não...nunca fui ao Fantas...mas já fui ao Centro Comercial de Alvalade!!! Tem alguma coisa a haver!?! Não. Mas é nisto que dá vir bulir quando realmente está quase tudo em casa... :D

Abobrinha disse...

Francis e Sadeek

É assim: há 4 filmes do Fantas nos cinemas Alvaláxia (salas 9 a 12). A saber:

- Eden Lake (James Watkins), qualquer coisa com o fenómeno do bullying, descrito como "o" thriller do ano e diz que tem uma ruiva toda boa;

- Palermo Shooting (Wim Wenders), um filme sobre um fotógrafo;

- Transsiberian (Brad Anderson). Tem bom aspecto a crítica;

- Quarentine (John Dowdle) - diz que é muito assustador.

OK, não tem a indonésia toda boa da motosserra e mais nenhum filme asiático, mas para provar não é mau!

No cinema em si tem uns DVD em promoção que eu estou a tentar evitar para não me tentar...

Blondewithaphd disse...

Pois sim, estás-me a sair uma aprendedeira:) E olha lá quando é que anuncias o resultado daquela gigajoga de in´quérito ou sondagem ou lá o que aquilo é com os ditos botões? Já lá pus o voto há séculos e até agora rien!

Abobrinha disse...

Blonde

Tens toda a razão, e nem sequer é o único post atrasado! Mas a verdade é que tenho andado preguiçosa para escrever e ainda bastante ocupada...

Mas o que é realmente preocupante é que o nível badalhocal do tasco é preocupantemente baixo! É mesmo muito grave!

francis disse...

thanks mate.

Angelik disse...

Olhó prémiozinho no meu blog, fresquinho...

Storyteller disse...

Estou há anos para ir ao Fantasporto.
Com indonésia sexy, toda boa e com motosserra ou sem ela!
Que inveja de um festival assim em Lisboa. Nem os pastéis de Belém compensam a coisa.

Bacardi disse...

Tu moras ao lado do Fantas e eu não... odeio-te... quero o divorcio! :P

Abobrinha disse...

Francis

Temos que ser uns para os outros! Já agora, quando for a Lisboa tenho mesmo que ir à Cinemateca. Eu até sei onde é e não acho normal nunca lá ter ido!

Angelik

Obrigada pelo prémio, mas eu não os coloco no blogue por norma. Não gosto, quebra-me o ritmo. Mas obrigada pela alembradura.

Storyteller

Para cinema, o Porto é que é a verdadeira cidade! E se dizes qualquer coisa do Manoel de Oliveira eu dou-te com o computador na cabeça: é que não tem nada a ver! Pois, Lisboa tem quase tudo de quase tudo e nós não podemos ter o melhor festival de cinema fantástico do país! Ah, pois! Quanto aos pasteis de nata... bem, ao menos o Fantas não engorda. Mas é mais sazonal que os pasteis.

Abobrinha disse...

Bacardi

Maridão, em relação a morares longe do Fantas tens bom remédio: ou vens morar para cá ou pegas em ti e vens cá ter. O que são 300 km?

Em relação ao divórcio, já vi divórcios por muito menos, por isso faz algum sentido! Mas não queria: dá estatuto no blogue! E tens desconto!

VCosta disse...

Filmes com sangue... dispenso!!! Mas gostei da tua narrativa, pareceu-me apelativa!!!