terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Reedição do post da primeira-ministra islandesa

OK, o primeiro post da primeira-ministra islandesa correu-me um bocado mal: meti os pés pelas mãos, não consegui satisfazer os leitores tanto quanto devia e acabei a dizer que a culpa era da gaja. Ou seja, transformei-me num homem! Ainda por cima num feio e com pila pequena, porque estava mesmo a precisar de me esforçar!

Mas recuperei!

Assim, ultrapassei as piadas fáceis sobre os islandeses estarem todos rotos e terem sido enrabados e passei a um outro nível! Assim, os islandeses deixaram de ser enrabados para passarem a ser imaginativos na cama e terem a capacidade de ter orgasmos múltiplos e com mais frequência. Eu chamo a isto evolução!

Como se não fosse suficiente, como não tem que provar a masculinidade, a Sigurd... Sigurdat... Sigurdardo... tirr anda com um carro velho. É que o carro é muitas vezes o prolongamento da pila, ou seja, a Sigurda... coisa tem uma pila grande, o que deve ser acompanhado de uns tomates de ferro! Ou seja, é o homem certo para o lugar! Eu em contrapartida... bom, não interessa... também não é assim tão pequena!

"Num país conhecido pela abertura de espírito, o facto de ser lésbica nunca pareceu influenciar a sua carreira política. Mais comentado tem sido o facto de recusar o motorista e a limusina associados ao seu cargo, preferindo conduzir ela própria o carro sobre o qual os colegas garantem: "Já teve melhores dias." "

Conforme se vê acima (daqui), os islandeses vão recuperar da crise porque se preocupam com mais que mariquices (salvo seja) como terem uma fufa à frente do governo. Preocupam-se, sim, que ela não contribua para a indústria automóvel e não dê emprego a um motorista. Ora muita indústria (como se vê) depende da indústria automóvel, pelo que é uma preocupação válida para a recuperação económica!

... se bem que a impronunciabilidade do nome da moça também deva ser preocupação. Digo eu! Eu queria ver o José Rodrigues dos Santos a pronunciar Sigurdardottir! Ainda lhe sai um dente!

16 comentários:

Eu mesma! disse...

sai é a dentadura toda!!!!!!!

mas eu até gosto dos livritos do rapaz....

Abobrinha disse...

Bah, são muito grandes e não têm figuras!

Bacardi disse...

Faz todo o sentido que ela não queira motorista. Se a senhora é mulher-sexual, para que quer ela o motorista?

“É um motorista, serve para conduzir, não para javardar” dirão vocês. Mas aí estaria instalada uma crise internacional entre a Islândia e Portugal. Porque, como se sabe, todo o típico macho tuga acha que as mulheres conduzem bem pior que os homens. Ao contratar um motorista, a senhora estaria a fazer um convite formal aos “Zé Tascas” para invadir a Islândia. E como aquilo por lá está meio falido, não há dinheiro para investir na defesa do território.

Mas fica desde já o concelho para a senhora Johanna Sigurdardottir: contrate uma (e não um) motorista, e peça uma daquelas limusinas topo de gama, que trazem jacuzzi, televisão, cafeteira e torradeira incorporados. Certamente, como extra, consegue fazer com que coloquem também um espremedor de citrinos. Depois é só dar largas à imaginação. E se, nesse campo, tiver dificuldades, passe por aqui. Certamente aprenderá a desfrutar do automóvel, da motorista e do electrodoméstico.

GATA disse...

Claro que se fosse em Portugal...

1º, nada de gays, pelo menos públicos, no Governo.
2º e último, nada de gays, pelo menos públicos, no Governo!

Já agora... a senhora chama-se JOHANNA!!! Siguroardottir é apelido!

Mas eu ajudo... quando se tem dificuldade em pronunciar uma palavra, o truque é dividi-la por sílabas! ... vá lá... SI-GU-RO-AR-DO-TTIR! :-)

Sunrise disse...

Mas o que é que interessa a orientação sexual da senhora? Não são as capacidades de trabalho que contam para o desenvolvimento do país? Até acho muito bem haver uma chefe de estado com essa orientação, pois vem quebrar com muitos tabus e barreiras! Acho que seria bem pior se em vez de lésbica fosse traficante de droga. Eu se calhar convivo diariamente com imensas pessoas que são homosexuais e nem faço ideia. Ao menos ela assumiu-se! Haja tomates! LOL

Abobrinha disse...

Bacardi

Os motoristas não têm todos como função ser escravos sexuais (pena!): alguns servem mesmo para ir de A para B sem precisar de pôr as mãozinhas no volante!

A ideia de alguns tugas irem para lá não seria pior que os que foram para as plataformas inglesas. Mas digo-te que qualquer deslocação de população seria tecnicamente uma invasão: eles são pouquíssimos!

Mas olha que a tua sugestão tem TODO o cabimento (não esperaria menos do meu noivo virtual): além de revitalizar a indústria automóvel (o automóvel seria de novo considerado um objecto de luxúria e não uma porra que suga dinheiro nas revisões), devolveria gosto pela vida (leia-se: sexo) às pessoas deprimidas pela crise e... arrebitava a nossa indústria de turismo! O menino tem os esperto nos cabeça!!!

Abobrinha disse...

Gata

Só uma felina para fazer um resumo tão bem feito da abertura de mentalidades no nosso governo. Mas acho que o meu post demonstra po a+b porque é que homens homem-sexuais não são sequer desejados na política, mas mulheres mulher-sexuais são: porque de enrabadelas está o pessoal farto e o que o pessoal precisa é de imaginação, coragem... e orgamos múltiplos! Muitos!

OK, deixa-me tentar: sugu... segu... tir... Johanna parece-me bem!

Abobrinha disse...

Sunrise

Benvinda ao meu tasco.

Antes de mais, aqui não se aprende nada! E o post tem que ser lido no contexto dos anteriores e deste tasco que é abertamente pró-mulher-sexual. Por uma questão de liberdade individual e... por uma questão de eliminar concorrência! EU tenho muita abertura de espírito, mas sou também muito prática!

O que é que interessa a orientação sexual da senhora? Mais ou menos o mesmo que a orientação sexual do Sócrates ou a do João Pedro Pais: nenhuma! Não creio que o que ela come (na óptica do utilizador) faça diferença nenhuma.

Como já disse antes, eu tenho imensos amigos (machos) homem-sexuais. O que só é deprimente porque são concorrência. Mulheres mulher-sexuais não tenho nem uma, o que é deprimente pela razão simétrica!

NI disse...

Deixa mas é de falar na 1ª ministra e fala de ti.

Estás nomeada.

:-)

Blondewithaphd disse...

Bem, e eu que lá tinha uma amiga chamada Sveinsdottir rendo-me à impronunciabilidade (olha outra boa para tu dizeres, eheheh) do nome da senhora/senhoro:)

Acho que te saíste com um post que é um primor;)

Francisco o Pensador disse...

Hahahaha...mas que conversa vai aqui.
Concordo com a generalidade do que foi aqui dito.
Uma mulher "Fufa" no governo transmite uma imagem positiva e sugestiva quanto baste.
Vai dai, até acredito que a taxa de natalidade era capaz de aumentar substancialmente.
Qual é o homem que não gosta de fantasiar que tem 2 fufas na sua cama?

Mas com os Homosexuais, já não acontece o mesmo, o que acaba por ser um pouco intrigante.
Se a imagem de uma Lésbica recolhe o apoio das mulheres e a simpatia dos homens, já o Homosexual cria um sentimento de repulsa à ambos.
Acho que tem algo a ver com os pápeis e hábitos sexuais atribuidos a cada um deles.
A mulher consegue passar uma imagem limpa, higiênica, salubre, mas o homem...já não.
Muita gente não aceita ouvir isso mas eu não tenho qualquer dúvida de que os direitos já conquistados no mundo inteiro pela causa "Gay" (Casamento, etc..), tem a assinatura quase exclusivamente Lésbica, porque se fosse pelos "Homo", não teriam conquistado nem um dizimo.

Os "Homo" tem andado à reboque das Lésbicas.

Agora...quanto aos hábitos da PM Islandesa, gostaria de ressalvar a humildade dessa senhora.
Um grande bem-haja para gente como ela!

:-)

Abobrinha disse...

NI

Estou a pensar.

Abobrinha disse...

Blonde

Pois... e a tua amiga tinha um nome mais fácil para lhe chamares? Eu conheci um islandês, mas não me lembro do nome dele. Era meio ruivo e lindo de morrer. Azar do carago, chegou uma antes de mim! Pena: eu tê-lo-ia tratado bem...

Obrigada pelo elogio ao post. Vindo de uma blonde with a PhD e um par de virtuais tomates soa muito bem!

Abobrinha disse...

Pensador

Bem, eu penso dos homens homem-sexuais o mesmo que das lésbicas: pouco! O que cada um come não me interessa. Soube que assim era num dia em que vi um menino ter um gesto carinhoso com outro (eles não sabiam que eu estava a ver) e pensei de repente "que ternura". Claro que mando piadas de maricas e outras manifestações gay-unfriendly, mas eu nunca disse que era muito melhor que os outros.

Não gosto de humildade a mais. No caso da senhora até pode ser genuíno, mas andar com um carro a cair de podre quando se pode ter uma coisa mais jeitosinha soa-me a desleixo. Um pouco como não se lavar por baixo. E pronto... não é uma imagem bonita, pois não? Dispensar o motorista só é boa ideia se ela demora 10-20 minutos para o trabalho. Mas pronto, isso sou eu!

Anuska disse...

As tendências sexuais da senhora não inteferem com certeza com a sua capacidade para liderar e decidir... queria ver isso a acontecer por cá... caia o carmo e a trindade
bjinhos gds

Abobrinha disse...

Anuska

POis... para isso era preciso que alguém se assumisse publicamente como "invertido" sexualmente!

Mas não leste bem o post: eu provei que a tendência sexual dela é perfeita para o lugar! ;)