domingo, 24 de maio de 2009

O número

Leiam bem: 2 252,23...

Este é o valor em euros das minhas despesas médicas do ano passado. Eu tinha a noção de que tinha gasto muito dinheiro em consultas e exames, mas não tinha somado o valor! Tinha olhado para os valores mensalmente, tinha a ideia de que andava a gastar muito dinheiro... mas não tinha sido confrontada com o número absoluto! Se pensar que isto foi quase tudo a partir de meio do ano, a coisa fica pior ainda.

Isto dá € 187,69 por mês (se fizermos as contas a metade no ano, é duplicar o valor). Ou € 43.31 por semana. Ou € 6.17 por dia! Há pessoas que não têm este rendimento sequer! Felizmente estou em crer que poucas no nosso país.

Tudo bem que uma pequena parcela deste valor é mesmo ginásio. Mas é mesmo pouca coisa. Outra parte desta parcela foi uma pequena intervenção quase cosmética (um sinal de que não gosto). Mas o resto é legítimo!

Mais que legítimo, distribui-se entre especialistas que consultei porque o SNS não chegou para as minhas necessidades. Pior: parte foram exames que a minha médica de família me recusou porque não queria que o SNS fosse à falência. Assim sendo, tentou que fosse eu à falência, o que é mais aceitável um pedaço! Bendito o funcionário público que assim pensa. Tem, com certeza assegurado o reino dos céus. Ou outra merda qualquer.

Eu estou parvinha para a minha vida! Alguém me explique porque é que um miserável SNS tem que estar à mercê dos caprichos de um médico de família para aceder a um especialista, enquanto que um ADSE não tem, porque eu não compreendo.

Se eu tenho uma constipação ou uma ranhoca qualquer sem importância vou a um médico de família, mas se eu tenho um problema ou suspeita de problema de outra área, vou a um especialista dessa área! Não espero que o médico de família entenda que eu estou quase a morrer, por isso mereço morrer nas mãos de um especialista! Alguém me explique porque é que eu tenho que descontar impostos para depois ter esta linda panorâmica.

Sei também que parte dos exames se deveram a ganância de alguns especialistas. Felizmente agora filtrei-os e corri com eles.


De onde se conclui que eu sou rica! Se não fosse, não podia estar doente.

Conclui-se também que eu não estou doente: eu estou é podre!

38 comentários:

Ricardo disse...

mas que doença tens afinal?
ou gastas isso em esfoliantes e mascaras para cabelo? :p sou tao cusco :/

Icon disse...

espero que tenhas evitado a morte por muitos anos... é que para justificar esse valor só mesmo se compraste anos de vida... =D

NI disse...

Abobrinha, porque razão os que têm a ADSE conseguem fazer exames e os outros não?

Vou tentar dar uma explicação. Os que não são funcionários públicos descontam para o IRS e para a Segurança Social. O valor que descontam para a Segurança Social é para a reforma e para....a saúde.

Por seu turno, os funcionários públicos descontam o mesmo que os privados para a reforma (Caixa Geral de Aposentações) e, pouca gente sabe, descontam mensalmente do seu vencimento uma percentagem para a ADSE (para a saúde).

Se tu estás podre, então não sei o que estou. É que as minhas depesas de saúde ascenderam a 4.124 euros. E, imagina, tenho a ADSE. Só em dentista foi uma pequena fortuna. Ir todos os meses a uma consulta e pagar 50.00 euros e a ADSE comparticipar com 20.40 euros...eu sei que as pessoas pensavam que a ADSE comparticipava na íntegra todas as nossas despesas. Surpresa....não comparticipa.

Querem outra novidade? Estou há cerca de 20 anos à espera de ter um médico de família e quando tento uma consulta de recurso a resposta que levo é: procure um médico particular porque a ADSE comparticipa. Claro que comparticipa. 20.40 € por cada consulta. Alguém conhece um médico que leve isto por uma consulta?

Já desabafei, ahahahahah

JPVale disse...

Abo!
«Nossa» linda Abobrinha, mas é claro que estás podre... podre de boa!!! ;)
Este ano não fiz esses cálculos, mas é costume... 2252,23€ anual, ou 187,69€ mensal, ou 43,31€ semanal, ou 6,17€ diário, é um valor elevado mas é um óptimo investimento. Embora esse investimento não te dê juros, no futuro, dar-te-á uma enorme paz de espírito... não há dinheiro que a compense.
Há muito que tenho seguro de saúde, nunca me arrependi da maquia investida nele.
Dá-te por feliz por te sentires rica e ainda teres médica de família, eu resido na capital e há dois anos que não a tenho. Mas com os problemas dos outros podemos nós bem, não é!?

Quanto ao SNS... :) ... é um enorme sugadouro, um poço sem fundo. Há vários anos que a minha freguesia luta pela construção do tão prometido centro de saúde, há terreno e está previsto no Orçamento do Estado, até ontem nada... agora, em ano de eleições, foi-nos apresentado um novo projecto que contempla não só a construção daquele centro como o lançamento de mais dois postos médicos. Só visto!!!

Continua a investir no teu corpinho, ele agradece-te e nós machos também. ;)

JPVale disse...

Abo!
Meditei... agora sei porque o anterior post me incomodou tanto.
Talvez, talvez me refira ao tema num futuro post (lá pelo meu tasco).

Boop disse...

Já verificaste se o Joaquim é médico num hospital Central?
REsolvia-te os problemas com os especialistas!

;)

Gugui disse...

O valor até dói sim senhora, mas o que importa é que estejas bem ou que fiques bem ;-)
Desculpa o comentário sério, mas se passares lá pelo meu cantinho vais perceber ;-)

Catwoman disse...

Espero que esteja tudo bem contigo!!

Se foi para o teu bem deixa lá isso..

Beijinhos :)

Eu Mesma! disse...

Eu sempre que faço o IRS fico ainda mais indignada com a parcela que pago de casa.... que anualmente é um valor surreal e...

com o que eu desconto de segurança social...

é que aquilo não me serve de nada... tenho seguro de saude privado, tenho PPR e plano de pensões e basicamente ando a descontar mensalmente para pagar as baixas e as reformas dos outros....

isso é que me irrita solenemente!

Caranguejo disse...

Pois gostava de saber para onde foi o meu dinheiro em impostos que quando é preciso como por exemplo no SNS me dizem quase sempre “ pois mas o senhor vai ter de ir á clínica A porque estes exames o sns não faz” pensamento nessa altura (pó car****).
Mais grave é o sns não ter inseridos nos seus serviços dentistas, enfim é o país que temos.

Abobrinha disse...

Ricardo

É da próstata, meu filho! Concluí que não tenho uma e os médicos ficaram preocupados.

A merda toda é que isto foi dinheiro que não usei para cremes de beleza, tratamentos em SPA e outros... tristeza!

Abobrinha disse...

Icon

Diga-se que eu ia morrendo de ataque cardíaco ao olhar para o número... porra! Mas não está ninguém a morrer. Ou por outra, está (estou a morrer desde que nasci), mas não será para já.

Intruso disse...

pobre menina rica...

Abobrinha disse...

Ni

Eu não me nego a descontar seja o que for. O que não quero é um serviço de saúde de pobre, em que não tenho comparticipação em especialistas. Em que só tenho acesso a especialistas nos hospitais e mesmo assim só quando estou quase a morrer (ou depois de morta). E essa de os descontos para a reforma não serem para o mesmo "bolo" que os outros... não me convence! Afina, quem contribui para pagar os funcionários públicos?

Comparticipando muito ou pouco, a ADSE paga alguma coisa. A mim o SNS não paga nada!

Quanto ao médico de família... eu neste momento pagava para não ter um!

Não te esqueças que os teus € 4.124 de despesas de saúde são a dividir por quatro. A minha divisão é mais fácil!

Abobrinha disse...

JP

Sim, não me arrependo por ter ganho paz de espírito, mesmo a esse preço e mesmo com a noção de que algum desse dinheiro foi gasto mais que uma vez e em médicos que estavam com uma calculadora ao lado (a fazer contas de somar, como é óbvio). Mas serviu para encontrar outros que sabem como não somar parcelas a mais.

Quanto ao médico de família, digo-te o mesmo que à Ni: eu pagava para não ter nenhum de momento! Assim podia ir a um sapateiro qualquer e convencê-lo a pagar os exames a que tenho direito (alguém me explique porque é que o SNS não paga ressonâncias!) em vez de ter uma funcionária pública zelosa demais das contas do estado a mandar bitaites sobre uma especialidade que não tem.

E sim, estou um bocadinho zangada!

Quanto ao post do Bruno Tiago, aguardo o teu post.

Abobrinha disse...

Boop

O Joaquim é médico... cardiologista! Aaaaaaaaaaaaaaa... o homem faz bem ao coração, não faz? Será que ele me faz um tratamento?

Abobrinha disse...

Gugui

Estou bem. Não é nada que me mate (não por agora) e estou a tentar evitar uma operação. Mas estou francamente zangada com o absurdo do valor!

Espero que estejas melhor (tentei várias vezes deixar um comentário do teu lado, mas o meu computador anda louco).

Beijinhos

Abobrinha disse...

Catwoman

Foi para o meu bem, mas ganhei mais alguns cabelos brancos com os sustos. E com ver que o SNS não reage com a rapidez que devia. Mas pronto, não morreu ninguém!

Abobrinha disse...

Eu Mesma

Não me aborrece descontar para os outros. Há quem não tenha tido sorte na vida e precise de solidariedade.

O que me aborrece é descontar para quem se encosta a rendimentos mínimos quando tem bom corpo para trabalhar e estar a manter um SNS de pobres! E não ter reforma quando chegar a velha (motivo pelo qual tenho um PPR).


Mas pronto... é melhor respirar fundo e não pensar nessas coisa, senão perco mesmo a saúde!

Abobrinha disse...

Caranguejo

Isso e muitos exames não seram comparticipados pelo SNS de todo (como as ressonâncias).

E quem é que te manda ter dentes? Não sabes que dentes são coisa de rico? Não sabes que Deus dá dentes a quem não tem nozes (no caso ADSE)?

A disse...

Posso fazer-lhe uma pergunta: afinal tanto dinheiro para pagar a que tipo de especialista?

Outra: já pensou em fazer um seguro de saúde?

A disse...

Respondendo a uma sua pergunta, a de quem contribui para pagar aos funcionários públicos, eu respondo-lhe minha cara: os próprios.

Muitas vezes, os próprios médicos também são funcionários públicos e também pagam os impostos e os subsídios e regalias de quem tem bom corpo pra trabalhar e não trabalha.

Pois...

francis disse...

és hipocondriaca de certeza.
porra.
tens seguro ? só descontas no irs ?

Abobrinha disse...

Intruso

Não é pobre menina rica, mas mais podre menina rica... ainda estou em choque!

Abobrinha disse...

A

Que tipo de especialista? Mais que um, mas não vou dizer porque não costumo dizer pormenores da minha vida no blogue (considerei seriamente não fazer este post sequer).

Essa de os funcionários públicos descontarem para eles mesmos passa por cima de um raciocínio que tem que ser feito antes. É que os funcionários públicos são-no porque há um sector privado que produz (idealmente) e para lhe dar suporte e o organizar. Ou seja, alguém paga aos funcionários públicos para o serem. E é com ESSE dinheiro que eles descontam e têm essas regalias.

Atenção que o meu problema não é os funcionários públicos terem regalias. O meu problema é essas regalias serem diferentes das dos outros.

Abobrinha disse...

Francis

Não sou hipocondríaca. Mas o ano passado tive que mandar um médico histérico para o c****.

Um seguro de saúde parece-me uma excelente ideia. Sobretudo agora que já consegui detectar e eliminar médicos que são muito bons (demasiado bons) a passar facturas.

Catwoman disse...

Desafio para ti no meu blog

Beijinhos

rds disse...

Hipocondríaca :D

Carol disse...

E eu achava que gastava muito...

JPVale disse...

Abo!
Agora estás mais calminha?
Vê lá! Não te exaltes senão terás que regressar novamente à tua médica de família... e começará tudo novo. :)

Quando ao post do Bruno Tiago, vamos ver, vamos ver...

NI disse...

Abobrinha, os € 4.124 foram só da minha parte. Felizmente que a minha cara-metade e as minhas duas filhas são saudáveis.

Quanto a quem paga aos funcionários públicos, bom...eu também pago! E se desconto mais que um privado isso quer dizer que a minha comparticipação é maior :-)

NI disse...

Abobrinha, esqueci-me de referir as regalias. Sei que é aborrecido mas se quiseres lê a legislação da função pública. Depois diz-me qualquer coisa.

Sabias, por exemplo, que quem tem isenção de horário e por força disso trabalha 10/12 horas por dia e fins-de-semana não tem direito a um complemento como existe no privado?

É verdade que há cerca de 10 anos atrás os funcionários públicos tinham algumas regalias que os beneficiava relativamente aos demais trabalhadores. Por exemplo, quando ficavam doentes tinham direito à remuneração por inteiro. Agora não se justifica essa má vontade relativamente aos funcionários públicos porque em termos sociais a legislação está equiparada aos restantes trabalhadores e, nalguns casos até os prejudica relativamente aos demais.

Digo-te uma coisa,quem me dera ter as regalias que os trabalhadores com as mesmas funções que eu têm nos privados. A única grande vantagem que eu tinha em relação aos demais era ser difícil perder o emprego. Agora, nem isso. Portanto, se conheceres uma vaga no privado para mim, saio já.

inwhitelight disse...

Eu já tinha escrito um comentário-testamento mas o blogger deu erro e não me deixou publicá-lo.
Resumo: O QUÊ?????? Chiça! Mas quem me dera...se eu tivesse cento e tal euros por mês para gastar em saúde casava-me! Mas casava-me mesmo! Eu o ano passado gastei 75€ em dentista e 40€ na farmácia em pílula e Benuron!
Eu cá ir ao médico só já com um pé no caixão. Assim como assim a minha médica de família só é boa para quem lhe leva cabritos a casa (não é o meu caso) e ir ao particular fica caro...

mtheman disse...

Adoro este tipo de posts...

Vamos lá a debruçar sobre o assunto...

Se a menina Abobrinha ganhar o mesmo que um funcionário público sabe que desconta menos para a segurança social que este... a menina Abobrinha desconta 11% enquanto o funcionário público que ganhe o mesmo que a menina desconta 11,5%...

Ah, mas o funcionário público tem a regalia da adse... pois, mas pegue nesse 0,5% do seu ordenado e escolha um seguro de saúde (porque pode escolher enquanto o funcionário público é obrigado a descontar para a adse) e garanto-lhe que ficará muito mais bem servida... é só perguntar a qualquer funcionário público se além da adse não paga ainda um qualquer seguro de saúde...

Outra correcção... não é o sistema privado que assegura a existência do funcionalismo público... ou a menina acha que não existe nenhum funcionário público que produza tal como qualquer trabalhador do privado...

Claro que existem muitos serviços que são não produtivos... a segurança por exemplo... um polícia ou gnr não produz nada de riqueza... mas já imaginou viver num país sem forças de segurança...

E existem muitos serviços que deviam produzir mais ou consumir menos recursos... mas isso é outro assunto...

Para terminar, que já vai longa a resposta, diz a menina que parte das suas despesas de saúde correspondem ao ginásio (tem declaração do médico a receitar a prática de exercício... e essa declaração é verdadeira ou foi pedida "apenas" para o irs...) e a uma intervenção cosmética (retirar sinais que não gostamos não são despesas de saúde aceites como dedução no irs...).

Ora, vamos imaginar que são 25 euros mês de ginásio (300 euros ano para simplificar)... devendo ser colocado na linha de despesas médicas com receita médica (se calhar foram na outra linha não), dá uma redução de 90 euros no imposto a pagar pela menina...

A intervenção de cosmética vamos supor que foram 200 euros, o que dá uma redução de imposto a pagar de 60 euros....

A menina Abobrinha sonegou ao estado a quantia de 150 euros...

Agora vamos imaginar que temos (não faço ideia) 3 milhões de contribuintes a entregar declarações de irs... se todos se comportarem como a menina Abobrinha são 450.000.000 de euros a menos de receita para o estado...

E depois admiram-se de termos o país que temos...

p.s Não entendas o menina Abobrinha como depreciativo porque não foi essa a intenção :) era mais para usar uma linguagem coloquial ehehehehe

Olhos Dourados disse...

Pois é, neste país, se uma pessoa não for rica bem que morre!

Abobrinha disse...

Carol

Eu não tenciono gastar tanto nunca mais. Digo eu...

JP

Estou calmíssima! E sem recurso a calmantes! Nem a bater em ninguém!

Ni

Se descontas mais é porque ganhas mais. Como no sector não-público! Mas não vejo ninguém a sair do público por causa das regalias do privado! E se sair, tem essa liberdade! Não conheço vagas para a tua função no privado. Mas olha que é mais complicado fazer a transição para o público que para o privado. Quanto aos privilégios, alguns eram excessivos e eventualmente incomportáveis, mesmo descontando mais. Só assim se justifica que se tenham perdido.

Inthewhitelight

Lá está: sou rica porque me posso dar ao luxo de estar doente. Uma dica: não precisas de pagar pela pílula. Podes pedi-la no centro de saúde. Não que seja fortuna nenhuma, mas sempre é menos aquele que sai.

Abobrinha disse...

Mtheman

Eu, em contrapartida, odeio este tipo de posts. E sentir que tenho que os escrever.

Eu nunca me neguei a descontar mais para lado nenhum. Digo mesmo que me zangaria menos ao pagar impostos se tivesse os serviços. Mas ninguém me deu essa opção.

Não conheço funcionário público nenhum que tenha seguro de saúde para além da ADSE. Há outras: um seguro de saúde, como qualquer outro seguro, é para dar lucro! Ou seja, quem tem certas patologias ou não o pode fazer ou tem exclusões. Experimenta ver que m*** de seguro de saúde consegues pagar com o salário mínimo e contas normais. Ah, pois! Mas como funcionário público, tem as mesmas regalias o funcionário bem pago que o cantoneiro! O que só tem de errado não ser o mesmo para o privado! Tens ideia de quanto custa ao menos um seguro de saúde para quem não tem ADSE?? Experimenta fazer simulações para uma mulher de 35 anos e chora!

Desculpa, mas o funcionalismo público produz (eu nunca disse o oposto). Mas quem o mantém é essencialmente o privado. E é assim que tem que ser! Mas não são mais que os outros e de momento (desculpa a franqueza) mas são! E isso não está correcto!

Quanto ao que eu não paguei por causa do ginásio, não paguei porque mo permitiram. Mas ao declarar, tive que pedir ao ginásio a factura, dei dinheiro a ganhar a professores, fiz pagar impostos e contribuí para o meu bem estar físico e psíquico. Ou seja, em meu entender, devia ser dedutível ainda mais. E eu não sou a santa casa da misericórdia para andar a pagar mais impostos do que os que devo! E não me sentiria tão danada a pagar impostos se as coisas funcionassem melhor! Eu basicamente não roubei o Estado ao pôr determinadas despesas, entendes?

E não penses que estou zangada contigo: estou zangada é com a situação. E não é bem zangada: é mais... um pouco espantada! Mas só pensando nas coisas é que elas andam para a frente!

Abobrinha disse...

Olhos dourados

O exemplo da Jade Goody fez-me pensar que não basta ser rico. Ser inteligente e ter sorte também ajuda! Mas é ridículo eu pensar que tenho que poupar para o caso de o SNS não me acudir suficientemente rápido! É triste mesmo!