quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Jovem procura pintor de construção civil para relacionamento sério - parte 5

Agora sim, vou ao busílis do título (era para ter apagado no post anterior, mas deu-me a preguiça).

Conclui-se assim que:

1. Eu estou bem nas obras. Pelo nível da linguagem, acho que alguns de vocês já andariam desconfiados!

2. Eu sou uma mulher de muitos talentos. E que gosta de fazer publicidade a si mesma!

3. Uma das três:

3.a. Eu tenho espírito de pintor de construção civil e estou a anunciar a posição aberta (salvo seja) para um relacionamento sério;

3.b. Ando à procura de um relacionamento sério com um pintor de construção civil para não ter que passar por nada disto de novo. Mesmo porque me ficou a doer o pescoço porque além de meia totó sou pequenina e preciso de uma massagem;

3.c. A OMS recomenda pelo menos 8 horas de sono a trintonas desequilibradas psiquiatricamente;

3.d. A privação de sono é lixada (e faz com que trintonas que não fecham bem a mala deixem de saber contar).

4. Tenho a certeza que havia mais qualquer coisa, mas já não me lembro.

Portanto, resumidamente é esta a minha posição sobre a pintura de contrução civil, sua importância sociológica, sexual e também na migração dos estorninhos desde o Rio de Janeiro à Chechéno-Ingúchia, com passagem pela Ossétia do Norte para formalidades alfandegárias.

É possível que o sono me faça pensar direito... mas também é possível que isso seja simplesmente... uma impossibilidade!

Dizei de vossa justiça.

24 comentários:

farfalho, o maltês disse...

Só li o ultimo (para quê ler os outros? a bobrinha sabe que sou avêsso a textos tipo lençol) e tambem tirei a minha conclusão:
O pintor é treta. Mas a vontade de "casar" é muita. O que demonstra que a "frigidêz" era tambem uma manobra de distracção.
Esta bobrinha é demais... só truques.

Abobrinha disse...

Ah, pharphalho

Sempre o apressado! A parte melhor às vezes são mesmo os preliminares! Aqui tinha tudo e esta nem era a parte do "coisa e tal": esta era a parte do cigarro pós coisa e tal!!

A frigidez... era um título da Elle deste mês, com a Catarina Furtado na capa (coincidência?). O resto... se você não leu, não posso fazer-lhe tudo.

Ganhe paciência, homem!

joana disse...

Abobrinha, Abobrinha,

Já te tinha avisado que a privação de sono, não só faz mal á pele como, e para quem é...pronto....um bocadinho desiquilibrado, pode ser fatal.
Acredite que sei do que estou a falar...ehehehehe.

Joaninha disse...

Olha, lembrei-me agora (esta cabeça funciona a prestações)

Podes sempre arranjar um handyman, são mais uteis porque são versateis, fazem uma serie de pequenos trabalhos ....na construção civil, e se for muito handy e muito man, podes juntar o util ao agradavel...
(nota-se que estou a ficar stressada com o trabalho não nota?)

Abobrinha disse...

Joaninha

As prestações são excelentes. Não sei porquê, mas apeteceu-me ser simpática. Além de que estou a candidatar-me a fornecedora de pontos de exclamação e parênteses aí para o estaminé, por isso tenho que ser agradável.

Sabes que essa do handy man tem dois sentidos e um é a puxar para a badalhoquice! Assim uns 9 na escala de badalhocómetro! Claro que "hj estou como se houvessem mil paredes por mim pintadas" dá 12 (numa escala de 0 a 10). Bem bom!

Infelizmente, os handy men ou se fazem pagar bem (pese embora o valor do trabalhinho, conforme foi apresentado "resumidamente" nestes posts) ou estão indisponíveis. Como sou uma mulher de iniciativa, estou a apresentar-me também como handy woman... em dois sentidos.

Podes estar a stressar com o trabalho, mas eu estou mesmo a alucinar!

Joaninha disse...

ÓH abobrinha,
Mas tu comigo és sempre uma simpatia.
Ou então sou eu que não apanho as bocas mal intencionadas, o que também é bem possivel!


Quanto aos handy mans, não sejas pessimista, existem para aí uns bastante disponiveis :) e com bom trabalho de mãos :))))))

Abobrinha disse...

Joaninha

Homens desses não vêm assim a voar para os meus braços nem para os de ninguém: dão luta! É bom, sendo mau... mas é bom... e ao mesmo tempo não é... eu eu já não sei o que digo (se é que normalmente sei!).

EU não te mando bocas mal intencionadas, não te preocupes. Mas olha que os pontos de interrogação estão a bom preço! As vírgulas é que tenho que introduzir (salvo seja) algumas no stock: gasto imensas!

Abobrinha disse...

Joaninha

Sabes que me ficou a doer o rabo desde a pintura??

Claro que levaste isto para a badalhoquice! Mas por rabo eu queria dizer mesmo os glúteos! E foi da natação: hot and wet (e o retomar de uma actividade a que não estava habituada depois de 2 meses e pouco de interrupção!). Ou seja, nem descolou na escala de badalhocómetro... mas foi uma simulação interessante!

Anónimo disse...

Abobrinha=mete nojo

Joaninha disse...

UI, Abobrinha

Claro que levei a coisa para a badalhoquice!!
Parece que tens um fã novo...
É a falta do que fazer de certas pessoas dá nisto.

Quanto aos handymans, dão luta sim senhor, mas sem darem luta não tem piada :)

Abobrinha disse...

Joaninha

Isso são pancadinhas de amor! Já enjoava declarações de Abobrinha querida para aqui e para acolá! Aliás, posso ter sido mesmo eu a colocar esse comentário, só para desestabilizar... ou não!

COmpreendes agora porque é que não assino de bilhete de identidade! Um gajo a falar de badalhoquices é normal e saudável. Uma gaja é uma vulgar e uma qualquer. E eu moro num meio pequeno, em que sou mais conhecida que a Sé de Braga!

Quanto à luta... pois... e a dúvida? Mas se valer a pena, vale mesmo!

Joaninha disse...

Duvida?
Que duvida???

Se o man é mesmo handy e hansome e cheio de talentos manuais não há duvidas nenhumas!!

Abobrinha disse...

Joaninha

Os vegetais são difíceis! Pensam muito! Têm que amadurecer! O pior é que há uma fronteira fina entre amadurecer e apodrecer!

De que é que estou a falar? Não faço ideia! É qualquer coisa com fruta ou legumes, mas não está totalmente desligado do assunto pintura de construção civil.

Odeio estar a fazer tarefas rotineiras: desconcentro-me! Prefiro coisas mais criativas e quem que seja chamada a capacidade de improviso... I'm bored!!!

Joaninha disse...

Pois, disso dos vegetais não sei nada. sou carnivora penso pouco e gosto de agir por instinto...Mesmo quer no fim de disparate...que normalmente é o que acontece....salvo honrrosas excepções.....Do que é que estavamos a falar...
Pois, depois há o problema do tico e do teco, que raramente funcionam os dois ao mesmo tempo...
Deixa, também estou bored!

Abobrinha disse...

Joaninha

Essa do tico e do teco passou-me ao lado... será do sono?

farfalho, o maltês disse...

bóbrinha, essa anónima tá com medo
que lhe tire a clientela.
Descanse, não sou fiel, mas sou de uma de cada vez.

Joaninha disse...

Abobrinha,

Não sei se é o mesmo anonimo, mas passa pelo meu blog e vê a perola de sabedoria que me deixaram por lá.

BJS

Krippmeister disse...

Parece que o anónimo teve uma má experiência com um pintor das obras. Para futura referência anónimo, lembra-te disto:

- Se no duche da penitênciária, te pedirem para apanhares um sabonete do chão, não apanhes.

- Se um marinheiro te pedir para olhares pelo bordo para veres se o barco tem pneus, responde que não, mas não olhes.

- Se o pintor das obras fizer a piadinha do "molhar o pincel" contigo, é altura de o despedir.

Allanah disse...

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL!!!!!! Oh krippahl, se calhar o senhor gosta de apanhar sabonetes, e adora espreitar pelo bordo do barco e ate gosta de molhar o pincel!!!! E se calhar o problema dele é mm esse!! A Abobrissima é mais uma a roubar-lhe as atenções! Isto nao anda facil para arranjar homem... Nao percebes nada disto.

farfalho, o maltês disse...

bobrinha,
atão
?????????????????????????????????

Abobrinha disse...

Herr Krippmeister

Pelo contrário: o anónimo pode ter tido uma experiência boa com um pintor de construção civil (ou com uma equipa inteira de construção). Sendo assim, o nojo era o modo de manifestar desagradado pela minha falta de eloquência na descrição de uma experiência tão transcendental!

Por outras palavras, estava a acusar-me de ser má língua, o que não é uma queixa que esteja registada no meu livro de reclamações (possivelmente por eu guardar a caçadeira no mesmo armário que o dito cujo livro).

Sendo assim, poderá dar-se o caso de a queixa ser no sentido de eu não vir equipada com pincel de série. Não estava em ruptura de stock na altura, mas não declinei um: preferi um cérebro mais funcional e disseram-me que a antena do pincel interferia na recepção de vez em quando. Sendo assim, de vez em quando peço um emprestado e não me tenho dado mal com a abordagem. Mesmo porque parece haver sempre gente com vontade de molhar o pincel, o que me dá hipótese de escolher!

E depois há as trinchas, os rolos de pintura e os cabos telescópicos. O anónimo pode ter ficado entalado com um destes últimos. Daí o nojo!

Abobrinha disse...

Pharphalho

Então o quê, homê?? Você não tem paciência, mas eu tenho!

Joaninha disse...

Aboborinha,

Em relação ao tico e ao teco.
São os meus neuronios. O tico é um neuronio muito eficiente e trabalhador, dá conta de tudo e nunca se engana. O problema é que quando o tico esta de folga só funciona o teco, que é lentinho para caraças. Daí eu, volta e meia funcionar as prestacções |:)

Abobrinha disse...

Joaninha

O teu tico e teco lembram-me a história de um grande amigo meu que já não vejo há muito (acho que ainda está a morar em Lisboa, mas ainda tenho que tirar isso a limpo).

O meu amigo foi muito prematuro e descobriu num neurologista (por causa de uma queixa qualquer que tinha) que em alturas de stress o cérebro dele como que parava por fracções de segundo.

Ora o meu amigo é inteligentíssimo! Arriscar-me-ia a dizer mesmo brilhante! Viro-me eu para ele: "não me importava nada que o meu cérebro parasse como o teu, se o resultado fosse o mesmo!".

Ele ainda é lindo e extremamente sensível. Para falar verdade, podemos mesmo falar de homens mais ou menos à vontade, porque ele também gosta deles na óptica do utilizador. Infelizmente é um homem com "h" grande, mas tem uma coisa em comum com muitas boas meninas (além do gosto por homens, claro): mete-se com os homens errados!

Uma coisa curiosa que ele me disse (ele é nortenho como eu) é que os meninos daí têm uma coisa pelo nosso sotaque...