sábado, 24 de novembro de 2007

A nudez na arte - parte 2

Ora cá estamos, a debater a arte e a nudez na arte. Dado o número de avassalador de comentários (uuuuuuuuuuui!) no post anterior e o meu receio de sofrer represálias tipo um gato morto pelo correio ou um tiro de pistola de pressão de ar e ainda o facto de este ser um estabelecimento comercial (sem lucro, como muitos) que se preocupa com o número e qualidade de comentários por post, tenho que aumentar em muito o grau de badalhoquice deste tema. Espero que estejam preparados!

Ora passemos à análise socio-psicológico-hermenêutica da performance do senhor Kyungwoo Chun... ... ... não vale a pena! Vamos direitos à badalhoquice. Por exemplo, quando ele opta por propor: "Escolhe uma pessoa que não conheças. Sentem-se uma em frente à outra. Apoia a cabeça no ombro direito da pessoa que está à tua frente. Mantenham-se descontraídas durante 15 minutos". Fez ele muito bem!

Ora acontece que a notícia refere só gajas. Há várias hipóteses:

1. Os homens acharam que era extremamente gay andar a deitar a cabecinha no ombrinho de um outro homem;


2. As mulheres presentes não valiam o esforço de descobrir se "a relação com o outro é um apoio ou uma carga". E que tipo de carga... mesmo porque há quem defenda que as cargas são todas iguais, mas há umas cargas que valem mais a pena que outras,


3. As gajas é que acharam que não queriam “cargar” com os homens que tiveram o mau gosto de ir à feira de arte;

4. Definitivamente, feiras (de arte ou outras) são coisas de gaja, e arte não é excepção;


5 - o Kungwoo Chun só aceitou gajas para a performance. O porquê mereceria uma cuidadosa análise, cheia de badalhoquice, mas a melhor explicação é que:


6 . Só apareram fufas nas exposição!

Eu tinha que introduzir fufas em qualquer lado! Quer dizer, introduzir, salvo seja, porque boa parte dos truques das fufas não são introdutórios! Isto só quando eu era adolescente é que o pessoal perguntava “mas o que é que elas fazem”? OK, adolescente é capaz de ser um bocado forçado, porque eu fui muito inocente até muito tarde. Mas isso agora não interessa nada. Mas já apareceu a palavra fufas... faltam as imagens!!!

Vamos assumir que o Kyungwoo Chun tem, como qualquer gajo, pelos vistos, fantasias com fufas. Ora não creio! Aliás, o homem não tem grande categoria para tarado sexual! A fotografia que apresentei no post anterior é só para enganar (e aproveito para dizer que na altura que carreguei a não fotografia não tinha reparado no “bushism”, mas agora é tarde demais).

Se o Kyungwoo Chun tivesse categoria para tarado sexual moderado (em tudo se exige moderação) ou mesmo para artista, teria elaborado a obra com nudez. Porque de vestidos estamos nós todos fartos (e a moda está a virar-se perigosamente para conceitos de anos 80, como algumas combinações horrorosas de calções ou calças com leggings). Por exemplo, esta imagem destas duas cidadãs (uma de cada cor, e numa fotografia a preto e branco) demonstra que a relação com o outro é de apoio para a que é mais baixinha! E que apoio!

Motra ainda que a amizade é mais que o monocromatismo de uma imagem estilizada pela visão de um artista com mais visão que a do Kyungwoo Chun (como se isso fosse difícil). Pode-se deduzir ainda que o autor da fotografia não é um autor mas uma autora, e que todas estas cidadãs têm preferências sexuais por cidadãs do mesmo sexo, e nessa altura entramos no campo do bacanal! Esticando ainda mais a imaginação, podemos deduzir ainda que a fotógrafa terá envergará um fato idêntico ao das duas modelos... e que a seguir foram bebericar cházinho com waffles com chocolate fundido... e toda a gente sabe que o chocolate fundido por vezes se escapa e vai cair teimosamente na roupa... e depois tem que se limpar, senão mancha!


Onde é que eu ia? Ah! Na arte! Há quem não goste do nú integral mas opte pelo minimalismo indumentário. Nessa altura estas duas cidadãs não chegaram ainda a abraçar-se nem a aperceber-se do apoio de uma na outra. Mas têm todo o aspecto de estarem dispostas a receber a carga uma da outra! E que carga! A Milla Jovovitch com ligueiros mais básicos que estes deu cabo de tudo no Resident Evil 3. E olhem que era na secura do deserto!



O cidadão Tom Ford é que as sabe todas, porque apanhou a Keira Knightley e a Scarlett Johansson nestes preparos. Não contente com isso, mandou que lhe tirassem a fotografia e a escarrapachassem na capa da Vanity Fair. Há quem mande MMS para os amigos, mas a capa da Vanity Fair não é para qualquer um. E ainda conseguiu que lhe pagassem para isto e lhe chamassem arte! Claro que eu acho que a Keira Knitley parece um pau de virar tripas, tem um cabelo fraquinho e um sorriso de choca. Em contrapartida os meninos podem argumentar que ela andar sempre com a boca aberta é bom augúrio e que com a luz apagada são todas iguais. E que a Scarlett compensa! E aí já não tenho argumentos! Mesmo porque a Scarlett é espantosa.


Mais vestida, mas mais fufa, temos a Ellen DeGeneres, que eu adoro por vários motivos: é linda, inteligentíssima, tem olhos de gato, tem um humor bestial... e vive com uma mulher com idênticas características! Neste caso, o abraço da Ellen é como quem diz: “apoio o carago! Quem anda a comer a Portia de Rossi sou eu, e vocês podem ver mas não mexer!”.


No campo de nudez temos ainda o especialista Stanley Kubrik. Claro que nem todos os nús são iguais! O nú imediatamente abaixo reporta-nos para a noção que o empilhar (cuidado com a falta que pode fazer um “h”) de corpos poder significar a redução corpórea de um monte de indivíduos que no seu dia-a-dia se distinguem social e profissionalmente pelo que levam vestido e por todas as convenções humanas... a um monte de carne! Digo, a uma obra de arte dentro de uma obra de arte! Não se pode assim reduzir a arte a um monte de carne! Ou pode, mas ainda ninguém disse que isso era genial, por isso não vale!

Já a imagem seguinte pode significar que o Stanley não tem grande cuidado quando vai ao balneário e o sabonete lhe escorrega! Problema dele, mas não me apanhava nestes preparos (nem na anterior, mas isso não vem ao caso)! Por outro lado, pode ser uma crítica fugaz ao modo de oração muçulmano, mas de certeza que não quis problemas com aqueles cidadãos. E porque, ao contrário do Herr Krippmeister, poucas pessoas são capazes de avaliar pelo rabo a nacionalidade ou religião de cidadãos desprovidos de roupas!




Este post vai longo, pelo que quero aproveitar a ocasião para relembrar a necessidade do diálogo. Ilustro com um suposto monólogo, mas a avaliar pela participação, deve ser mas é uma grande tertúlia! E que tertúlia! Mas o tema ainda não se esgotou: tenho muitas mais imagens e estou a tentar forçar o badalhocómetro para níveis decentes antes de activar o lamechómetro! Ou não (ainda não decidi).


O que é preciso é estupidez natural!

19 comentários:

antonio disse...

Descontracção e estupidez natural, eis a chave para sairmos de muitas situações, mesmo daquelas em que pretendemos ser badalhocos, mas sem grande coragem... e não vale esconder-se atrás de fotos eróticas, o que isso por si só pode ser uma forma de expressão artistica e lá se perde em badalhoquice!

Anónimo disse...

nunca me enganaste.

...f... de pharphalho.

Abobrinha disse...

Pharphalho

De facto nunca enganei ninguém, no sentido que nunca pus os palitos a ninguém. Como você não está nos candidatos nem nos contemplados, de facto não posso simplesmente tê-lo enganado.

Uma coisa inteiramente diferente é se o desiludi. Ora para desiludir é preciso iludir (como pode ser visto no blogue da Joaninha). Se criou uma ilusão, pode ser que o tenha desiludido. Agora porque é que terá criado uma ilusão não compreendo. E qual é a ilusão... não sei se quero saber.

Por isso, resumindo e baralhando, nunca enganei ninguém nem tenciono. Mas as ilusões não controlo.

Mas como eu continuo sem entender o que está a tentar dar a subentender... ficamos exactamente iguais, mas o blogue tem mais 2 comentários sem sentido. Ou seja, o normal!

Krippmeister disse...

Deixem-se lá de lamechice e falemos de fufas!

O chinoca parece-me ser um gajo inteligente. Não faz mais que aqueles musicos tipo Justin Timberlake que de vez em quando se lembram: "epá, apºetece-me ter uma gaja a esfregar a bilha em mim, mas à borla. Vou cantar uma merda qualquer e faço um vídeo explícito..."

Abobrinha disse...

Herr Krippmeister

Precisamente o oposto: o chinoca (com excepção das tatuadas), podendo ter nús (ou nuas, no caso), em nome da arte, tem-nas todas vestidas! Daaah! E ainda por cima quando as tem, não sabe usar a invenção do Sr. Gillette ou cera (quente ou fria, depende da perversão ou limite de dor de cada uma). Laser é caro, mas ao fim de umas sessões dá um resultadão.

Já o Kubrik tem cá uma pancadinha, carago! Mas a última imagem (influência religiosa?) é um pouco... sei lá... olha, é! E também não é esquisito nos (ahem) penteados. Mas no meio do maralhal, disfarça!

Mas estava-me a desviar do assunto: o Justin Timberlake. Sendo assim, como justificas que ele cante fininho? Pessoalmente acho o tipo assim para o teenager e sem aspecto nenhum de querer sair da adolescência (e possivelmente das adolescentes).

Ter comido a Britney Spears não ajuda. Ou melhor, o modo como comeu: foi dizer a toda a gente, quando afinal era meio segredo. Vaca por vaca, ao menos tem um palminho de cara, o que não é o caso dele.

Quanto a fufas, não te alongaste. Estás a perder qualidades, é o que eu digo (olha a PSP!)! Olha que eu tenho mais imagens e não tenho medo de as usar! Incluindo o "adeus às armas", que acho que vai merecer um post à parte. Mas primeiro (aprendi isto com o Jorge Fiel), este post tem que render em número de comentário. Por isso quanto mais comentarem, quanto mais cedo sai um post novo com imagens fresquinhas. E algumas são beeeeeeeeeeeeeeem frescas. E uma pode tecnicamente ser considerada... um bacanal!

Abobrinha disse...

António

... perdi-me um bocado! Mas acho que está visto que ando meia lerda! Pode ter sido um fim de semana doméstico e imersa no maravilhoso mundo dos electricistas de construção civil.

indomável disse...

Cabacinha amarela,

Como dizia aqui há tempos, não coisa mais bela que o belo corpo de uma mulher. Se queres arte, põe-te nua frente ao espelho, ou então... não...

Agora, para levantarmos aqui o badalhocómetro, acho que devias ter posto mais imagens daquelas senhoras meio vestidas, ou meio despidas como queiras, que isto é como aquela est´roa do copo meio cheio ou meio vazio, whatever.

Por outro lado podias ter-nos poupado à imagem da Keira vira tripas e da Scarlett branca como a cal. Não gosto particularmente de qualquer das duas. Já se tivesse sido uma Demi Moore (tá pró velhote, mas boaaaaa!) ou mesmo a desmiolada da Carmen electra. Meninos, concordo com todos vós, a menina tem uns olhinhos que até a mim deixam zonza e depois o rabinho... ai, mãezinha, o que eu não dava para ter um daqueles...
É que eu gosto muito das versões masculinas, mas quando me dá para avaliar, gosto muuuuuuiiiito de olhar a curvatura feminina.

E como estamos a erguer aqui um valioso debate badalhoco, porque não fazer aqui a votação das melhores curvas?
As da Jennifer Lopez também se aceitam, sobretudo porque muito próximas das minhas e assim começo a ter uma ideia de como me vêem por fora (piscadela de olho).

E pronto, lancei-te o repto... e depois deste ficas com um volume de comentários superior ao do gato fedorento, e todos os blogs que falam sobre sexo juntos.

Diz lá que não sou amiga!

Joaquim Simões disse...

Abobrinha:
Prometo um comentário mais desenvolvido para depois de amanhã, hoje é-me impossível.
Mas digo-te desde já que estou desencantado com essa tua admiração pela Ellen não-sei-quantas... É que "aquilo" não se pode chamar fufa a sério, "aquilo" é o que eu chamo uma "profissional", que é o que pode haver de pior no sexo. Profissionais que se aturem só mesmo as trabalhadoras do dito e mesmo assim apenas algumas, as que não assumem martírios.
Numa palavra, perdi a esperança de alguma vez podermos ir com a mesma mulher para a cama! Desfizeste-me as ilusões e o mundo tornou-se-me definitivamente um lugar inabitável.
Mas porque honro os compromissos cá estarei na quarta-feira, tal como comecei por dizer.

Abobrinha disse...

Indomável

Boa ideia essa da votação! Vou pensar como posso operacionalizar isso. Mas não pode ser uma votação tipo escolher só uma: tem que ser tipo festival da canção ("Porrrrrrrtúgal zérrrrrrrrrô pueeeeeeens"): é que pode ser a coisa mais pirosa do mundo e arredores, mas é o sistema de votação mais honesto, sabias? Querias saber? Ok, esquece!

Eu protesto: a Scarlett é linda! Aqueles lábios grossos são 50000 vezes mais sexy que os da Keira. E quem é que se chama Keira?? Ok, e quem é que se chama Scarlett? Possivelmente a mãe chamava-se Violet ou Mauve.

Mais que uma votação, acho que vou promover uma avaliação crítica de gajas. E gajos, claro!! Senão intensifico mais ainda a tendência de busca deste blogue: a maioria do pessoal que vem aqui ter, procurou "fufas". Mas há outros termos de busca, que detalharei noutro dia qualquer!

Há uma diferença fundamental entre mim e qualquer dos gatinhos com odor corporal: eu sou mais gira! O que não me parece discutível, dado que os comentadores que aqui aparecem ou são mulheres casadas (que por definição estão meias cegas pelo gajo que as apanhou) ou gajos heterossexuais (que necessariamente não hesitarão em achar-me mais atraente que os quatro magníficos, nem que não seja, nem que não seja para não dar mau aspecto).

Abobrinha disse...

Ah! E tenho mais fotos como as cidadãs do dilema copo meio cheio vs meio vazio! Mas só quando o badalhocómetro estiver quase a estourar!

Abobrinha disse...

Joaquim

A diversidade é do melhor que há. Em gostos inclusive.

Mas eu mexo-me muito, por isso mais que dois na minha cama é gente a mais... ainda cai alguém abaixo da cama e parte um osso, e isso seria um problema! Claro que como a Keira é assim fininha, podia ficar num cantinho. Mas só se não estorvasse e só para não dormir no chão (ainda o furava com uma tíbia daquelas espetadas).

Quarta-feira quero ver!

indomável disse...

Continuo a dizer que a Scarlett e a Keira não. Mesmo com os lábios grossos, a mocinha parece qualquer coisa sem sal (pão não me parece o termo aprorpiado uma vez que me recordo de na adolescência o usar para os rapazinhos mais ou menos engraçados por quem me encantava).
Mas se quiseres ir por esse lado, porque não uma Angelina, a jolie é claro (olha que para olhos de gato, ela sai-se muito bem) ou melhor ainda se formos para tons de pele bem mais atraentes, uma Hale Berry, huuuummmm, ou uma Beyoncé knowles, oh siiimmm, ou queres mais? Olha eu gosto muito do ar saudável da Diana Chaves (aqui bem mais perto), ou então e por falar em coisas doces e boas, porque não aquele avião que é ainda hoje a Claudia Mergulhão...
Heterossexual, heterossexual, casada sim, mas não cega, por favor.
A bem dizer eu e o meu marido gostamos de partilhar análises e apreciações. Digamos que sabemos bem reconhecer a beleza de uma lado e do outro.

Assim, deixa-me lá discorrer sobre o lado masculino... é que já estou a salivar...
Temos aquele espanto de charme e muita... como direi... tesão (pode-se dizer tesão aqui? Só por isto já vais ter uma audiência de 100%. É que hoje estou mesmo tua amiga)... bem dizia eu, o Sr. Pierce, o Brosnan, pois então (e aquela ruguinhas até lhe dão um ar bem apetitoso - da experiência). Ou então temos o bom do Brad, o Pitt, sim, se falámos da mulher porquê marginalizá-lo a ele?
Também gosto muito, muitissimo do apetitoso Keanu Reeves (oh my god, as piruetas que ele me fazia dar!!!).

Olha, a propósito, a fulana que fazia de Trinity no Matrix também não é nada mal lembrada, ou mesmo a Zeta-Jones, de lycra é um mimo. E quem fala em Zeta-Jones, fala em Antonio Banderas...

Oh meu Deus... e agora o que é que eu faço no resto do dia? Chupo no dedo?

E pronto, só aqui já ficas com o blog cotado com o primeiro lugar do ranking de buscas!

Joaninha disse...

Indomavel,

Pois o Pitt o bom do Brad, o bom do Brad Pitt, a maravilhla do Pitt, Brad para os amigos. Sabes desconfio que aquilo deve ter um defeito do genero, cheira muito mal dos pés, o tem um orgão microscopico ou coisa assim, porque Deus não cairia na asneira de fazer uma criatura tão perto da prefeição!!

Quanto aos outro por ti mencionados, assino por baixo ;)

Em relação a gajas. o meu anjo adora a menina do matrix e a mulher do brad. Confesso que a mulher do Brad é realmente uma bomba atomica.
Se eu fosse gajo também babava.
A Jennifer é que já não é muito o meu genero.

Abobrinha disse...

Joaninha e Indomável

Mas que pouca vergonha é esta??? Então o tema é fufas e arte e vocês andam aí às voltas com mulheres heterossexuais (não deito as mãos no fogo pela Angelina) e gajos? E ainda por cima não focam muito os gajos?

E a arte, minhas lindas??? E a perspectiva da nudez versus a não nudez, o homem (ou no caso a gaja) despido de preconceitos e das roupagens que lhe toldam a expressão no dia-a-dia em que tem que obedecer a convenções e códigos de conduta? Sendo assim a recorrência da nudez na arte não será sem-vergonhice mas sim o mostrar a figura humana na sua transparência e pureza.

E o abraço? Sim, o abraço? É um apoio ou um peso? E se é um peso, é falta de ou excesso de? Estou eu aqui a falar para o boneco? A debitar grandes discursos para vocês se centrarem só nas badalhoquices???? Ok, não respondam a essa!

Bem, aviso à navegação aos meninos: isto é um blogue comercial (sem lucro). E de momento tudo indica que as audiências pedem claramente... gajos!!!

Abobrinha disse...

A menina do Martix tem cara de choca! A outra menina do Matrix, a Jada Pinkett Smith é linda. E o marido, o Will Smith é... mmmmmmmmm... yummy!

Anónimo disse...

nunca me iludiste.
bobrinha
...f... de pharphalho

Abobrinha disse...

Pharphalho

Óptimo! É meio caminho andado para não o desiludir! O que é bom, porque a desilusão é uma chatice!

E lembre-se: 290 > 19

Anónimo disse...

optimo é inimigo do bom.
logo....
tudo na mesma.
nunca me enganaste.

...f... de pharphalho

Joaninha disse...

Abobrinha,
Aqui estamos para elevar o badalhocometro para niveis nunca antes sequer considerados e ter o prazer de te ver feliz e satisfeita!
Claro que não tenho a arte e facilidade do Herr Krippmeister para transformar seja qual for o assunto numa dicertação de horas sobre a beleza da imagem de duas mulheres a trocar body fluids. Mas enfim...Ele é Artista eu sou Engenheira e note-se.
Mas antes tenho de protestar relativamente ao teu comentário sobre as mulheres casadas!!
Uma pinoia é que estou cega!!! Eu vejo muito bem...
Quanto a minha necessidade de falar sobre homens nus e não gajas nuas é só porque gosto mais de homens nus do que de mulheres nuas. E isto em todos os campos, quer seja arte o badalhoquice pura e dura ;)
Acho que não demostraste todo o teu potencial badalhocal neste post, os perliminares foram longos mas foste demasiado subtil e o resultado foi uma afluencia de comentários de alto valor badalhocal menos abundante do que é costume ;)
Como disse o António alias.
Vamos dá-lhe ai com alma antes de ligares o lamechometro. Da-lhe cm aquela forca e figor a que nos habituaste!!
Bom já comentei o post, espero ter-te fornecido material para uma resposta digna da abobrinha menina;)