terça-feira, 13 de novembro de 2007

A queca real!!

Finalmente, a pedido de várias famílias, produções Abobrinha apresentam "A queca real", um espectáculo em alguns actos e cheio de badalhoquice. Sexo explícito, nudez, justiça... e uma parolice sem fim!

Atendendo ao público relativamente adulto suponho que todos sabem como se fazem bebés. É através no mui nobre, íntimo e esforçado acto da queca, se bem que depois de ler o post do Desidério Murcho no De Rerum Natura tenha ficado com algumas dúvidas. Uma das quais sendo que não me lembro de o tipo andar comigo na escola, se bem que de certeza que leu humor de fontes idênticas. Isso ou ele tem andado a ler o meu blogue. Ou então, o que eu escrevo aqui é mesmo Filosofia e eu não sabia! Só tenho a fazer o reparo que a imagem de um planeta de José Cids clonados me força a pôr o badalhocómetro a trabalhar horas extraordinárias por não conseguir acompanhar tamanha badalhoquice (não para fazer os clones, entenda-se!).


Entendido que está que se fazem filhos por quecas ou actos médicos equivalentes, não há duas quecas iguais. Mas há quecas reais!


Esperem um bocadinho só por um pequeno parênteses, porque esta do acto médico equivalente parece-me roçar a genialidade (isso! Roça o que quiseres, mas não lhe chames genialidade!). Imaginem um engate com a seguinte linha de pensamento lógico:


-Queres encetar comigo um acto médico equivalente com vista a futura ou hipotética procriação por métodos naturais?

-Depende: só se fores religioso!


-Porquê?

-Gosto mais dos que se ajoelham e rezam!


Como podem ver, a religião não é só beatas! Quando há devoção também há espaço para deus: "oh, meu deus!" é uma exclamação válida quando a oração é bem feita. E respeita a não-crença de ateus porque eu escrevi deus com minúscula.


Dizia eu que se fazem filhos por quecas ou actos médicos equivalentes, não há duas quecas iguais. Mas há quecas reais! As quecas da família. As quecas reais da família real (que giro, q.r.f.r., como f.r.v.r., que em matemática era função real de variável real! Matemática também é badalhoquice!)! Qual é o espanto? Pensavam que um membro da realeza encomendava bebés assim à plebe? Ou que a expressão "sangue real" significava que havia algum tipo de altar da fertilidade em que os membros das famílias reais derramavam sangue e zás! nascia um rebento? Não, os reis e príncipes fazem filhos da mesma maneira que os plebeus: quequinhas, como todos nós gostamos! A badalhoquice é a mesma, os actores é que mudam!


Já estão a ver onde é que isto vai dar, certo? Pois cá está: a queca real, ao vivo e a cores no Abobrinha, como publicada no jornal satírico El Jueves (o jornal que sai "los viernes"!)! Se quiserem passar directamente para a parte da badalhoquice sem o sermão da liberdade de imprensa, é favor saltar 4 (!!!) parágrafos.


É natural que não se tenham dado conta que isto aconteceu, porque isso eu explico: este cartoon bestial foi publicado no dia 20 de Julho a fazer pouco da medida eleitoralista do Zapatero que promete 2500 euros por criança nascida em Espanha. Ao mesmo tempo faz pouco do que quer que faça o príncipe das Astúrias ao pô-lo a dizer "já viste que se engravidares, isto será o mais próximo de um emprego que eu tive?". Não percebo a dúvida, mas compreendo parte da indignação: o emprego do príncipe é mesmo fazer a mulher parir filhos para o suceder na inutilidade do seu cargo, mas é ultrajante dizer que o faz por 2500 euros! Toda a gente sabe que um príncipe custa muito mais que isso, e isso sem contar com o resto da famelga! Insinuar que um príncipezinho minorquinha só custa 2500 euros é um insulto!


Possivelmente por causa deste falso testemunho, todos os exemplares desta revista foram apreendidos, numa manobra altamente eficiente que tem o nome técnico de censura. Mas o pessoal já perdeu a prática com estas cenas da censura, porque a única consequência prática desta porra foi que pessoas como abóboras sem-vergonha reproduzem o cartoon nos seus blogues. Mais: o El País também!


Porque é que acredito que não tenham sabido disto? Porque isto foi noticiado praticamente em nota de rodapé! Se ainda fosse um cartoon acerca de Maomé que fosse condenado por pessoas que não respeitam a liberdade de expressão dos outros, aí sim. Mas a santa Letizia e o S. Felipe não! Isso não pode ser! E, num dos julgamentos mais rápidos da história de Espanha, o cartoonista e o guionista do "El jueves" foram condenados a pagar cada um 3000 euros por ofensas ao príncipe e à coroa espanhola. E eles ainda gozam com a situação! Que mau feitio!


O próprio Felipe sai ao paizinho dele que, num acto de profundo provincianismo e desrespeito pela liberdade e diplomacia mandou calar o Hugo Chavez na cimeira Ibero-Americana quando nem sequer tinha a palavra. O Chávez é um burro todos os dias, várias vezes ao dia, mas é um chefe de estado que estava a ser camelo. Ser camelo por cima dele em vez de agir com a dignidade do Zapatero (e os seus lindos olhos de gato) é só... ser camelo! O rei provou que um burro só por ter uma coroa não deixa de ser burro. O filho irá pelo mesmo caminho? Não sei se terá sequer categoria para tanto, pois não li em lado nenhum que tenha reagido a esta porra do cartoon.


Agora que terminei a omilia, cá vai a badalhoquice! É que eu esqueci-me de escrever que... concordo com a retirada da revista das bancas! É de facto "objectivamente insultuosa" (foi o que argumentaram os juízes) para a família real e eu passo a explicar porquê.


1. Insinua que o príncipe é peludo. Isso é blasfémia, no mínimo! O príncipe, o sex symbol de Espanha, com pelos nas pernas? Ele é o Adónis de Espanha, o príncipe encantado! Com tantos pregaminhos e com esta carreira de estrela porno, faz a depilação de certeza absoluta! E como pode, a laser! Partes íntimas incluídas!


2. A Letizia não pode ter as mamas descaídas, nem naquela posição: a Letizia não tem mamas de jeito! É crime fazer uma insinuação daquelas! Não se faz!


3. O principe com pneuzinho? Não pode! Pois se ele não faz a ponta de um corno, não há-de passar muito tempo no ginásio ou a fazer tratamentos de emagrecimento? Daaah! Eu não o vi como José Castelo Branco a combinar uma dietinha rica em proteínas (eu não disse nada da origem das proteínas) para tonificar e reafirmar? Esta gente não pensa quando levanta falsos testemunhos destes!


4. Para insinuar que a Letizia possa ter o cabelo tão direitinho em pleno acto sexual era preferível ter chamado paneleiro ao príncipe! Não acredito que o herdeiro real tenha deixado a consorte com este ar de enfado e de cabelo saído do cabeleireiro: como é praticante da nobre e distinta arte da queca real, a esta hora teria a Letizia a trepar pelas paredes, desgrenhada, a deitar os bofes (ou outra coisa qualquer) pela boca e a dar graças ao criador, com letra maiúscula ou minúscula (ver observação sobre sexo e religião). Esta insinuação não vale menos que pena de morte! Por decapitação! Com um machado rombo! No mínimo!


5. Os príncipes, como profundamente católicos que são, tinham ao menos que ser caricaturados na posição do missionário. O que é que o missionário tem que ver com isto gostaria eu de saber. Mas isto são daqueles mistérios que não são para cabeças de abóbora perceberem. Esse e o virar para profundamente católica de uma gaja que se estava tão a cagar para o assunto que o primeiro casamento até foi só civil! Seja como for, caricatura só na posição do missionário e com uma nota de rodapé a dizer que o casal real dá quecas reais em várias posições. A ser verdade o que escreveu num comentário o preclaro António uns posts atrás acerca de recomendações para sexo pós-parto em civilizações pré-colombianas e atendendo a que o pós-colombiano implica espanhol e coroa espanhola e partindo do princípio que os espanhois aprenderam umas coisas com os índios... muita sorte teve o casalinho em ser caricaturado ANTES de fazer o bebé!


E acho que é mais ou menos isso! O Saramago também fez uma caricatura de uma queca real com imensa piada no "Memorial do Convento". Mais tarde, e porque um tipo parece que tinha dificuldade em ler sem pontuação, fugiu para Espanha, esse bastião da... eeeeeeeeeeeee... liberdade... de... expressão! Pois! Mas quem é que disse que ele fazia sentido?


A indemnização de 3000 euros por artista também não é coincidência: é o preço de duas quecas reais (eles têm dois filhos, que custam a criar como os outros) + juros + taxas de justiça! Os espanhóis são muito bons de contas! Por isso é que andam a lixar-nos pela medida grande... ou seja, de novo a queca real! Mesmo assim acho que 300o euros por queca é muito: há senhoras que fazem o servicinho por menos e fica bem feitinho à mesma!


Por isso, meus caros, dada a celeridade da justiça espanhola, não se supreendam se este blogue de repente desaparecer e uma abóbora aparecer brevemente no banco dos réus a responder por injúrias à coroa espanhola. Não, eu não tenho BI espanhol, mas isso é um pequeno pormenor técnico: assim como assim eles já invadiram muito isto!
Uma nota positiva: o facto de o "Contra Informação" e o "Inimigo Público" ainda existirem e não haver notícia de processos judiciais ou encomendas com gatos mortos para a direcção ou para os criativos indica que ainda somos uma democracia funcional. Falida, mas funcional! Ou por outra, tesa!

Coincidência ou não, a infanta Helena anunciou hoje a separação do marido. Cá por mim, depois de ver o cartoon do mano mais novo, concluiu que ele era má língua...
P.S. Isto saiu assim um bocado sério demais. Se vir que tal, vou ter que lançar a piada do 69!

47 comentários:

antonio disse...

.

Eis um post todo bem aprumadinho. O enquadramento histórico-social em cenas da nossa intimidade quotidiana. Também com alguma componente didáctica.

Mas chego à conclusão que quando colocas posta com este grau de seriedade, perdes em mistério... não, não vou falar do Sporting.

Abobrinha disse...

António

Estou por entender ainda a coisa so Sporting. MAs eu não percebo um boi de futebol (daí que faça sentido ser benfiquista).

Acho que vou ter que postar qualquer coisa sobre fufas, senão quando tal tenho que fechar o tasco! Ando é com falta de tempo.

trocatretas disse...

Isto não é uma queca.

É uma seca.

O tempo para ler isto tudo daria
para meia-duzia delas. E ir de comboio até Melgaço e voltar sem aparecer o revisor.

Bolas, bolas.

antonio disse...

Quecas com o revisor do combóio para Melgaço? Parece-me uma seca, passo.

Abobrinha disse...

Pharphalho

Já lhe disse que não aprecio rapidinhas. E enjoo que nem um carapau em comboios. Além de que há actividades que são melhores de praticar em recinto fechado. É mais seguro e mais abrigadinho!

Melgaço? Porquê Melgaço?

Você é como aqueles funcionários públicos que fazem greve... mas metem atestado! Então fecha um blogue e abre outro? Você é maluco, homem! Ou, como diz um grande ibérico, "porque no te callas?".

sóescrevooquepenso disse...

Cara abobrinha (Magri?)

Li com interesse este post. A sua prosa é muito interessante. Viva, actual e atrevida. Relativamente ao conteúdo deixe-me tecer os seguintes comentários:

1.º- Zapatero é muito esperto (isso dos olhos de gato já não me interessa muito...). Ainda faz de Espanha um país tão importante quanto a Alemanha. Os 2.500 EUR por criança parecem-me uma óptima ideia. É preciso mercado para se ser grande. Toca a dar quecas (e a fazer filhos de vez em quando .... digo eu...) meus meninos (e meninas), estarão a prestar um excelente serviço ao vosso país.

2.º- Não sendo monárquico, gosto do Juan, pelo que terei de discordar de si. O Ditador Chávez estava a ser muito mal-educado. Teve o que merecia. Agora se o Rei é burro ou não .... já não sei. Não o conheço pessoalmente nem lhe sigo os dizeres.... Faço notar que todos os países europeus com Rei são ricos, será coincidência?!?!? Julgo que sim.

3.º- Quanto à censura, acho totalmente condenável, mas os 3.000 EUR de multa parecem-me simbólicos, e a si?

Não sei se me esqueci de alguma coisa, mas também não faz mal, havemos de ter oportunidade de “falar” mais vezes.

I’ll be back!

Joaninha disse...

Abobrinha,

Eles até ficaram bem no desenho digo eu, mas enfim...
2500 euros por filho parece-me muito pouco, se me oferecerem 10.000 por mês por filho talvez resolva ter um ou dois.

Confesso que ia rematar esta parte do comentário com qualquer coisa sobre a queca sem filhos....and so on, mas ia disparar o Badalhocometro para niveis inauditos e por isso calei-me.

Quanto ao rei tenho de discordar, ele não é nada burro e é pena que ninguem mande calar o filho da p*** d chavez mas vezes porque o tipo é um ordinario e esse sim é burro com um cepo...
Dito isto, não não sou monarquica nem nada que se pareça.

Anónimo disse...

e aí Dear!!!

esse novo "leitor"!! rsrsrs

mas gostei muito do escrito anterior, obrigadinho, sim ...

Abobrinha disse...

Joaninha e SEOQP

O Juan Carlos é totó, mas é boa pessoa e tem olhos de gato. Não tanto como o Zapatero, mas eu não sou muito exigente. E é mais alto.

Onde é que eu ia? Ah, depois dos olhos de gato (são a minha perdição).

Dito isto, quero que o Juan Carlos me deixe em paz: não sou monárquica e não sou espanhola.

Mas vou fazer-vos uma pergunta: se o Sócrates ou o Cavaco tivessem mandado calar o Chávez, não teriam dito que eram uns provincianos e uns parolos? Ora pensem bem! Ora foi isso que foi o Juanito! Com ou sem olhos de gato! Com ou sem coroa. Já nem falo se fosse o Bush ou o Putin, que é para não entrarmos por maus caminhos!

Eu ainda nem sequer falei do Chávez. QUe é um burro, um camelo (mas isso há muitos e alguns mesmo de 4 patas)... e um ditador! Ditador burro, ainda por cima! MAs com petróleo (também não é muito original, mas é o que se arranja). Ou seja, não tenho estimação NENHUMA pelo Chávez e acho que ele vai ter um fim triste! Dito isto, o Zapatero (além de ter os olhos mais bonitos que o Juan) foi 50 000 vezes mais digno e democrático que o Juanito (que tem uns lindos olhos, insisto!).

Um defeito dos espanhóis (que têm muitas qualidades) é de serem excessivamente orgulhosos. Volta e meia corre mal! Aqui correu mal em termos de diplomacia. COmo tenho mais afinidade (se é que restam dúvidas) com Espanha que com o Chávez (eu não disse com a Venezuela, atenção), espero que Espanha não se dê mal. Porque não merece!

Abobrinha disse...

SEOQP

Lá está: 3000 = queca produtiva + juros + taxa de justiça. Gosto de gente que é boa de contas! Odeio caloteiros e gente que reclama só porque não quer pagar ou que pensa que só eles é que merecem ganhar dinheiro.

O Jorge Fiel, num post que parece ter desaparecido do mapa, fazia a apologia do pelo menos 10 minutos para a coisa e tal. Ignoro se os príncipes fizeram a mesma coisa, mas quer-me parecer pela rapidez da retirada das revistas da banda e do processo judicial que são mais adeptos da rapidinha. É quanto perdem!

Abobrinha disse...

Joaninha

Estás confundida! 10 000 euros (por mês?) é mais ou menos o que se para um tratamento de fertilidade! É preciso repor gerações, mas o pessoal não tem fertilidade para isso e não é ético uma série de porras para ter bebés nem se adopta com facilidade

Mas é preciso incentivar a fertilidade... entendeste? Eu também não! E neste caso a culpa não é do meu blogue por não se aprender nada!

Por favor debita aqui o comentário mais badalhoco de que fores capaz! Se for preciso ilustrá-lo, manda-me a imagem, mulher! Mas por favor ajuda-me com a contabilidade dos comentários: então um post com o título "a queca real" tem uns miseráveis 10 comentários? Parece mal!

Abobrinha disse...

SEOQP

2500 euros por criança é... nada! Não é pouco: não é nada! O que é muito é uma rede pré-escolar decente, apoio a tratamentos de fertilidade decentes e a tempo, escolas em condições, acompanhamento médico capaz e de qualidade para todos.

Olhando para tudo isto, parece-me uma ridicularia 2500 euros. Longe vai o tempo em que se tinha filhos para dar rendimento! Hoje em dia, quem decide ter um filho merece ser internado num hospital psiquiátrico até desistir da ideia (piada para o insuficiente acompanhamento de saúde mental). Só as pessoas erradas vão começar a ter filhos pelos apoios que se dão!

Abobrinha disse...

Mas estou mesmo a ver que o que preciso é de um post de fufas!

Joaninha disse...

Abobrinha,

Não estou confundida, a única maneira de me convenceremm a ter crianças seria essa. E olha que mesmo assim teria de pensar muito bem no assunto, mas pronto isso agora também não interessa nada.
Não era assim tão badalhoco o comentário. IA só dizer que me mantenho na queca sem fins procriativos que é igualmente (se não mais) satizfatória e não trás prenda ao fim de 9 meses.

Joaninha disse...

Abobrinha,

Relativamente ao Juan, deixa-me que te diga que não vejo o socrates nem o Cavaco com tomates para mandar calar ninguem. MAs se mandassem calar o Chavez por estar a chamar o Santana Lopes de Fascista a torto e a direito, como ele fez em relação ao antigo PM espanhol, acho que faziam se não bem, e baita palmas de pé!!!
Aquele filho da P*** ssó canta de galo porque tem petroleo, e esse sim é provinciano, ordinario, burro e tudo mais que lhe queiras chamar.
O Rei foi impulsivo, mas fez aquilo que todos os outros queriam fazer mas não tinham tomates. Já não era sem tempo!!!!!

trocatretas disse...

A queca real. É só fomeca.
por que no te callas.!

Iberico? Só presunto.
.
Melgaço é mais distante, leva mais tempo. Até dá para uns Alvarinhos.
.
Greve? não às quecas reais.
.
Greve às rapidinhas. Comum.
.
O revisor fez aguçar o apetite ao António? Resolvam.

sóescrevooquepenso disse...

Cara Abobrinha

Já vi que os olhos de gato são um fetiche (muito engraçado as repetidas referencias ao facto). Olhe estamos de acordo em quase tudo. Gostei particularmente de saber que menos de 10 m não interessa. Eu também acho. O chavascal é para ser bem gozado.......
Quanto às crianças eu exprimi-me mal. O que eu estava a defender era a ideia de podermos ser mais (em n.º) para no futuro podermos ser mais ricos. Isto é um pouco como a pescada-de-rabo-na-boca. Quer ”uma rede pré-escolar decente, ..... etc”?! Alguém tem de dar o 1.º passo.

antonio disse...

Com tanta menina disponível para procriação, num post sobre quecas, o melhor é ficar calado... que ainda sou mal interpretado!

Krippmeister disse...

Pode não ser a posição de missionário, mas a referência religiosa está lá. O príncipe está em posição de padre católico e a Letícia em posição de menino do coro.

Abobrinha disse...

Joaninha

Estou desiludida contigo. Então o mais badalhoco que consegues destilar na Abobrinha é uma consideração de actos médicos equivalentes (piada para brincar aos médicos), sem fins reprodutivos? Quem miséria!

A culpa é minha: o tempo que o badalhocómetro esteve a calibrar obviamente quebrou o ritmo à autora e aos leitores. É continuar a tentar.

Podias, por exemplo, ter dito que a procriação pode ser um fim, mas que é preciso praticar para ficar bem feitinho. E praticar MUITO! Nessas coisas não se deve dar baldas! E entretanto se passar a idade fértil, olha, ao menos já se sabe como se faz! Ou assim uma coisa qualquer.

O que me lembra um episódio que me contava o meu padrinho no sítio menos badalhoco do mundo (ou mais, conforme a perspectiva) a assembleia da República. Não sei bem porquê, um deputado do CDS (muito antes de ser PP) disse que o acto sexual só tinha como finalidade a reprodução... o que até correu mal... porque ele só tinha um filho!

A Natália Correia pegou naquilo e escreveu um poema com imensa piada em que falava no truca-truca e como ele só tinha truca-truca uma vez na vida. Ao que ele se defende com "mas tentei muitas vezes"!

Ao que hoje em dia se responderia "porque no te callas?".

Abobrinha disse...

Joaninha

Mantenho o que disse acerca do internamento em hospital psiquiátrico de casais ou mulheres que queiram ter filhos: é uma loucura! Dito isto, eu sou completamente louca.

Mas as pessoas não se casam para ter filhos: casam para estar juntos. E não pode ser a sociedade ou a família a empurrar os casais para uma paternidade que não desejem muito. Eu vi muitas pessoas a fazer a pergunta idiota "e quando é que têm bebés?" como se fosse necessariamente uma coisa desejada ou possível. O que por vezes não é uma coisa nem a outra. Ou seja, não faço a pergunta, ou pelo menos faço-a quando tenho intimidade suficiente para isso. Não como maneira de fazer conversa de treta.

Uma colega dizia que para ter filhos era preciso querer muito. Eu concordo. Não é só preciso querer. Infelizmente muitas vezes é preciso ainda mais que querer muito: é preciso poder!

Dito isto, é uma pena que não queiras ter filhos: iam ser lindos. Mas tu és linda (em vários sentidos) e isso já me chega... além de que quando um puto teu chegasse a ter idade para comentar aqui, já eu seria assim para o entradota!

Abobrinha disse...

SEOQP

O número é como o tamanho: não é tudo. Acho que o argumento de termos que repor as gerações mais qualquer coisinha é economia de preguiçoso. Dito isto, não percebo grande coisa de economia (nem de coisa alguma) e não sei em detalhe como seria possível outra coisa.

Parece-me, contudo, perverso que se espere que haja mais pessoas a trabalhar/produzir... quando nas que temos há desemprego. Pode-se argumentar que havendo ainda mais, não haverá empregos para esse excesso! Ou seja, planeou-se mal a coisa ou esses desempregados são danos colaterais de algo que funciona? Sinto-me um pouco confusa!

Além disso, há o velho argumento de que tem que se alimentar uma população crescente. E se a Terra vai dando, não sei quando atingiremos o limite (nem eu e quer-me parecer que nem ninguém).

Quanto ao dar o primeiro passo, já muitos casais portugueses dão esse primeiro passo ao terem filhos porque o coração lhes grita para terem um ou dois. Sabem que vai ser difícil, mas avançam, sabendo que não se volta atrás. O problema é que da parte de quem manda não há o segundo passo!

Eu até estaria antes disposta a dizer que há uma rede pré-escolar muito completa (comparada com alguns países é mesmo), mas tenho visto medidas economicistas para reduzir o número de educadoras em escolinhas que são da responsabilidade da Segurança Social.

Se a zona onde moro fosse um daqueles desertos humanos, ainda seria mais ou menos defensável (pouco, mas não daria muito nas vistas). Mas eu moro num sítio cheio de casais a precisar de internamento psiquiátrico (ver o que eu escrevi à Joaninha). POde poupar-se dinheiro em funcionários públicos, mas eu tinha a ideia peregrina que o funcionalismo público era mesmo para servir a população, não para poupar dinheiro. EU às vezes tenho umas ideias assim muito peregrinas.

Abobrinha disse...

SEOQP

Quanto aos olhos de gato, são importantes! Não são tudo, mas são importantes!

Abobrinha disse...

António

A queca sem fins reprodutivos está também contemplada neste post. E daí não, porque este post é sobre a queca real, que tem fins reprodutivos por definição.

Gostei mais do "cartoon" do Saramago da queca real no Memorial do Convento. A parte das pulgas fez-me rir à brava!

Abobrinha disse...

Herr Krippmeister

Só porque a Letizia está de joelhos, não sei se é uma referência religiosa. Além de que nesta posição o menino de coro faria muito barulho e chamaria muito a atenção.

Dito isto, para os meus lados não há meninos de coro mas cinquentões e sessentões (e esposas) que acham que sabem cantar. Ou então jovens que andam na catequese até quase a idade da reforma. Os padres aqui podem simplesmente pensar: nem dado! Dito isto, cantando bem ou mal, cantam mais que eu que já não ponho os cotos na igreja há muito tempo. Sim, estou a ser má língua.

Isto faz-me lembrar uma cena do Apocalypto em que um dos índios se queixa que não consegue engravidar a esposa. Um mais velho dá-lhe uma erva para ele esfregar no coiso e tal para dar potência e ele recolhe-se para orar com a mulher sob as ameaças da sogra que lhe bate e diz: faz-me um neto!

Passado um tempo sai o tipo agarrado ao coiso e tal, aflito porque está a fazer uma comichão louca. E depois percebe-se porque é que eles não têm filhos: a mulher está aflita a lavar a boca! POr muito que o caminho mais rápido para o coração de um homem seja pela boca, não é o melhor caminho para a reprodução! Pelo menos foi o que eu li nuns livros, porque eu não percebo nada disso: sou uma mulher solteira!

E o que é mais admirável nisto tudo é que é sem o recurso à TV cabo (a recepção era muito fraca na selva no século XV). E o católico ortodoxo Mel Gibson ter realizado aquilo... ... voltamos à referência religiosa: ajoelhou, tem que rezar!

Abobrinha disse...

Bem, isto está com um número mais aceitável de comentários.

Agora tenho que me debruçar sobre o post de fufas. Vai envolver uma pesquisa cuidadosa de imagens. É que tenho que procurar uma imagem numa posição muito específica.

O meu computador vai ficar, definitivamente, com o disco duro...

Com tranquilidade disse...

abobrinha,

Não seja ingénua... sempre a teclar e acha que o seu computador ainda não tem o disco duro?

Imodéstia,imodéstia...

Alquimista disse...

Abobrinha
Sem querer fazer disto um forum económico fique só com esta: as empresas (nacionais e estrangeiras) não investem e/ou não são viáveis se o mercado (n.º de consumidores) for pequeno. Claro que há excepções porque outros factores também têm influência como o valor acrescentado, a inovação tecnológica, os incentivos estatais, a localização geográfica, etc, mas a verdade é que a grande maioria (quase todos) dos países ricos têm uma população numerosa (logo um mercado interno grande), e acredite que não é coincidência...
Fico em pulgas para ler esse post lésbico.
SEOQP (Ah, é verdade, mudei de nick)

Abobrinha disse...

Alquimista

Nick fixe! Mas tem o perfil inacessível! Para quando um blogue? Ou está a tentar decidir ainda o que escrever? Se for a receita para transformar coisas em ouro, também quero, que isto desde que comprei a casa as finanças andam um pouco abaladas! Mas isto vai ao sítio, que sou uma menina de contas!

Ainda estou a recolher imagens para o post (e a tentar carregar o badalhocómetro, que quer-me parecer que isto veio mal calibrado e não tem garantia). Mas isto está difícil: tem imagens de todas as maneiras e feitio, menos na posição específica que eu queria! Acho que vou ter que adaptar o texto...

Com tranquilidade disse...

Que raio... as fufas nunca mais se põem a jeito.

Com tranquilidade disse...

Já experimentou pesquisar em www.tvtuga.com?

Anónimo disse...

Abobrinha

Daqui "fala" Alquimista. Estou embrulhado com a "password". Dá-me sempre erro e não tenho onde a ir buscar. Bom indo ao que interessa, a alquimia era mais do que a transformação dos metais em ouro. Era também a busca da panaceia universal (remédio para curar todas as doenças) e do elixir de longa vida que garantiria a longevidade prolongada do Homem. Como vê, um pequeno projecto. Eu de facto já estive a pensar em ter um blogue mas ainda não o estruturei na minha cabeça. Digamos que fazer 1 blogue e depois não ter tempo para o "pôr" interessante é um erro. Quanto ao post das fufas, diga lá do que é que necessita para ver se alguém a ajuda.

Joaquim Simões disse...

Abobrinha, li o texto, achei-o badalhoco q.b. para continuar a vir até aqui. Mas já não tenho tempo nem paciência para ler os 32 comentários com que deparei, por mais piada que eles tenham (e costumam ter) e comentar na mesma linha.
Vá, faz lá o post de fufas para eu me inspirar, que bem precisado ando! E como não sou mais do que os outros, digo-te: fufas (não profissionais) são sempre uma fonte de inspiração (interpreta isto como a tua badalhoquice melhor o entender).

Abobrinha disse...

Alquimista

Carago, então foi-se esquecer do login? Que má ideia: um nick tão fixe! Mas de certeza que dá para reenviar para qualquer lado!

Estou a ver que toda a gente confia no meu grau de badalhoquice para fazer um post de elevado interesse e baixo nível! O que não deixa de ser curioso, uma vez que ando muito cultural. Ou seja, tenho apanhado secas fenomenais, como um monólogo de Brecht sobre o amor, a juventude e o sexo perdidos (não dizia este último, mas estava implícito).

Tive grande dificuldade em não desatar a rir durante a actuação e também em não adormecer. Isso porque não sabia que o panfleto da peça era... uma banana... e todos sabemos o que nos lembra uma banana... vitaminas, claro! E potássio! Muito importante para não dar cãimbras!

As imagens que preciso são muito específicas, mas não sei se estou em condições de as procurar hoje porque estou em modo 200% maternal: faz hoje anos que nasceu o meu sobrinho e estou babadíssima e cheia de imagens na minha cabeça de como era aquela coisinha fofa quando o vi pela primeira vez e como ele olhou para mim, sereno e curioso com aquele olhar de "não me parece que sejas a mamã, mas até és parecida com ela. És tu que vais ajudar a tomar conta de mim, não és?".

Ou seja, por todos os bons motivos, não sei se estou em condições de escrever um post de fufas hoje. Mesmo porque hoje ainda é terça-feira e já estou a dever umas horas à cama. Em parte por causa de uma mulher...

Abobrinha disse...

... claro que é altura de dizer que a mulher foi a minha professora de cycling, que me deixou toda molhada.

Mas não pelo que pensam: fiquei (como sempre) toda transpirada da aula e ainda tive direito a uma queda de tensão no fim da aula, o que não me acontecia há muito tempo (falta de bananas? Não gosto muito de bananas. Do fruto!).

Ou seja, fiquei agitada demais para conseguir dormir a horas consideradas decentes. Isso e tinha que lavar uma roupita. Mas isso não é tão excitante, claro!

Espero que tenham pensado outra coisa!

Abobrinha disse...

Com Tranquilidade

Calma! A pressa é inimiga da perfeição. Mesmo porque eu hoje estou mais para o maternal!

Abobrinha disse...

Joaquim

Ainda bem e ainda mal que estás ocupado: ainda bem porque isso possivelmente implica que estás a gostar do que estás a fazer e ainda mal porque não tens tempo para ler tudo e comentar.

Estou a pensar no post. Não pode sair assim uma coisa qualquer. Mas a porra das imagens é que me estão a aborrecer!

Alquimista disse...

Abobrinha

Parabéns ao sobrinho.

Gostei muito do comentário sobre a ginástica e as referencias à banana .... até fiquei com água na boca....... eh eh eh , se o post das fufas tiver esse nível .....está garantido.

Com tranquilidade disse...

Fufas ao post, JÁ!!!

Parabéns à tia!

Joaninha disse...

Estou com o "com tranquilidade"

Fufas ao post, JÁ!!!

Quando ao ser tia e ao apelo ao instinto maternal. Pois também me acontece, mas dura 30 minutos TOP, depois um deles desata no berreiro ou começa a pedinchar ou coisa do genero e o meu instinto de megera transborda e só me apetece torcer pescocinhos.
MAs fora isso ADORO os meus sobrinhos, em pequenas doses controladas.

PARABÉNS Á TIIIIIAAA!!!

Abobrinha disse...

Com Tranquilidade e Joaninha

Se eu não estivesse com o instinto maternal a estorvar o badalhocómetro (tadinho, qualquer dia dá-lhe o fanico) diria que vocês estava a fazer um trocadilho com post e poste. E isso seria uma grande badalhoquice, que me dá mais uma ideia para uma fotografia!

Mas eu hoje estou mesmo a pensar no meu pequenino e na irmã (que faz anos daqui a uns dias) e não estou com tempo para esses) pensamentos do demo! Mas quem está de parabéns é a minha mana e o meu cunhado, por terem feito crianças tão bem feitinhas.

Abobrinha disse...

Joaninha

Eu gosto dos meus sobrinhos em doses maciças e descontroladas! Este fim de semana vou tentar fazer enfeites de Natal com eles. Ou seja, tentar fazer com a minha sobrinha e ver se os meu sobrinho não os destrói! É uma doçurinha de olhos grandes, marotos e sedutores, mas também é um terrorista de todo o tamanho que não consegue estar quieto.

Com tranquilidade disse...

abobrinha,

Acho muito bem que goste dos seus sobrinhos em doses maciças, que vá tentar fazer a árvore de Natal, mas... e as fufas???

Anónimo disse...

EH EH EH EH EH

ZumZumMataMoscas disse...

Abobrinha,

Estou a recuperar o tempo perdido depois de mais uma ausência em Madrid (por sinal bem divertida).

Adorei o post sobre a Jueves (que creio se publica Miércoles e não Viernes), principalmente porque acompanhei o caso "in loco" quando vivia em Madrid. Concordo que é um atentado à liberdade de expressão, principalmente quando os mesmos que o condenam, são os que defenderam a não perseguição a outros que se atreveram a satirizar outras figuras publicas não menos importantes, tais como o Papa, Cristo ou Maomé.
Já no que respeita ao rei Juan Carlos e ao "Por qué no te callas?", não se esqueça que, tal como dão quecas reais, eles também têm perdas de paciência reais. Só devemos louvar a atitude e lamentar ele não se ter levantado e pregado um grande pontapé nos tomates do Chavez para ver se o gajo piava mais fininho (... nunca melhor dito).

Enfim, como todos os seus leitores mais ou menos assiduos aguardo com impaciência o post das verdadeiras "fufas".

Entretanto atrevi-me a escrever sobre a influência dos dedos no isolamento feminino.

http://zumzummatamoscas.blogspot.com/

Abobrinha disse...

ZumZum

Benvindo a estes lados!

Seja Miercoles ou Viernes, não interessa: não tenho a certeza de qual é qual! E o que interessa é que os tipos têm imensa piada!

Acho que não fui inteiramente clara em relação ao Chavez: ele é um camelo todos os dias e merecia ser mandado calar e piar fininho (em sentido literal e figurado). Aliás, ele é um triste e que vai ter um fim triste! Um palhaço!

Mas... o rei é outro burro, se bem que coroado! O erro de um não corrige o de outro. Pelo contrário: são cumulativos, e o Zapatero não deve ter dado um tabefe ao rei porque dava mau aspecto.

Dito isto, quero que se casem e tenham muitos filhos e não me chateiem de preferência!

O que interessa são as fufas!

Já li o seu post sobre o dedo e hei-de comentar. Mas primeiro tenho que pensar em algo digno (ou indigno, conforme o caso).

Nuno Coelho disse...

Pe