terça-feira, 1 de julho de 2008

Loucura ou talvez não

Um dos sintomas de loucura é pegar em exames médicos e ir para a net ver de quantas doenças exactamente se está a morrer.

Um dos sintomas de sanidade mental é aperceber-se disso, rir-se e pensar noutra merda qualquer.

20 comentários:

Requiem disse...

Então e de quantas coisas estás a morrer tu? Conta lá.

Abobrinha disse...

Próstata. Ando um bocado à rasca da próstata.

Requiem disse...

Deixa estar que da próxima vez já não pergunto.

Uma pessoa a preocupar-se e leva com estas respostas... :(

Realmente... ;)

Abobrinha disse...

Mas é verdade! Estou em pânico porque não tenho próstata! A maioria dos homens que conheço tem e a esmagadora maioria das mulheres não se queixa de nada disso!

Na realidade não se deve passar nada mais comigo que o normal (mais loucura). O mal é querer armar em médica quando não tenho habilitações para tal.

Mas estou a tentar fazer um puzzle...

Abobrinha disse...

Mas digo-te uma coisa: um dia que tenha uma filha chamo-lhe bilirrubina. Nome fixe, não achas?

Requiem disse...

OK, you lost me... :P

Se precisares de falar com um medico da-me um toque.

Requiem disse...

OK, eu reformulo...tu precisas de falar com um médico. Mas é dos da cabeça.

A ver se te receita umas ampolas como as minhas...

Abobrinha disse...

Não preciso: eu ri-me, lembras-te? E depois, de louca não passo. Já não é defeito: é feitio.

Obrigada pela preocupação, mas estou mesmo a tentar não me preocupar. Porque de certeza que não há motivo para preocupações: sou ruim, não posso estar doente. Doenças só parecem afectar boas pessoas, o que me exclui automaticamente.

Prova é que eu pareço ser imune a tudo quanto é porcaria que me testaram.

Abobrinha disse...

Não ajudou ter ido para o ginásio e uma senhora me ter feito o relatório de todas as doenças que tem. Ou por outra, ajudou: eu não posso estar tão doente. Simplesmente porque morreria de tanta coisa!

Abobrinha disse...

Já agora ficas com uma pérola:

- Não se sabe bem ainda de a (doença tal) tem uma componente genética.

- Genética não é, mas quem tem casos na família está mais sujeito.

E atenção que isto foi uma pessoa com alguma formação a dizer isto!!! Dito isto, este foi só mais um de muitos pregos desta pessoa.

Requiem disse...

Ver diferença entre genético e hereditário, ;)

Abobrinha disse...

Agora apanhaste-me: eu uso-os como sinónimos no caso de transmissão de doenças. Isto porque assumo que se se tem um defeito de fabrico alguém o há-de ter passado. Logo, hereditário. Disse asneira?

Abobrinha disse...

Bem, acabei de ler na entrada de doenças hereditárias na Wikipédia "não confundir com Doença genética: é aquela doença produzida por alterações no DNA, mas que não tem por que se ter adquirido dos progenitores; assim ocorre, por exemplo, com a maioria dos cancros."

Agora estou na dúvida se lhe disse genética ou hereditária, mas o contexto era claramente no sentido de a doença passar na família. E depois, não foi o único chuto desta pessoa em coisas de saúde.

Joaquim Simões disse...

Abobrita:
Uma coisa é o resultado de um exame visto por um leigo com recurso a artigos mais ou menos (em geral, menos) sérios que alguém pôs na internet, outra é a leitura desses exames feita com atenção às condições específicas daquele a quem foram feitos. O que é anormal pode tornar-se normal e até desejável, ou mesmo necessário. Posto isto, não encuques e espera pelo que te diga o médico.
Digo eu, que já passei por situações complicadas.
Beijinhos

rds disse...

Isso é o que dá, em receber exames fechados e dar-se ao trabalho de abrir o lacre, por mera curiosidade, e estar a examinar exames de sangue,
e adicionar o sintomático ao imaginario e ler concluindo por conta própria... no mais, vai à farmacia e toma lá automedicação, e etc e tal.
Falta de ferro, etc e tal
mas, como falas demais..

Anónimo disse...

ops, exames de urina....

Abobrinha disse...

MEninos e meninas preocupados com a minha saúde mental e outras

Foi só um vaipe ter-me preocupado. Eu não estou a morrer nem para lá caminho, mas sou cusca e claro que tive que ir cheirar umas coisas e tentar fazer puzzle com o que sabia. É útil no sentido que me ajuda a fazer as perguntas certas.

Mas não estou preocupada: não tenho paciência para estar preocupada com estas coisas. E depois, ganho rugas e fico mais doente se me preocupar, pelo que não me parece que valha grandemente a pena.

Só uma coisa: eu é que estou doente e vocês é que não comentam o post da Pamela e das gémeas! Ah, pois! Vocês têm uns padrões muito estranhos! Isto é sério porque pode comprometer seriamente o grau badalhocal do sítio.

Karin disse...

Abobrinha,
há umas regras básicas para seguir nestes casos:
1-Nunca tentar resolver diagnósticos na net
2-Nunc ler as contra-indicações dos medicamentos que o médico nos passa
3-Evitar a todo o custo conversas romanceadas de pessoas que só sabem entreter-se a falar de doenças

Conclusão: fazer os exames regulares e cumprir as instruções do médico chega. Tudo o resto é treta que nos f... a cabeça.:)
bjs

Abobrinha disse...

Karin

1 - Check! Só estava a tentar ver o que eram algumas daquelas coisas.

2 - Leio mas não ligo nenhum. E como sou meia esquecida, ao fim de um tempo não me lembro e escuto o meu corpo. Houve uma vez que ele falou bem alto e acho extraordinário como é que ninguém ouviu nem viu. Fez-me pensar, por acaso.

3 - MAs nem penses! Quando há disso eu fujo ou corto a conversa. As minhas doenças são discutidas com pessoas criteriosamente escolhidas. O problema foi quando a dada altura tinha amigas médicas em formação fresquinha. Aí tinha que falar de doenças nem que não quisesse! Entretanto ambas se afastaram, por isso deixou de ser problema.

Outra regra: um clínica geral só sabe o que sabe. Não é especialista e sobretudo não é especialista em tudo. Alguns esquecem-se disso e dizer que não a um médico requer alguma arte.

Outra regra ainda: evitar medicamentos a todo o custo. E médicos.

Anónimo disse...

Passo por aqui e vejo uma complicação bestial.
O limiar de doença é que não é nitido, todos podemos estar doentes ou bestialmente saudaveis, depende do patamar onde passamos de doentes a saudaveis. E então nas doenças da carola... vai lá vai.
Rapariga, coloca a fasquia onde bem te aprouver.
atentamente Valetorno