domingo, 13 de julho de 2008

Porque é que o Herman José...

... tem um cinto com brilhantes em forma de triângulo acima do triângulo das bermudas propriamente dito e uma blusa preta com uns olhinhos??? É nestas alturas que me lembro porque é que não me faz falta uma televisão!

(a ver “Chamar a música”)

48 comentários:

Break Silence disse...

Na volta porque se assumiu de vez como gay.
Digo eu....

Abobrinha disse...

Ser gay implica elegância a vestir na maioria dos casos. Não é o caso! Mas pronto, ele também não me pediu a opinião e pelos vistos também não sou o público alvo!

Por acaso não vi o programa mais que uns segundos porque estava distraída com o computador. Pareceu-me o programa fraquito, mas o homem estava com o bom humor que o caracteriza (ou speeds). Fez lembrar um pouco a "roda da sorte", um programa uns furos abaixo de fraquinho na concepção mas que nas mãos dele se tornou hilariante (o que nem era suposto).

Pode ser que ainda volte aos bons tempos, quem sabe? Porque ele tem genuinamente piada quando quer! Mas a moda tem que melhorar!

Joaninha disse...

Abobrinha my love!

Já não há salvação para esse senhor, já não tem piada e está demasiado centrado no seu umbigo para ver a figura triste que tem feito nestes ultimos anos.

O primo dele sem ser humorista tem muito mais piada que ele ;)

Break Silence disse...

Primo?

Abobrinha disse...

Joaninha

Primo? Que primo?

O Herman tem piada e descriminalizou o uso da piada brejeira. A maioria das vezes com nível, diga-se. OK, andou um tempo perdido (possivelmente por falta de concorrência), mas eu tenho fé no homem. Não gostei sempre dele, mas no global deu-me momentos de boa disposição. Pode ser que volte ao sítio... ou não, claro! E se não voltar, paciência: tudo tem o seu tempo e os artistas não são para sempre.

Joaninha disse...

Abobrinha,
Procura no google o nome completo do Herman, ó tótó!

Abobrinha disse...

Isso dá muito trabalho! Diz tu qual é!

Break Silence disse...

Herman José von Krippahl

Paulo disse...

O herman está em decadência completa...

Já nem piada consegue ter. Eu não consegui ver esse programa 5 min... é mesmo mesmo muito mau...

Enfim...

Abobrinha disse...

Mmmmm... de facto esse nome lembra-me alguém, mas o meu é maior (muuuuuuuuuuuito maior). O tamanho não é tudo e o meu não é minimamente colunável... mas é grande!

Lembra-me também que ele não colocou o nome da mãe. Ou seja, não é filho da mãe. Eu sou filha da mãe e do pai. Muito! Em termos de nome, claro!

Eu tenho muitos primos, adoro a esmagadora maioria deles e tenho orgulho na maior parte deles. Mas prefiro ser conhecida por ser eu do que por ser prima deste ou daquele. Se bem que aqui na terrinha seja mais ou menos inevitável ser associada a um primo ou a um tio ou ao pai ou à mãe. Aliás, boa parte do sangue mais antigo nesta terra é da minha família. Alguns são boas pessoas ;-)

Abobrinha disse...

Paulo

EU vi menos ainda e estava com um olho no burro e outro no cigano. O programa pareceu-me muito abaixo de fraquinho desde o dia em que ouvi o formato. Daí que não ter tornado o programa abominável foi um feito só por si.

Mas eu espero que o Herman recupere porque faz falta. Mesmo porque já deixei de achar piada aos Gato Fedorento. E olha que eu gostava dos Gato Fedorento. Talvez seja uma fase??? Cansaço? Não sei, mas quem não achou o Herman Enciclopédia genial atire a primeira pedra!

Dito isto, há mais gente que poderia fazer humor em televisão. Há uma falta de sangue novo que não se justifica.

Joaninha disse...

E pronto para meio entendedor meia palavra basta.

Deixa-me dizer-te que o primo também não gosta nada...

Abobrinha disse...

Joaninha

... possivelmente por isso mesmo
é que não divulga...

Blondewithaphd disse...

E eu que só aqui venho fazer o papel da loura ignorante pergunto: eo que é o "chamar a música" que nos mandaste ver?
Abomino o tipo, e mais abomino por ele partilhar certa naturalidade germânica avec moi même je! Scheisse!!!!!!

Paulo disse...

Agora tens os contemporaneos...O programa de ontem não foi grande coisa mas há uns videos no youtube muito muito bons ;)

*

Carol disse...

Porque é um parolo de primeira!

A sério, eu já idolatrei o homem, mas depois caiu num egocentrismo aberrante e perdeu muito da sua piada. Na verdade, neste momento não me parece que haja grandes nomes do humor em Portugal ou, então, eu não me tenho cruzado com eles! ;)

Quanto ao programa, passei por lá uns 2 minutos no máximo! Não aguentei mais do que isso. Na verdade, até acho que aguentei muito!

Abobrinha disse...

Blonde

Eu não acho isto normal: de repente toda a gente tem metade do sangue fora das fronteiras. Eu sou aborrecida e 200% portuguesa. O meu único exotismo é mesmo não fechar bem a mala. E eu não sou metade de outro país: sou metade de outro planeta mesmo!

E eu não mandei ninguém ver o programa... não desejo mal a ninguém!

Abobrinha disse...

Paulo

Tenho que ir investigar esses contemporâneos com mais atenção. Depois digo qualquer coisa.

Abobrinha disse...

Carol

Bem... a vestir... sim... parolinho graças a Deus! A blusa com os olhinhos já era suficientemente má, não precisava de ter acrescentado o cinto.

Eu não o idolatrava. Nem a ele nem a ninguém: não tenho feitio para tal. E sim, a dada altura ficou muito centrado nele, o que em parte se compreende por não ter concorrência.

Abobrinha disse...

Eu não sei se vocês se lembram, mas a dada altura o que tinha piada era o Badaró, Ivone Silva, Raul Solnado (que NUNCA teve uma molécula de piada na vida) e mais alguns nomes que estão a cair de maduros (ou de podres) e ainda aí estão. O Herman foi uma pedrada no charco! Mas o charco de facto tornou-se um bocadinho pequeno e pode ter passado a lamaçal.

Quando me lembro que foi suspenso um programa dele porque caricaturou o Camões a apalpar o rabo às senhoras... e estávamos em democracia há uns anos! Isto não é normal! Não sei se se achou na altura normal. Tanto quanto me lembro (mas posso estar a esquecer algo), ele só conseguiu regressar depois com a "roda da sorte".

Dito isto, estou a defender o homem nem sei para quê. Eu achei o programa abominável antes de o ver sequer! Gostava que o Herman voltasse como era: com piada. Mas para ser uma caricatura dele mesmo, mais vale retirar-se e manter a dignidade.

O grande erro dele foi ter ficado gay demais. SObretudo quando toda a gente sabe que o que está a dar são fufas! Mas isso é só o meu blogue, suponho!

Abobrinha disse...

Só um pequeno segredo: eu só escrevi este post para o do Salazar não ficar muito em destaque...

Carol disse...

Concordo em absoluto contigo. Ele foi realmente uma pedrada no charco, mas hoje... Enfim, faz-me lembrar aqueles futebolistas que já não aguentam com uma gata pelo rabo, mas que insistem em manter-se no activo!

Marta disse...

o cinto era o máximo (era uma àguia com brilhas), e a camisa do Dino Alves... o progama tem sempre acima do milhão de espectadores, e o que mais me agrada no Herman, é ele fazer com a vida e com o seu muito dinheiro, precisamente aquilo que quer ! de alguma maneira faz-me lembrar o Elton John - ó unico que tem a coragem de explicar ao "lumpen" que a Madonna faz lip sinc. O Herman é culto, fez o "Abitur", tem um ap em NYC (40W55th) e está-se a borrifar para os "pequenos espíritos" como vocês ! e já agora como eu... que o adoro há muito.

Break Silence disse...

Marta, falo obviamente por mim. Acho que somos livres de expressar as opiniões que temos sobre um ou outro assunto.
O lamentável não é dizeres que gostas do Herman, lamentável e vires para aqui mandar bitates a ofender quem por aqui partilha a sua opinião.
Quanto ao "ap" eu prefiro morar no 2750-715 (se não sabe onde é pode ir a www.ctt.pt e procurar).
Quanto ao Dino Alves ou melhor a tal camisa do Dino Alves, prefiro as camisas e os fatos da Brioni.
Já que falamos de moda, digo-lhe que para uns "sapatitos" prefiro os Alberto Fermani que sempre combinam mais com a minha carteira Valentino.
Passe bem

Break Silence disse...

Abobrinha - Desculpa o desabafo anterior, mas irritei-me.
Beijoca

Abobrinha disse...

Paulo

Vi uns vídeos dos contemporâneos no site do programa e fiquei um bocado nervosa com a falta de piada. Hei-te tentar procurar no YouTube, pode ser que tenha mais sorte. Ou sou eu que estou a ficar demasiado exigente?

Abobrinha disse...

Marta

Se reparaste, ninguém chorou o dinheiro ao Herman. Aliás, nem foi questão que se levantasse sequer.

Ele pode fazer o que quiser com ele, mas o cinto e a blusa eram objectivamente um horror (estás a precisar de óculos para dizer que o cinto era bonito). Mas está no direito dele (como tu estás no direito de gostar).

Também o Elton John está no direito dele de fazer o que quiser. Acontece que eu não gosto do Elton John (só se aproveita um par de canções dele), acho-o do mais convencido que há e não trocava uma Madonna por 10 Elton John. A Madonna não soube envelhecer, mas pelo oposto de todos os outros: porque não envelheceu! O Elton envelheceu e muito.

A educação (do Herman e de quem for) é como o tamanho: é o que se faz com ela que conta. Digo-te já que ele deve ter sido o único a fazer o Abitur. Mais ninguém o terá feito, tenho a certeza. Nesta discussão entrou-se com as coisas boas e as más que ele fez com a educação dele.

Dito isto, não tenho jeito para idolatrar seja quem for.

O que não se justificava era chamares pequenos espíritos a mim nem aos meus leitores quando só estávamos a trocar cromos sobre uma pessoa que (de um modo ou outro) nos marcou. Podias perfeitamente ter entrado neste blogue sem ser de chancas. E dito todos os disparates que te apeteça, porque aqui não se aprende nada.

Abobrinha disse...

Break Silence

Estás à vontade para desabafar. Este blogue é para isso e pior (como constatarás se tiveres pachorra para ler para trás).

Fogo, és pior que uma gaja com marcas, pá! Eu acho que não conheço metade dessas marcas!

E sapatos Miguel Vieira, gostas?

Carol disse...

Abobrinha, dá-me licença, só por um instante!

Ó Marta, "pequeno espírito" é aquele que não sabe respeitar a opinião dos outros e que pensa que a sua é a absoluta...

Regressando ao que aqui me trouxe... Passei para dizer que te linkei. Assim, não corro o risco de te perder!

Quanto aos Contemporâneos, sinceramente também ainda não descortinei um momento de humor...

Break Silence disse...

Abobrinha, sapatos Miguel Vieira bom tem um ou dois modelitos interessantes.
Mas aqui entre nos os "pequenos espíritos" eu gosto mesmo e do belo do chinelo de praia lololol

Break Silence disse...

Já agora passa lá n minha barraca que deixei lá um "presente" :P

Abobrinha disse...

Carol

Estás à vontade, mulher! Destila para aí fel, que faz bem!!

Ena! Também te vou acrescentar e à Blonde. Acho que não me fica a faltar ninguém.

Abobrinha disse...

Break Silence

Vou-te contar um segredo, mas não podes contar a ninguém: eu fui à Sport Zone comprar uns chinelos de praia. Vi umas havaianas todas pipis por 15, 20, 25 euros... e trouxe uns chinelos azuis sem marca, iguaizinhos e que faziam o mesmo efeito!

Não sou agarrada, mas não gosto de ser enganada.

Joaquim Simões disse...

Abobrinha:
O Herman já tem idade suficiente e já fez mais do que o necessário para poder disparatar à vontade, num país que não é, pelo menos de momento, para levar a sério e que magoa que se farta a quem, como ele, procurou "dar a volta". E ele espera que compreendamos isso, acho eu.
É por isso que não me choca nada vê-lo assim. Eu próprio penso que só não faço o mesmo porque ninguém tomaria a sério outro ninguém que se apresentasse daquele modo.
Não é ele que devemos lamentar, é o país. O país que esgota a paciência e a vontade de fazer humor inteligente, que o impede mesmo, e usa as armas que sempre usou desde há muitos séculos: a intimidação mais ou menos explícita ou surda, o falapraíqueninguémteliga-e-tens muitasorteemqueagentetedeixeviver. É o país que mata pelo desgosto, o país castrador e hipócrita que o acha ordinário e que adora o Quim Barreiros e dá dinheiro aos pais do Saul, o país onde, como dizia o Carlos do Carmo há pouco tempo, o poder vê os artistas como uma espécie de bobos da corte.
O que vês do Herman hoje é de fazer chorar as pedras da calçada. Mas não por ele.
Beijinhos.

Ana Torres disse...

Joaquim Simões: cada um fala por si. O Herman dá-me tudo menos vontade de chorar. É até um elemento de pesquisa bem estimulante. Apesar dos meus quase 20 anos, descobri um lutador solitário que combateu o sistema em 82 com o Tal Canal, foi censurado pelo governo Cavaco em 88 com o Humor de Perdição, quase banido da RTP em 94 por se meter com "A Ultima Ceia", e arrastado para o processo Casa Pia (sem provas) por ter publicamente criticado um sistema judicial que já todos percebemos estar podre e corrupto. Para além disso devemos-lhe a criação da Rueff, a promoção do Nuno Lopes, a descoberta da Mariza, e a formação durante 5 anos daqueles que são hoje os Gato. Hoje em dia, as únicas gargalhadas que dou são aos domingos à noite. Eu, os meus pais, as minhas manas de 8 e 11, e - pasmem - a minha fantástica avó que tem 83 ! Tenho dito. Herman rulesssssssss !

- com - disse...

Parece-me que o problema com o Herman não é tanto do Herman mas mais das pessoas que o vêm. O que eu quero dizer é que ele teve um "pico" de desempenho elevadissimo durante quase duas décadas, inventou dezenas de personagens, cada uma melhor que a outra. Evidentemente, com o tempo, as pessoas habituam-se à irreverência. Será dificil voltarmos a ter um humorista português a este nível durante tantos anos.
O Herman mudou de registo, hoje é muito mais um entertainer, mas as pessoas, penso eu, continuam a fazer comparação com o Herman da década de 80.

Marycarmen disse...

Pois, eu também me parece que sim. O Herman está a dar o que vende, porque ele gosta (tal como eu) de dinheiro para comprar brinquedos.
Eu própria faria o mesmo se tivesse alguma coisa para vender que alguém quisesse comprar e que eu sentisse que não me estava a aviltar por isso.
Aliás, o cerne desta questão está precisamente no que sentimos que nos avilta, ou não. Uns são mais "finos" que outros, portanto.
Eu aparentemente nisso sou finérrima. Mas só nisso mesmo, though...preferia muito mais ser tosca montada num mini cooper descapotável azul escuro, mas isto cada um é para o que nasce.

Paulo disse...

Pois eu fiquei um bocado decepcionado com, por exemplo, o ultimo programa deles. Piadita fraquinha...

mas há alguns videos que são de rir... pelo menos para mim ;)

*

Joaquim Simões disse...

Ana Torres:
Disseste exactamente o mesmo que eu disse, visto do outro prisma.

Joaquim Simões disse...

Ana Torres:
Há pouco tinha ainda um pouco menos de vagar do que aquele que tenho agora.
Esclarecendo por isso um pouco mais: o apoio dado pelo Herman à formação e promoção de novos talentos é coincidente com o manietamento perverso, mais ou menos discreto, a que foi sujeito progressivamente. O prazer que possa ter tido em fazê-lo (e teve-o, seguramente) não anula a indisfarçável mágoa e o visível nojo com que falava de tudo isso num documentário biográfico transmitido aqui há uns tempos no canal História.
O Herman é apenas mais um e o mais actual e mediático exemplo da estreiteza de vistas que desde há alguns séculos(aqueles em que se verificou a nossa decadência histórica e que culminou com o período do Estado Novo salazarento), tem assassinado animicamente o povo que (sobre)vive aqui à beira-mar. Aquele que, como dizia o Jorge de Sena, professor durante grande parte da sua vida na Univ. de Berkeley, tem desde há séculos como profissão exilado.

Abobrinha disse...

Paulo

TEnho que lhes dar outra oportunidade. Mas acho que o (muito) que se disse acima acerca do Herman explica em parte o meu descontentamento: tenho falta do génio que foi o Herman no seu pico.

Abobrinha disse...

Meus caros

Para a próxima faço um post sobre a Fátima Lopes e a Tertúlia cor-de-rosa! É mais consensual (acho!). Dito isto, para quê consensos? A confusão às vezes é mais construtiva. O que é irónico é que este post era para não dar importância ao anterior, que me aborreceu escrever.

Como disse, é do Herman José genial que eu sinto falta e acho que ele poderia perfeitamente voltar ao que era. Compreendo que a Ana se ria com o Herman: a concorrência está fraca, de facto! E, como eu disse, ele mantém um humor e uma boa disposição contagiantes. Acho que se o humor estivesse ao nível do Herman no seu melhor não haveria lugar para malucos do riso e outros que tais... era um favor que me fazia a mim, ao país e ao planeta. Mas ele não me deve favores, é verdade!

Em relação ao que ele é em pessoa, não sei nem quero saber: eu não consumo muito revistas cor de rosa (só quando vou ao cabeleireiro e vejo os títulos quando compro o jornal). Sei que deve ter sido complicado esconder uma homossexualidade no tempo em que possivelmente se deu conta (ele e possivelmente os que o rodeavam). Não é como os meus (muitos) amigos homossexuais, que são capazes de ver grandemente a sua orientação como a coisa natural que é. Uma coisa é certa: foi sempre honesto e nunca enganou ninguém fingindo uma namorada que não tinha. Isso é de macho e não é para qualquer um! Talvez venha daí determinadas personagens que ele fez: riu-se a demonstrar o que na realidade era e a ser pago por isso. Mas eu não tenho que gostar!

Respeito o artista, mas só vejo o seu passado pelo que ele fez e o que pode fazer. E ele ainda dava muito! Mas não consumo o que ele quer dar de momento e não creio que tenha obrigação de o fazer. Nem de consumir aquela maneira de vestir pavorosa: aquele cinto deve ser contra a lei aí de 50 países!

Joaquim Simões disse...

"Mas não consumo o que ele quer dar de momento"

Eu também não, só que substituiria, dentro de certos limites, "o que ele quer dar" por "o que ele pode dar"

"e não creio que tenha obrigação de o fazer"

Nem tu nem eu nem ninguém.

Mas todos estivemos de acordo em que temos saudades do Herman. O que já o consolaria, penso eu.

Abobrinha disse...

Joaquim

Espero que console, porque não se pode esquecer o que ele fez em termos de humor. E foi muito!

... mas o CINTO, homem o CINTO!!!!

Anónimo disse...

OS CINTOS DO HERMAN: http://www.cowgirlglitter.com/bbsimonbelts.html

OS CINTOS DA ABOBRINHA:
http://www.flickr.com/photos/ugosan/2170111628/

Joaquim Simões disse...

O cinto, Abobrita, era IMPERDOÁVEL!!!

Abobrinha disse...

Anónimo

O meu cinto é bem fixe! Mais que os do Herman.

Faz-me lembrar aquele senhor de guerra que foi para a guerra e deixa um cinto destes aplicado na mulher... com uma guilhotina aplicada e um séquito de guardas fieis a guardar a febra!

Volta da guerra e pede-lhes para sacar o material... e está tudo amputado! Tudo menos o último.

- Vocês são uma vergonha! Aqui sim, temos o exemplo de um homem digno, honrado, fiel. O que tens a dizer?

- mngggffmmmmm (som de alguém a tentar falar sem língua)

Abobrinha disse...

Joaquim

Obrigada... por um momento pensei que estava a ficar louca!