domingo, 11 de janeiro de 2009

Porque é que eu não vou muitas vezes ao cabeleireiro

Tenho trauma com o cabeleireiro desde pequenina. Mas não vamos entrar por aí.

O meu trauma com cabeleireiros em adulta prende-se com o tempo de vida que perco naquela cadeira e o dinheiro que gasto lá. É um dos motivos por que não pinto o cabelo: ia ter que passar a ir lá com uma regularidade que é incompatível com a minha (débil) sanidade mental. Os homens até apreciam ver uma mulher com um cabelo todo pipi e mais não sei quê, mas não estão bem a ver o investimento que aquilo é. Por alguma coisa muitas não se contentam com menos que um homem rico (porque têm que manter aquilo, pá!).

Esta semana fui ao cabeleireiro cortar o cabelo, coisa que não fazia há pelo menos um ano, o que contribuiu para que desenvolvesse uma gadelha muito considerável que adoro mas precisava de manutenção. E lá fui eu!

Ao secar há a pergunta crucial para quem tem um cabelo nem-carne-nem-peixe como o meu (leia-se: nem é encaracolado nem liso, mas um ondulado variável): esticado, ao natural ou como é que quer? E eu não queria liso, artificial como se fosse para um casamento: queria ondulado, como ele é naturalmente. Mas com o ar minimamente sofisticado de quem foi ao cabeleireiro. Portanto, quando ela me disse se eu queria que secasse com o difusor e espuma (como tantas vezes me fizeram), eu disse que sim.

Por esta altura convém dizer que eu estava de óculos e os tinha tirado por causa do secador. Quando voltei a pô-los pensei: e agora ela vai fazer alguma coisa, porque isto não está com ar de quem foi ao cabeleireiro! Mas não, ela tinha acabado! E perguntou com ar triunfante: assim está bem?

Aqui fiquei num dilema de ser ou não honesta, que resolvi rapidamente: não! Ela ficou perdida. "Mas não como?"

- Menina, perguntou-me a opinião e eu sou sincera: aquilo - apontando para o espelho - sou eu quando acabo de acordar. Ora se eu queria aquele aspecto, não tinha mandado secar: tinha saído daqui com o cabelo molhado e ele secava naturalmente.
- Mgfsm... - sim, a resposta foi mais ou menos isto - não compreendo...

- Caramba, eu disse-lhe que não está bem, mas você tem que usar o seu sentido crítico! Olhe para o espelho e veja se assim está bem! Tem aspecto de que fui ao cabeleireiro? Não: parece que acabei de acordar!
- Mas menina, foi o que me pediu: para secar com o difusor! Foi o que fiz! É assim que fica! O meu está assim: com os jeitos naturais que tem, não mais!

Resposta que eu era para ter dado:
- Se era para ter o aspecto de quem despejou um bidão de azeite na cabeça, eu fazia isso em casa. Mas eu vim cá para ter um miminho no aspecto do meu cabelo. Obviamente foi um erro!

Resposta que eu dei:
- Ouça, o meu cabelo está todo no ar e não tem de todo aspecto de ter sido mimado nem cuidado. Eu não gosto! E foi isso que você me perguntou: se eu gostava, se achava que estava bem!

E a conversa continuou assim até que se chegou ao compromisso de ela secar com a escova e lhe dar um aspecto algo mais sofisticado. Odeio ter razão, mas realmente eu tinha alguma ao não gostar de ir ao cabeleireiro. Ora porra! OK, regra geral a coisa não corre assim tão mal (não é assim difícil tratar do meu cabelo), e eu só choro o dinheiro que considero excessivo. Dito isto, ninguém fica contente na hora de pagar, não é? Mas normalmente dilui-se quando olho para um reflexo e penso "aquela gaja é mesmo gira" para depois reparar que sou eu!

E pronto, pensei logo: tenho que fazer um post acerca disto. E pensam vocês: mas tu és louca, tens que fazer um post acerca de tudo? Bem... ... ... não... o que prova que eu sou louca foi ter pensado: o que é que a cabaleireira escreveria se tivesse ela um blogue ao descrever este episódio? E se bem o pensei (eu avisei que precisava de cuidados psiquiátricos!), melhor o fiz: o texto a seguir é o post imaginário da HairStylist, profissional de cabeleireiro desde 2001.

Queridos leitores

Sim, a vida de uma Hair Stylist (cabeleireira é coisa do século passado) não é a beleza, o glamour e as bisbilhotices regadas com muita laca que todos pensam. De vez em quando aturo com cada uma que me faz perder o amor e respeito à profissão. Tenho mesmo que vos contar porque é hilariante ver até onde vai a estupidez das pessoas hoje em dia!

Imaginem que me apareceu lá no estaminé uma fulana com o cabelo com aspecto de quem não ia ao cabeleireiro há minimamente um ano e cheia de brancas. Tudo normal, pede-me uns miminhos no cabelo (shampoo para cabelos secos, máscara, cenas para as pontas que custam tanto uma aplicação como meio frasco e tal) e para cortar pouquinho.

Até aqui tudo bem. Até que lhe perguntei como é que queria secar. E ela meia vaga e não sei quê, que queria o cabelo seco com o difusor e espuma, para ficar ondulado. Vocês não estão a ver: a gaja até nem é nada de especial, mas eu consegui realçar os traços dela, o volume e os jeitos do cabelo dela. Uma obra de arte o que eu fiz! Naturalmente, dentro dos limites, que nem eu (que fui treinada nas melhores academias de hair stylists e possuo amplas qualificações na valorização da imagem feminina) faço milagres. OK, digamos que a gaja estava aceitável! Pronto, sofrível! Dadas as limitações! Nada que se compare com a minha beleza natural e a minha trunfa espectacular, claro!

E ela? Acham que apreciou o meu trabalho? Acham que deu valor ao parecer praticamente uma deusa depois de ter passado pelas minhas mãos? Não: que eu olhasse bem para o espelho, usasse o meu espírito crítico e visse como estava mal! Que parecia que tinha acabado de se levantar da cama! Olha se ela tivesse ficado a dormir hoje é que me tinha feito um favor! É só malucos que eu tenho que aturar, francamente!

E pronto, tive eu que gastar mais meia hora com a gaja e sequei-lhe o cabelo com a escova. Mesmo sabendo que já lhe tinha massacrado o cabelo com espuma e gel! E toda a profissional sabe que o cabelo não pode ser seco depois de ter aplicado aquela cena toda. Mas a gaja era estúpida, que é que se vai fazer?

E ainda ranhosou quando acabou! Que "ah, e tal, isto hoje correu um bocado mal". Claro que correu: ela apareceu à minha frente! Olha, ao menos pagou! E que não volte tão cedo, que eu tenho um limite de uma louca de ano em ano. Estúpida!

E pronto, a prova de que eu não bato bem... se é que era mesmo preciso!

23 comentários:

L!NGU@$ disse...

LOL! Aposto que esse texto estará por aí, por um qualquer blog. Muito bom!

Eu mesma! disse...

Lindo!
Concordo contigo...
o meu cabelo era liso e com a famosa mudança de idade passou a ter um ondulado a que eu chamo de estupido!

Entao quando apanha humidade... bota estupido nisso...

e realmente a questão do difusor... no meu caso nas poucas e raras vezes que vou ao cabeleireiro (por acaso tenho que marcar) secam com o difusor até meio do cabelo para baixo apenas... do meio para cima esticam mesmo para eu não parecer o abominável homem das neves que acabou de acordar mas concordo contigo...

as horas que se passam naquelas cadeiras desconfortavéis..... santa paciência!

Burning man disse...

Eu tenho uma grande vantagem sobre ti: peço sempre pente três dos lados e atrás e uma aparadela em cima e nunca falha. :)

NI disse...

Já por causa das coisas peço sempre o cabelo liso.

Deixa lá miuda, o que importa é que o cabelo ande limpo e bem tratado.

:-)

Abobrinha disse...

L!ngu@$

O pior é que é perfeitamente plausível. E se ainda tinhas dúvidas de que a minha mente é uma coisa complicada, o mais giro seria um comentador aqui me apoiar porque a cabeleireira tinha sido assim um bocado totó e no lado dela dizer que com clientes assim mais vale passar fome!

Mas olha que é perfeitamente plausível quando a malta anda aí a lamber as feridas de desgostos de amor! O máximo!

Abobrinha disse...

Eu mesma

Mas eu gosto do meu cabelo ondulado e com volume, com ar selvagem. Mas quando eu disse que ele estava no ar, eu queria dizer sem estrutura! Ou seja, como quando eu acordo!

QUanto a mudar com a idade... bem, o meu já foi esticado, vários graus de ondulado, preto e vários tons de castanho. A dada altura andei assustada porque ele caía-me de uma maneira estúpida, mas reparei recentemente que houve uma renovação muito acentuada! Fiquei feliz!

A parte boa é que se lê revistas cor de rosa! Sabias que a Margarida Vila-Nova teve um bebé e o marido andou à porrada com os jornalistas? Ah, não sabias, pois não?

Abobrinha disse...

Burning man

Pois... ... era capaz de ficar um bocadinho esquisita! E daí, quem é bonita fica tudo bem!

Mas com este frio, a juba ajuda muito a manter o calor!

Abobrinha disse...

NI

Pois, mas eu gosto de complicar! Mas acho que nunca me apareceu uma totó tão grande!

SIm, é importante que ande limpo e tratado... mas eu paguei e paguei bem, carago!

Eu mesma! disse...

bem...
confesso que não fazia a minima ideia!

Abobrinha disse...

Eu mesma

Isso só quer dizer que empregaste melhor o tempo que eu! Mas pronto, alguém tem que alimentar os cabeleireiros! As revistas cor de rosa é que deviam morrer à fome!

Bacardi disse...

Ah, é tão bom ser gajo. A minha Hair Stylist (cabeleireira é coisa do século passado) já sabe o que tem a fazer: máquina de lado, tesoura em cima, não mexer atrás. Sou um bocado exigente, eu sei, mas ela safa-se bem. No que toca a pentear, ela nem lhe toca. Sou eu que trato de tudo. Isso para evitar situações como a tua. Assim garanto que saio de lá completamente despenteado, e não só um bocadinho despenteado ou com penteado à Paulo Bento. De resto, ela gosta imenso de mim, e recebe-me sempre com um sorrizo. Ok, ela andou comigo ao colo, e é amiga dos meus pais há varios anos. Mas isso não interessa.
Mas sabes (ou saberias, se frequentasses mais cabeleireiros) que essa tipica pergunta no fim do “gosta?” é para ser respondida automaticamente com um “sim”. Se realmente não gostares, chegas a casa e lavas. Com ou sem azeite, consoante prefiras o look 60’s ou 70’s.

rds disse...

uma coisa te digo: ao cortar o cabelo sempre estranha-se, e após 1 semana cai bem!
Nem sempre gosto tambem!

Sadeek disse...

"Os homens até apreciam (ver uma mulher com um cabelo todo) pipi!!!" Só para chamar a atenção que na frase transcrita parece que há palavras a mais. E sim, gostam e até pode ser com ar de quem se levantou agora (mas já lavadinha, ok?) HAHAHA

BEIJOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

pinxexa disse...

Eu, ao contrário de ti, adoro ir ao cabeleireiro. Faço questão de ir regularmente (2 x por semana) e adoroooooooooo...... É um luxo que não dispenso!
Não são só os homens que nos gostam de ver pipis! Nós tb gostamos de nos mostrar pipis!
Cheira-me que vem aí alguem comentar esta dos pipis. Hum...
beijoooo miuda!

Sadeek disse...

Ai Pinxexa...andas a dormir...é o que é...alguma vez eu deixava passar esta?! AHAHAH

O pensador disse...

Não sei se foi impressão minha mas pareceu-me ouvir aqui alguém a falar em pipis?!

:-)))

(Ps: Abobrinha, este teu post está delicioso!)

Cor do Sol disse...

Eu também detesto perder tempo no cabeleireiro. A minha meta é mesmo de 3 em 3 meses para cortar as pontas. Desta vez aventurei-me e tirei metade do meu belo e forte cabelo :P

O meu cabelo também é o que se chama nem liso nem ondulado...lol.

Abobrinha disse...

Bacardi

Eu também tinha uma dessas cabeleireiras desde pequenina... foi ela que me causou o trauma, porque tratava a minha gadelha mais ou menos como a tua (mas eu sou uma menina). Depois desse vieram mais traumas com cabeleireiras, mas eu poupo-te à saga.

Isso de responder que sim à pergunta sobre o cabelo é o equivalente a um orgasmo fingido.

Dito isto, eu não tenho orgasmos por causa de um cabelo bem cortado. O que prova que mantenho alguma (pouca) sanidade mental.

Abobrinha disse...

Raiodesol

No meu caso, no dia a seguir acordei como se não tivesse ido ao cabeleireiro em primeiro lugar. Ou seja, um desperdício de dinheiro!

Abobrinha disse...

Sadeek

Há outras combinações com "cabelo" e "pipi"... ... mas na volta fica para outra altura!

Palavras a mais? Mas tu já sabias que eu era palavrosa, pá!

Abobrinha disse...

Pinxexa

Credo, duas vezes por semana? Fogo, ganhaste o euromilhões? Mais que não seja porque tempo é dinheiro e pareces tem montes dele. Isso ou tens o teu cabeleireiro a tratar-te muito rápido do pipi... ... do cabelo! Digo, do cabelo!

Abobrinha disse...

Pensador

Yup! Falou-se em cabelos e pipis. O que é maravilhoso é que na altura que eu escrevi essa combinação, não pensei nas consequências... sorte tenho leitores que pensam em tudo! Yeeeeeeeeeeeah!

Abobrinha disse...

Cor do sol

"tirei metade do meu belo e forte cabelo"

... credo! Isto não é coragem: é loucura! E... ficou bem? Eu gosto do meu tipo juba! E tenho pena de não ser mais juba!