quinta-feira, 6 de março de 2008

Freira madeirense trava NATO

Não acho isto aceitável! É o cúmulo! Somos uma sociedade laica, com separação entre o Estado e a Igreja! Isto não pode acontecer!

Que a nossa realidade no nosso país seja ainda muito moldada pela igreja eu vou aceitando. É uma influência que não se trava de um dia para o outro, mas tem que ser um esforço contínuo!

Eu sou a primeira a reconhecer que as freiras em particular tiveram um contributo muito importante para a nossa cultura: quem não gosta de doces conventuais? Pensando bem, doces conventuais são à base de ovos e ovos e ovos (desconfio que naqueles aviários até os galos poem ovos!). Isso destrói a vesícula de qualquer cristão em condições (e mesmo de ateus!)! E eu sou uma cristã em condições, que gosto de doces conventuais mas fujo deles como o diabo da cruz (por assim dizer).

É a ideia de pecado! Numa ironia suprema, as freiras inventaram a deliciosa barriga de freira, que a minha dieta vegetariana permite (é estritamente vegetariano, mas tem ovos de galo se for preciso) mas a minha vesícula, os meus glúteos (aqui “rabo” ia ter uma conotação estranha) e as minhas coxas não! E o que a minha vesícula não quer, a minha vesícula não tem: é dos órgãos mais nobres do meu corpo, o que reforça a ideia que eu sou um pouco estranha.

Portanto, estabelecida que está a influência das freiras na sociedade nacional, é o cúmulo que afrontem uma instituição internacional. Militar ainda por cima! E será com objectivos inteiramente pacifistas? Não sei! Ora vamos ler a notícia, aqui no Expresso.

"A Freira da Madeira (Pterodroma madeira), embora seja uma pequena ave, é uma espécie protegida na Região Autónoma da Madeira, que poderá travar o arranque da obra para a instalação de um radar do Sistema de Comando e Controle Aérea (POACCS), no Pico do Areeiro."

Oooops... é que isto é que é a freira... possivelmente precipitei-me...



Eu pensei que seria uma destas...

Ou uma destas, capaz de acolher no seu seio (e que seio!) muito santo e muito pecador! E por mais 7 libras pode-se comprar um chicote! O pecado tem que ser punido! Não tem é que ser uma coisa má, não acham?

Agora numa nota mais séria, fiquei com vontade de ver este filme. É que eu tenho fé em Deus, mas a minha fé nos homens é mais complicada. Na realidade, tenho fé que a crueldade dos homens é ilimitada e capaz de se revelar em qualquer altura.

Claro que estas freiras, neste outro filme descritas deste modo:

A convent is gripped by a kind of mass-nymphomania that turns the occupying nuns into depraved pleasure seeking creatures of evil.”

Para quem não percebe inglês, isto significa “num convento uma massa de freiras ninfo-maíacas combate as criaturas do mal”… lá está, o mal tem que ser combatido! E então se envolver ninfomaníacas ainda melhor. Claro que a tradução está “um pouco” distorcida, mas isto é a Abobrinha e tudo o que eu quero que seja distorcido será distorcido! Especialmente se fôr para envolver ninfomaníacas! Isto seria um filme fixe para passar no Fantasporto, especialmente no Sá da Bandeira. Quem não é dos arredores do Porto não entendeu a piada, mas eu um dia destes hei-de dedicar um post a isso (e envolve ninfomaníacas mesmo).

1 comentário:

leprechaun disse...

Olha... ninguém gosta de freiras?!

Pois... parece que os colégios delas trazem más recordações... I don't know why!

Eu cá por mim sou bem monge...

Rui leprechaun

(...feijão-frade de ti longe! :))