segunda-feira, 16 de junho de 2008

Manual prático para gajas que querem correr sem que as mamas caiam ao chão

Um dia destes frente passava eu de carro frente à Faculdade de Farmácia quando passa uma senhora a correr. Tão inocente acto deixou em mim sequelas psicológocas irreversíveis, não pela pressa da senhora mas pela visualização dos seus seios aos pulos, reclamando liberdade da opressão da camisola verde que envergava. Na realidade, estavam com grande vontade de sair por ela fora, correr e ir fazer paragem ao autocarra para que a dona entretanto chegasse lá. Na altura continuei, fermosa e mas já não segura de que algo de errado se passasse ali.

E assim ando, cismada com aquela figura. Seria aquilo normal? Mas se a mulher nem tinha as mamas assim tão grandes! Pois se fiquei perturbada é porque não deve ser normal, senão já me teria habituado... acho eu! Eu terei algum dia feito aquela figura? Não creio! Mais: não me lembro de muitas mulheres a fazerem aquela figura. Mas lembrei-me logo: isto dava um post bestial e cheio de badalhoquice!

Ocorreu-me a minha infância, quando as mamas ainda não me preocupavam por não as ter. As senhoras corriam para as fábricas aos enxames. As fábricas emitiam um alarme tipo aviso de ataque aéreo 10 minutos antes da hora de entrar e elas tinham que correr a bem correr se não queriam que lhes fosse descontada uma hora no salário. Mas as mamas delas não saltavam em virtude de duas técnicas:

1. Não correr mas caminhar muito rápido, quase como se tivessem vontade de fazer chichi. A componente paralela ao chão da velocidade suplantava em muito a perpendicular, o que dava muitíssimo menos liberdade ao seio para saltar. A bem da nação e da produtividade no trabalho (a outra técnica de produtividade era tempo limitado para ir à casa de banho);



2. O cruzar de braços. Muitas vezes tomado como um acto de desistência era para estas mulheres uma maneira de controlar os seios na sua excitação de ir trabalhar (os homens que com elas trabalhavam) e ganhar dinheiro que lhes permitia dignidade e pão em cima da mesa.

O que me fazia confusão é que os homens iam trabalhar de mota ou de carro, o que nessa altura era natural porque não havia dinheiro ou carta para elas. As mulheres mais tarde passaram a ir de carro, mas entretanto a maioria das fábricas fechou de qualquer modo, o que acabou de vez com o drama de impedir o balouçar dos seios.

O que impede então uma mama de ter vida própria, fora o cruzar de braços? Em francês, um soutien. Um sustentador, portanto. É chique, não é amaricado, pelo que os portugueses adoptaram a palavra como sua. Os alemães chamam-lhe “sustentador de mamas”, ou Buestenhalter, ou BH. O que fez o Herr K indagar porque é que com tantos erros no registo civil não podiam ter escrito Hrippahl em vez de Krippahl para poder assinar BH em vez de um exótico mas inócuo BK (Hippahl foneticamente também teria muito potencial). Nessa altura teria definitivamente ido trabalhar para a Alemanha. Possivelmente para a Victoria’s Secrets. Como designer, como vendedor ou só como apreciador de mamas, embora não esteja convencida que isso seja emprego (ou um emprego mais que aceitável numa agência de modelos). O inglês bra também deriva de uma palavra francesa, mas é um bocado como as minhas vizinhas que diziam trússes em vez de cuecas. Ou seja, uma parolice.

Há coisas que temos que encarar: os seios balouçam sempre. Isso é bom e quando nem sequer acontece é um outro problema inteiramente diferente. O truque é que seja só o suficiente e não demais.

Sendo assim, quando uma gaja vai à aeróbica tem que usar um soutien de ginástica. É que, ao contrário de tudo o resto, é bom que as mamas se mexam o menos possível (entre outras coisas porque não têm músculo). O que me fez estranhar uma coisa que vi na Sport Zone há um tempo, que era o soutien de ginástica de marca própria e que não passava de uma gaze ligeiramente elástica. Um soutien de ginástica não pode ser uma tripa inerte, mas aparentar-se com algo entre um colete à prova de bala e um espartilho. De contrário, coisas muito más podem acontecer.

Um soutien para o dia-a-dia é mais complicado e não pode ser para um post. Teria que ser para um tratado, e eu não tenho tempo para isso. Mas um soutien, seja para que ocasião for, tem que sustentar e dar forma. De preferência arrebitada! E vocês já estão a ver no que é que isto vai dar, certo? No Wonderbra!

O Wonderbra apresentou a Eva Herzigova e as “gémeas” ao mundo. Como se vê na imagem, o forte da Eva e no que toda a gente repara em primeiro lugar são os seus lindos olhos azuis. Depois desta publicidade uns anos, os seios da Eva passaram a ter uma função essencialmente utilitária, já que serviram para amamentar o filho (presumivelmente o pai também brinca com eles). Garanto que quando a Eva corre nada salta. É que o wonderbra é muito confortável e firme, perfeitamente seguro para correr para o autocarro sem passar vergonhas. E se a camisola descair ligeiramente também ninguém passa vergonha, porque o soutien é lindo e fica bem em qualquer lado (nomeadamente no chão do quarto de algum naco de carne mais bem escolhido).

Esta cidadã também fez publicidade ao wonderbra. E fora o fotógrafo, houve um jogador da seleção francesa que também brincou com o conteúdo, porque esta cidadã é a Adriana Karembeu. Uma curiosidade: este delicioso naco de carne é... vegetariana!



Não sei quem é a cidadã que agora aparece no site da Wonderbra, mas nestas duas imagens a minha dúvida é: choca, vontade de fazer chichi, prisão de ventre ou um tiro no fotógrafo? É que a moça é linda, mas as fotografias estão uma lástima! Ou sou eu que sou esquisita? Com a música do site também me estava quase a dar uma coisinha má.



A coisa deve melhorar em breve porque a próxima artista convidada é a Dita Von Teese. Que já foi casada com o Marilyn Manson.

Portanto estão a ver que a figura que fez a senhora à frente da Faculdade de Farmácia foi perfeitamente escusada, mas teve um bem: pôs-me a escrever porcaria. Se quiserem saber tamanhos e copas, têm este site. Pode dar jeito... especialmente se arranjarem alguém de jeito para vos tirar as medidas! O que é um pouco inútil quando só se precisa de uns suspensório, como a outra.

25 comentários:

Joaninha disse...

Abobrinha,

Os Wonderbra são realmente fantasticos, nem todas temos é o par de bolas que tem a Eva, mas enfim...

Abobrinha disse...

Joaninha

Pois o truque é mesmo esse: as mamas da Eva são pequenas, mas parecem um pedaço mais impressionantes com o wonderbra. E uma coisa te digo: não saltam quando ela corre!

Requiem disse...

E isso é que é pena...seria um mundo bem mais bonito se estivesse repleto de "Evas", ou então não, começava a enjoar.

Não se preocupem com isso, que as "grandes" chamam mais à atenção, mas como um amigo meu diz, tudo o que seja mais do que uma mão cheia é desperdicio.

Abobrinha disse...

Requiem

Se é mais que uma mão, usam-se as duas. Se mesmo assim não chega, usa-se a boca! Isso são desculpas de mau pagador!

O mundo devia ter mais Evas. Mas também devia ter mais Marks ou equivalente.

Requiem disse...

Continuo a achar que depois era um enjoo...

*** a tentar não responder à provocação ***

Abobrinha disse...

Requiem

Não é uma provocação, é ver o lado B da vida: se te dão mamas pequenas, come; se te dão mamas grandes, come; se te dão mamas mais ou menos, come. E não refiles! Ou estavas a falar do "ninguém te pega"? É que eu também tenho telhados de vidro, ficas sabendo.

Requiem disse...

Não, falar do "ninguem me pega" era chover no molhado e desatar na Calimerice, estava mesmo a tentar não comentar a sobre a parte das duas mãos, etc. ;)

Telhados de vidro? São os melhores. Deixam entrar o sol.

Abobrinha disse...

Ah, pois deixam. Mas também entra a chuva e o frio. Mas não vamos entrar numa de Calimero, please. Para isso chego eu em certos dias!

Deixei um comentário que ameniza a parte do ninguém te pega. Mas deixa de fumar (eu avisei que era chata com o tabaco!).

Requiem disse...

Da ultima vez que vi o vidro ainda era impermeavel, pelo menos cá em Lisboa... :D :D :D :D

Eu prometo que deixo, quando deixarem de me stressar (eu sei que não é desculpa).

Abobrinha disse...

Quando se apanha com pedras nele normalmente deixa de ser.

Se quiseres deixar de fumar tem que ser por ti, pela tua saúde e pela tua masculinidade. Mas é mais forte que eu: odeio tabaco! Sempre odiei!

Eu acho que tenho um post ou outro sobre tabaco. Diabo, eu acho que tenho um post acerca de tudo! Só disparates!

Anónimo disse...

Vinha aqui eu todo lampeiro, pra arejar do office, e deparo-me com um tratado sobre mamas e acessórios.
Ao menos que a prosa fosse curta e grossa, mas de alongamentos percebo pouco e tambem me falha a paciência.
Pra quando uma reflexãzinha àcerca do wonderbrO pros coisos não saltarem quando se joga futebol?
Valetorno

Abobrinha disse...

Valetorno

Falta-me conhecimento de causa. Mas por acaso era para abordar esse tema.

Requiem disse...

Que não te falte nada.

Podes obter informação aqui

Corte e Costura! disse...

Oh pá os Wonderbra's são uma treta pa kem as tem grandes, só uma rendinha é que safa as meninas e mesmo assim sem muito estilo! Mais vale perder o autocarro! ( Se souberem de algo melhor ka rendinha digam!) :P

PS: O blog está muito fixe! Parabéns!

Abobrinha disse...

Requiem

Bem, esse site é muito interessante! Tenho que procurar mais informação para escrever um post em condições.

Abobrinha disse...

Corte e costura

Curioso, parece que conheço esse nick de qualquer lado.

O problema com os soutiens de muitas rendinhas é que são pouco consistentes. E a dada altura tudo faz como os passarinhos no Inverno: migra para Sul. Não convém! Agora rendinhas a revestir wonderbras e semelhantes a wonderbras... now we're talking!

O blogue anda mais ou menos, mas isto já foi um pedaço mais badalhoco. Ando com dificuldade em javardar isto como deve ser.

Corte e Costura! disse...

Duvido que conheças o nick! Mas pode haver mais! :D É difícil ser única e original!
São muito bonitos os wanderbra's com rendas, mas pó meu tamanho é muito difícil de encontrar! :P
Descer é fácil! Descer com qualidade é que é difícil! Alias é das minhas maiores dificuldades, mas bem fui ensinada por uma mente bem porca! Mas isso já e outra história! :D

Abobrinha disse...

Corte e costura

Lição nº 1: não mistures assuntos. Eu estava a falar de mamas descaídas e tu obviamente estavas a falar de outra coisa.

Em relação ao assunto mamas, experimenta os da Triumph, que são lindos e existem em tamanhos muito aceitáveis em modelos muito bonitos e muito robustos.

Em relação ao resto, eu tenho alguma dificuldade em falar de broches sem ser explícita. E este blogue é essencialmente implícito. Vou ver o que se pode arranjar.

Abobrinha disse...

Oooops, eu escrevi broche... está dito, está dito!

Gipsy Queen disse...

E eu a pensar que este blog ia no bom caminho... e pumba, dizes uma coisa dessas! ... Relativamente aos Wonderbra... se eu usasse isso ainda matava alguém à "chapada"!

Corte e Costura! disse...

Vou passar por lá a ver o que para o meu tamanho! :D Em relação as mamas descaidas a renda vai segurando alguma coisa! Se os soutien's forem de tecido ai é k elas n aguentam! lol
Eu por acaso até tenho uns broches muito bonitos feitos por umas amigas minhas! Ups se calhar não os fizeram pra mim!(a piada tradicional) :P!

Bizarro disse...

Eh pa! quero aqui dizer, faz favor, que eu comecei a correr para perder peso, e agora que já perdi o peso continuo a correr por causa das mamas das gajas a saltitarem, se me tirarem isso deixo de correr e recupero o peso... não me apetece fazer tudo de novo, vá lá...

Abobrinha disse...

Gipsy

No bom caminho? Este blogue? Nunca!

Matavas alguém à "chapada" com um wonderbra? Mmmmm... interessante... ora elabora, se faz favor...

Abobrinha disse...

Corte e costura

Broches ficam sempre bem em qualquer lado. Quer sejam feitos para nós quer para outros.

Abobrinha disse...

Bizarro

Repara uma coisa: as mamas balouça por natureza. Outra coisa completamente diferente é quererem sair pela camisola da moça fora à viva força. Garanto-te que tudo balouça como Deus mandou com soutien de ginástica tipo espartilho.

Podes continuar a correr... ficas com falta de peso, mas só no contexto certo!

Eu é mais ginásio e caminhadas, mas tenho que começar a andar de bicla e fazer mais caminhadas, que ando muito de aviário.