quinta-feira, 22 de maio de 2008

Tudo sobre os suspensórios do Jorge Fiel

No post anterior pedi claramente para insultarem o Jorge Fiel. A coisa correu mal... ou bem, porque ninguém teve lata de o insultar e ainda mandaram bocas fabulosas ao Boavista (grande Joaninha!). Mas eu ainda não desisti!

Neste post reproduzo (com ligeiras alterações) um comentário que deixei neste post do Jorge Fiel e que me saiu particularmente inspirado (mas com figuras). Resumindo, o homem anda confuso (será dos ares de Lisboa? Estou a falar da poluição, claro!) e encasquetou que os suspensórios podem ser uma opção ao cinto e à sua incapacidade para lhe segurar as calças. Cá vai a minha resposta:


Guru
Você anda a precisar de óculos: o que a Keyra está a usar nessa capa da Interview não são suspensórios mas um soutien. Você precisa de um soutien? Não me parece! Quer dizer... não precisa, pois não?

Já lhe ocorreu que diminuir a barriga possa ser a maneira mais eficiente de se dar bem com o cinto? Ou é muito complicado para si? E pode ter efeitos secundários muito positivos!


Pode ainda aprender muito com as mulheres: as meias de liga são hoje em dia suportadas por fitas de silicone que fazem aderir suavemente as ditas cujas à pele das pernas. Pode mandar instalar dessas bandas de silicone na cintura e pelas pernas abaixo (assim em rodelinhas). Ficaria absoluta e positivamente ridículo, mas ao menos as calças não lhe caem e nunca mais ninguém se lembrará deste post dos suspensórios. É muito mais giro um post com o título "as minhas aventuras com as tiras de silicone e como elas me arrancaram os pêlos das pernas, mas não deixaram as calças cair". Quem é amiga?
Pode não ser tão sexy como isto, mas você só pediu a solução para o look Cantinflas (para falar verdade, nem isso pediu, mas não vamos estar agora com picuinhices).

Há ainda uma alternativa, que vai beber directamente inspiração ao John Major. Diziam as más línguas que o homem caçava as camisas nas cuecas. Fico por saber como é que se levantou esse rumor (ninguém estava lá para ver) e se é verdade porque isso não foi provado experimentalmente. Eu não sou uma teórica mas uma experimentalista. E não foi provado porque as pessoas não tiveram a iniciativa de lhe pedir para chegar qualquer coisa de um sítio alto, o que permitiria tirar isso a limpo. Uma sociedade constrói-se pela capacidade de iniciativa e claramente os ingleses nunca mais vão sair da cepa torta (eu sei que há algo de errado com esta afirmação, mas agora não estou com tempo para ver o quê).

Não tiveram a iniciativa da minha turma de 7º ano, que conseguiu provar experimentalmente que uma professora não usava soutien. Dito isto, fazendo um pouco de esforço de memória, ela só precisava mesmo de uns suspensórios... pensando bem, nem disso! Mas passado uns anos aderiu ao silicone (e não foi nas meias). Cá para nós, fez ela muito bem se se sentia melhor, mas o look recauchutado era tão bom como o original. Ou seja: muito fraquinho. Já agora, a Solange também recauchutou as mamas, sabia?

Dizia eu do John Major: você pode simplesmente adaptar as camisas e pôr-lhes uns colchetes à altura da cintura. As calças ficam firmes e hirtas como uma barra de ferro. Tem dois problemas:

1. Se alguém tentar verificar experimentalmente se você caça a camisa nas cuecas, fica a falar fininho um tempo (mas se não estiver a planear ter mais filhos e a sua mulher não se importar, não tem problema);

2. O filme de ir à casa de banho torna-se uma longa-metragem. Ou seja, evite trabalhar em fábricas que têm o tempo de ida à casa de banho contada (keep your day job!) e comidas "caganeirizantes".

Qualquer um dos problemas fica resolvido com a aplicação de molas ou de velcro em vez de colchetes.

Dito isto, o objectivo inicial era provar-lhe que os suspensórios são ridículos, mas agora fiquei na dúvida. Mmmmm... não, não há dúvida, são ridículos! Esqueça! É mais fácil o look Cantinflas ou perder a barriga.

5 comentários:

Joaquim Simões disse...

Não li o que escreveste no post, nem sei se alguma vez o conseguirei. É que aquelas pernas distraem-me logo do resto, vão ao essencial da questão (que não sei sequer qual é!).
OK! Contigo não se aprende nada... e comigo também não!

Abobrinha disse...

Joaquim

... se prestasses mais atenção à solução John Major que às pernas, aí eu ficava preocupada e com a nítida sensação que algo neste blogue tinha corrido muito mal.

Eu também não sei qual é a questão, mas acho que havia uma... acho que era impedir o Jorge Fiel de usar meias de liga. Ou seria suspensórios?

rds disse...

ahahahahahahah!
apoiado, voto contra os sustensórios!
HhHhHhhahhahahahhahahh!
Até em post medianos com o JF dá para sorrir.
E com os teus posts, algumas vezes:P

Anónimo disse...

Confesso, não faço a mínima ideia quem é o Jorge Fiel.
Bjs Karin

Abobrinha disse...

Karin

O Jorge Fiel não é ninguém especial. Não é um colunável: é só um jornalista do Porto que na altura em que o "conheci" (num blogue) trabalhava no Expresso e agora trabalha no DN em Lisboa. É uma pessoa com um sentido de humor e uma capacidade de argumentação e encaixe tremendos.

A nossa "ligação" vem dos tempos do Expresso em que ele tinha o blogue Roupa para Lavar. Aliás, este blogue derivou desse. Ou seja, uma desgraça nunca vem só!

Gosto de ler o que ele escreve porque pensa bem e escreve mesmo muito bem. Não concordo sempre com ele, mas conseguimos ter grandes discussões.