quarta-feira, 7 de maio de 2008

Abobrinha não é só apagadora de comentários

OK, confesso: a minha primeira tentação foi apagar o comentário do Joaquim. E conseguia safar-me com essa maldade: era só atribuir ao suspeito do costume. Mas eu ia apagar porque até corei! Não por ser púdica mas por ter sido ultrapassada! Isto faz-se??? Ser mais badalhoca que a dona do blogue? Isto é um dia negro para a Abobrinha!

Ora leiam:

Joaquim Simões disse...

Revelaste-me um irmão nessa foca! Quando eu tinha os meus 12 anos, fartei-me de chatear os meus pais (coitaditos!!) porque achava que se a pata que eles tinham na capoeira fosse fecundada com esperma humano, talvez pudesse criar-se... o Pato Donald!

E pensavas tu que conhecias um tipo equilibradito!Mas a pata ainda era mais maluca do que eu! Imagina que teve uma paixão (correspondida) por um galo! Tão, tão correspondida que um dia em que ela voltou para casa, depois de uma ausência de três meses (perdeu-se e foi parar à capoeira de um vizinho mais longínquo, que não sabia de quem ela era), correram de imediato um para o outro e foi logo ali uma foc..., não uma fod..., não... isso!

Infelizmente, os meus pais não tinham um espírito experimentalista e aqueles ovos nunca foram chocados...A partir de hoje o meu blog irá ter mais ou menos visitas? Aceitam-se apostas.
7 de Maio de 2008 0:57


Abobrinha disse...

Joaquim... estou tentada a apagar este comentário... mas não por ter bolinha.

Estou tentada a apagar este comentário porque estou INVEJOSA de não me ter lembrado dessa do Pato Donald!!! E agora que está escrito não posso dizer que fui eu a autora.

Isso da pata é normal: diz quem sabe mais que eu que eles desenvolvem atracção sexual por quem os cria. Manipulado pode dar origem a enamoramentos por objectos inanimados como comedouros ou bolas de plástico(se os bichos não forem criados por um outro animal), um pouco como fetichismo. Não sei se isso é imprinting ou se tem outro nome.

Suponho que os ovos da pata fossem estéreis, mas há casos viáveis: garnizas com galos (e vice-versa)... mas essa do Pato Donald... não sei se posso deixar passar!



Pronto, agora vou ter mesmo que resistir à tentação de apagar aquele comentário e reclamar a autoria de uma ideia genial... às vezes detesto ser boa pessoa!

24 comentários:

Anónimo disse...

Abobrinha
além do Simões ter a cabeça cheia de focas, o que até é normal nos machos da espécie humana, se tiveres pachorra lê a minha opinião no X DE ZEBRA. Não te preocupes pois o Leprechaun não anda por lá, aliás, quase ninguém anda por lá.
Bjs Karin

Joaninha disse...

Karin,

"aliás, quase ninguém anda por lá."

Não é verdade eu passo por lá volta e meia ;)

Anónimo disse...

ok, Joaninha, thanks. Mas a culpa é minha poie eu também não ando muito por lá :)
Bjs Karin

leprechaun disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Joaquim Simões disse...

Abobrinha:
Fiz eu um comentário tão discreto para tu me vires assim pôr em destaque, dando-lhe a honra de post! Tch! Tch! Já não se pode mesmo confiar em ninguém...!

Karin: Um qualquer exemplar do machus virilis lusitanus vulgaris da estirpe piegas poderia dizer dizer que as tem na cabeça (de cima) porque as não tem em mais lado nenhum (nomeadamente na de baixo). Mas isso seria injusto para a fêmea da mesma espécie, que frequentemente perde o apetite por foc...fod...coiso (se o quiseres, por aquela que é - ou deveria ser - a brincadeira dos adultos) devido à distorção para a fossanguice que vai na tal cabeça de cima do macho. A mesma que faz com que se tome os produtos do MacDonald's por comida, esquecendo que cozinhar (o Quim Barreiros não é para aqui chamado) é um acto de
amor e de respeito por aquele que é comido, logo, de requinte, sem o que se torna abuso. Mas essa confusão, sendo sobretudo masculina, não é exclusiva dela, que as confusões não poupam ninguém. E se o "repressor" (utilizando aqui a linguagem do feminismo) encara o sexo de um ponto de vista culturalmente distorcido, o mesmo sucederá com a "reprimida", não só do modo como foi levada a encará-lo, como do ponto de vista da desorientação quanto ao que ele é, significa e dele deve esperar. Andamos todos divididos de nós mesmos e depois dá merda (com tua licença!).
Bom, mas isto não é um ensaio, é só uma nota. E a história do Pato Donald, bem, o meu interesse era mesmo "científico". Se soubesses a quantidade de vezes que a minha ingenuidade foi gozada até ao tutano...
Não, Abobrinha, não te conto mais ideias geniais!

Abobrinha disse...

Karin

A cabeça dos meus leitores todos está cheia de focas. Espero eu! Ambas! Mas a do Joaquim tem muita coisa (a de cima, porque a outra não me diz respeito).

TInha deixado um comentário no teu estaminé, mas a ligação foi abaixo e o comentário foi-se. Vou ver se desta vez fica... mas aquilo já está mal frequentado...

Abobrinha disse...

Joaquim

Eu sabia que devia ter apagado o raio do comentário e ficado com os créditos para mim! Não só não passo por ser suficientemente badalhoca como ainda por cima não me dás mais ideias geniais.

Hás-de ter muitos amigos! Eu, por exemplo! Donde se conclui que... tás lixado!

Pleeeeeeeeeeeeeeeeease, dá mais ideias...

Anónimo disse...

Onde fica Espinho?

Abobrinha disse...

Anónimo

"Comboialmente" falando, entre Aveiro e Gaia. Porquê?

Anónimo disse...

J Simões
não te preocupes. Como dizia um amigo meu : deus só deu sangue suficiente ao homem para usar uma cabeça de cada vez.
Bjs Karin

Anónimo disse...

Abobrinha
gostei da boca que o meu estaminé já estava mal frquentado. Mas como sempre, o gnomo escreve demais, logo, ninguém o lê.
Bjs Karin

leprechaun disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Abobrinha disse...

Karin

Devia ter dito que o teu blogue está parcialmente mal frequentado. Mas a maioria é boa gente ;-)

Joaninha disse...

Karin,

Não tem de que, se escrevesses mais passava mais vezes ;)

Abobrinha disse...

Karin

Já agora, a minha lista de "pessoas com quem vale a pena conversar e que têm blogue" sofreu um acrescento (e uma baixa).

Anónimo disse...

podes ir lá? no fds?

Abobrinha disse...

Anónimo

A Espinho? Posso. Ou não. Também posso ir à Tchecheno-Ingúchia... ou não.

Nuno Coelho disse...

Extraordinário! Uma foca com 100 Kg! Não faço a menor ideia de qual seja o peso habitual de uma foca, mas 100 Kg., caramba! Deve ser aquilo a que os americanos chamam uma Mother Foca!

Abobrinha disse...

Nuno

Agora ia fazendo feio, mas consegui abafar a gargalhada a tempo (ainda bem que não estava ninguém ao pé de mim).

Benvindo de volta! Estou a ver que era só preciso chamar!

Abobrinha disse...

Nuno

Acabei de me lembrar de uma bem badalhoca: essa foca não é grande, já que em médias uma foca macho adulto pesa 250 kg*. Trata-se assim claramente de um juvenil... com FALTA DE PESO!!!


*Não faço ideia de qual é o peso médio de uma foca. Sei que uma com um "d" estacionado em condições é coisa para pesar... bastante... na satisfação de...

Crestfallen disse...

Bem, isso fez-me pensar numa maneira de ser pai do sapo cocas...

Abobrinha disse...

Crestfallen

Genial, não? Não dá raiva de não ter pensado nisto antes? É lixado!

Bem, vais beijar uma sapa? Quer dizer, beijar não... ... tu sabes, certo? E porque da Miss Piggy?

Joaquim Simões disse...

E o eu-ainda-puto diz:
E porque não pai do sapo da Sapo? Hmmm! Acções na PT...
Vá! Chega de disparates à conta das memórias do puto xarila-cientista!
Vá, vão lá à vossa vida! Vá!Vá!
Xó!
Aaii...!

Abobrinha disse...

Joaquim

Estás louco ou quê? Isto é um autêntico filão! A única falha aqui é não ter sido eu a lembrar-me disso!

Como se não bastasse, ainda me mandas essa da PT e do Sapo! Não sei se não te comece a bloquear também! Que é isso vir-me agora fazer sombra à minha própria casa?