terça-feira, 6 de maio de 2008

E ainda diz o outro que a prova da evolução é que gaivotas dão gaivotas! - ou o estranho caso do "c" mal estacionado

Um dos argumentos criacionistas mais fortes é que a prova mais convincente de que os evolucionistas dispõe é que moscas dão moscas e as gaivotas dão gaivotas... e esse argumento acabou de cair pela base!

Uma foca de 100 kg tentou provar que focas não dão só focas e pinguins não dão só pinguins: dão foquins ou pinocas (mmm... isto com outra letra também fica fixe...). E vai daí, PIMBA! Toca de montar um pinguim de 15 kg e deu-lhe forte e feio! Ou isto ou a foca está a precisar de uns óculos.

Entrevistada pelos etólogos, e como só fala inglês, a foca replicou: I wanted a skinny bird with short legs and a tight pussy: I wanted to give her a funny walk. E contou ainda que para a próxima vai tentar um relacionamento sério com um gato, depois de se ter apaixonado por um ao ler o blogue de um vegetal sem juízo e com um historial em usar a palavra pussy sem problemas de maior.

Ora os factos não dizem nada: as interpretações é que contam. Os etólogos, como de costume, interpretaram mal! São evolucionistas e têm fé exclusiva nas causas naturalistas e dizem que o comportamento foi resultado de frustração sexual. Ora os etólogos é que estavam carentes, depois de semanas e semanas de observações no terreno e sem acesso a fêmeas da própria espécie. Vai daí, escrevem esta barbaridade:

"Nesta região, são frequentes as agressões das focas, na qualidade de predadores, a pinguins da espécie envolvida. Pode ter sido o caso, mas o animal era jovem e a tentativa transformou-se em comportamento sexual, talvez porque a foca ainda não tinha idade para conseguir acesso a fêmeas da sua própria espécie (daí a tese da frustração)."

Leia-se: sexo por todo o lado menos com eles. Vai daí, tentaram destuir a reputação da foca. Isto faz-se? São estas coisas que mancham a reputação dos cientistas (isto e a brincadeira que fizeram para compensar a ausência de fêmeas da própria espécie).

Não é conhecido ainda o resultado da cópula*. Em todo o caso, ninguém pode dizer que não tenha dado alguma evolução: ninguém estava lá para ver! Mas o nome "foca" tem claramente um esguio "c" mal estacionado que deixa de fora um bojudo "d". O que, para um animal tão corpulento e para o previsível resultado do acto sexual seria bem mais apropriado!

Mas é seguro dizer que o evolucionismo está claramente em crise porque fod... focas não dão só focas e pinguins não dão só pinguins! Dão quecas! Puras e duras, como todas nós gostamos!

Numa notícia de última hora, a pinguim irá a Oprah para contar tudo sobre sexo inter-espécies e como está envergonhada de se ter dirigido para o mar sem ao menos deixar o e-mail ou o telemóvel à foca.


*Na realidade, o artigo diz "Afinal, a foca macho executou frenéticos movimentos pélvicos, tentando a cópula com o pássaro, mas sem a concretizar. Depois, a foca regressou ao mar e ignorou a sua vítima", mas isto é claramente uma mentira evolucionista: ninguém senão os etólogos estavam lá para ver e eu não confio em voyeurs.


E acho que isto inaugura o consultório sexual animal... estou lixada!

9 comentários:

leprechaun disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Joaquim Simões disse...

Revelaste-me um irmão nessa foca! Quando eu tinha os meus 12 anos, fartei-me de chatear os meus pais (coitaditos!!) porque achava que se a pata que eles tinham na capoeira fosse fecundada com esperma humano, talvez pudesse criar-se... o Pato Donald!
E pensavas tu que conhecias um tipo equilibradito!
Mas a pata ainda era mais maluca do que eu! Imagina que teve uma paixão (correspondida) por um galo! Tão, tão correspondida que um dia em que ela voltou para casa, depois de uma ausência de três meses (perdeu-se e foi parar à capoeira de um vizinho mais longínquo, que não sabia de quem ela era), correram de imediato um para o outro e foi logo ali uma foc..., não uma fod..., não... isso!
Infelizmente, os meus pais não tinham um espírito experimentalista e aqueles ovos nunca foram chocados...
A partir de hoje o meu blog irá ter mais ou menos visitas? Aceitam-se apostas.

Abobrinha disse...

Joaquim... estou tentada a apagar este comentário... mas não por ter bolinha.

Estou tentada a apagar este comentário porque estou INVEJOSA de não me ter lembrado dessa do Pato Donald!!! E agora que está escrito não posso dizer que fui eu a autora.

Isso da pata é normal: diz quem sabe mais que eu que eles desenvolvem atracção sexual por quem os cria. Manipulado pode dar origem a enamoramentos por objectos inanimados como comedouros ou bolas de plástico(se os bichos não forem criados por um outro animal), um pouco como fetichismo. Não sei se isso é imprinting ou se tem outro nome.

Suponho que os ovos da pata fossem estéreis, mas há casos viáveis: garnizas com galos (e vice-versa)... mas essa do Pato Donald... não sei se posso deixar passar!

Osvaldo Lucas disse...

Os criacionistas estão completamente errados.
Afinal, minhoca com passarinha dá...

Abobrinha disse...

Osvaldo... DE GÉNIO!!! Eu tenho orgulho nos meus leitores: badalhocos até não poder mais!

Joaninha disse...

E um homem com um camelo? ;)
Deixo o resultado ao teu critério se é que me entendes...

Abobrinha disse...

Joaninha... ... não quero dar uma rapidinha com esta! Aguentas até eu ter inspiração, jeitosa? Please! Pode ser daqui a 5 minutos como pode ser daqui a 3 dias... mas esta é uma pergunta boa demais...

Xiquinho disse...

Olá, não tinha reparado neste post..

Mas vou passar a visitar a Abrobinha mais vezes...

Acho que se aprende mais aqui do que no DN...

Abobrinha disse...

Xiquinho

Vamos lá esclarecer uma coisa: aqui não se aprende nada! Mesmo!

Há quem ache que isso é uma afirmação pretenciosa e que não sei quê e que eu me tenho em grande conta, mas eu quero que esses vão... às focas! Por assim dizer.

A realidade é que os meus textos são geralmente abordagens humorísticas a assuntos diversos. Não tenho pretensões a ensinar ninguém porque não sei o suficiente para mim sequer. Mas sei fazer perguntas, o que já é qualquer coisa.

Mas muito me honra que os meus textos cheguem a "Cacau". Especialmente porque são lidos por quem tem sentido de humor e não se leva sempre demasiado a sério. E se chama Xiquinho (se fosses Zézinho, aviso já que estavas lixado...).

Por outro lado ainda bem que comentaste aqui, porque eu tinha-me esquecido completamente da pergunta da Joaninha.

Agora tenho que ir apagar outro fogo: acabei de ler que alguém me acusou de ser politicamente correcta... isso não se faz! Eu tenho um coração frágil!