domingo, 18 de maio de 2008

Pénis doados por pescadores, caçadores e biólogos

O drama do título, como sempre! As alternativas eram:

"O meu pénis dava um museu" - a quantidade de porcarias que se podiam dizer com ganhar teias de aranha e quantidade de visitas... que entravam... e saíam... tornava logo os museus mais interessantes!

"Dador procura-se" - e depois entrava-se em pormenores.

E os pormenores referem-se ao museu do pénis, na Finlândia, como anuncia esta notícia do Expresso. Os mais dotados ficam a saber que uma "cachalota" considera 20 cm um nano-pénis, já que o falo de cachalote que está exposto no museu finlandês tem 70 kg e 1.70 m de comprimento (as especificações de muito caralho que eu conheço e com uma cabeça bem mais pequena).

Não entendo porque é que 60% dos visitantes são gajas: para que é que eu quero ver um pénis num museu? Dito isto, o que é que os 40% de homens vão fazer ao museu? Trocar cromos? Fazer concursos a ver quem mija mais longe? Ou pedir a lupa emprestada a ver se conseguem ver o próprio Zézinho?

Então e o título do post? O título é um acto falhado da notícia em si, pois depois de noticiar a falta de pénis humanos e a possibilidade de 4 dádivas (a saber: um islandês, um inglês, um americano e um alemão), as jornalistas escrevem "Conservados dentro de frascos de vidro ou embalsamados e pendurados na parede, os exemplares são na sua maioria doados por pescadores, caçadores e biólogos"... eu já tive actos falhados menos óbvios! Numa demonstração de cinzentismo, os verdadeiros 4 dadores vão esperar até depois de morrer... fraquinho! O verdadeiro artista faria uma performance de dádiva da virilidade à arte. Artista convidada: Lorena Bobbit...

E depois, esta gente não lê o meu blogue e fica sem saber coisas essenciais! Já agora, não havia um filme chamado Free Willy?? Não sei se tem alguma coisa que ver com este produto...

19 comentários:

Mário Miguel disse...

Abobrinha,

Por falar em falos, embora eu só perceba do meu, aqui vai, um contributo.

Gary Kasparov foi interrompido por um caralho enquanto fazia uma apresentação política de oposição ao governo de Vladimir Putin.

Abobrinha disse...

Mário

Genial! Pensei que os russos seriam mais cinzentões! Olha se naquela manif do "não pago" escrito no rabo alguém tinha tido a ideia de um falo voador! QUem sabe a esta hora não havia propinas para ninguém (pois...).

Espectáculo!

Joaquim Simões disse...

Abobrinha:
Cada um dá o que tem, mas é quando pode...
E, cá para mim, isso é um c... de um museu! Um c... é como um gato, só o é quando está vivo. Para que é que alguém quer andar a ver c... mortos?! Raio de tara do c...! Finlandeses do c...! Passo a partir de agora a estar de pé atrás com esses gajos, c...! Eu bem desconfiava de que para o Sócrates gostar tanto deles, mais a Lurdes, essa gentinha do c...!
Deixem lá os c..., c...!
Caralho...!!

- com - disse...

Abobrinha, Mário,
quanto aos russos não sei muito bem ... mas, as russas tenho a certeza que são bem coloridas.
Se eu fosse ao Putin mandava logo a KGB (ou lá o que é agora)investigar tudo o que fosse engenheira aeronáutica que comprasse a playgirl e afins.

Abobrinha disse...

Joaquim

COmo diria um amigo meu (gay): paneleirices!

Abobrinha disse...

- com - dá +

As russas são mais que coloridas... são fogosas!

Mário Miguel disse...

Abobrinha,


Ficou por dizer que, muita senhora desejaria ter o telecomando da geringonça voadora...

Mário Miguel disse...

Abobrinha,

Retirei o vídeo daqui.

Onde há muita maminha para nós apreciarmos e muita pilinha para as meninas. Tem aqui um boa fonte.

http://afundasao.blogspot.com/

Abobrinha disse...

Mário

Se começas a fazer comentários a rimar, rifo-te!

Mas muita mulher tem o comando daquelas coisas... a maioria delas, para falar verdade!

Anónimo disse...

Para quê é que serve um museu desses? Para complexar uns, fazer inveja a outros ou consolar viúvas?
Bjs Karin

allseeingeye disse...

Existem sítios especializados onde se podem observar exemplares que fariam inveja a muita baleia anã.

Podiam fazer uns moldes de silicone...

arqueólogo alentejano disse...

E os menires, hummm... hummmm...

Mário Miguel disse...

Abobrinha,

Juro que não foi intencional (a sério).

Mas se fosse assim:

Any way

Blá blá blá
blá blá blá
blá blá blá
blá blá blá
blá blá blá
blá blá blá
blá blá blá
blá blá blá

(...blá blá blá (em inglês) :))

Já me podia dar um ralhete, mas, juro que foi sem querer.

Osvaldo Lucas disse...

Karin
Como é óbvio, as visitas ao museu têm carácter exclusivamente científico.

Abobrinha disse...

Mário

Estás "aperdoado", deixa lá. Ou melhor, só se colaborares no meu próximo post...

Abobrinha disse...

Karin

Não faço ideia para o que é que serve este museu. Ainda por cima porque os únicos pénis humanos que tem são mesmo os de um acto falhado de uma jornalista portuguesa... o que restaura a minha fé no jornalismo português! Quando se passar a jornalismo de investigação nestas áreas, juro que mudo de profissão!!

A utilidade deste museu parece-me menor ainda que a das etiquetas das cuecas. Que me parecem surpreendentente versáteis e um verdadeiro nicho de mercado!.

Abobrinha disse...

Arqueólogo alentejano

Os menires... mmmm... não: muito frios!

Abobrinha disse...

Allseeingeye

Baleias anãs? Isso é para meninos! E depois, não é só o tamanho que conta!

Mário Miguel disse...

Abobrinha,

Vou tentando colaborar com o que posso.