sexta-feira, 9 de maio de 2008

Size matters!

Isto é que é um título chamativo, não? Tudo para dizer que o parafusinho que encontrou caminho para a minha bolsa nunca poderia ser meu (a propósito, a minha máquina de calcular morreu!).

Este, em contrapartida, é um bom candidato para parafuso em falta. Justificava qualquer coisinha...

14 comentários:

Osvaldo Lucas disse...

Então a história de que o tamanho não interessa é mesmo uma treta?
Afinal a esperança não foi a última coisa a morrer...



Noutra perspectiva, fazendo a porpocionalidade entre o capacidade de cálculo e os parafusos perdidos, a Abobrinha está... a fazer o pós-doutoramento em Matemáticas!

republicademocraticadosorrir disse...

Sim, está,e a máquina de calcular morreu devido à retirada estratégica dos números e símbolos
das operações, com uma migração em movimento retilíneo direcionado à nossa AbobrinhA.

Joaninha disse...

Osvaldo,

desculpa desiludir-te mas não é treta nenhuma, Size does matter. Mas esta frase nunca deve vir só, deve vir acompanhada com, "no meio é está a virtude" "tudo o que é demais é mau e tudo o que é de menos é pouco." Junta-lhe no fim, size matter mas a competencia também e tens a verdade nua e crua ;)

Osvaldo Lucas disse...

Joaninha
Afinal consigo ser "normal", mas pouco...
http://dn.sapo.pt/2007/02/26/sociedade/comprimento_medio_penis_portugues_e_.html

Mas não serão exigências a mais?
Tudo o que é demais é mau? Afinal aquela dos 3 a 7 minutos sempre é verdade que é a duração ideal? Ou é no meio que está a virtude?
Tudo o que é de menos é pouco... ou seja ainda por cima exige-se uma conta bancária com muitos zeros...
E finalmente é preciso o reconhecimento e validação de competencias...
O problema é que a realidade nua e crua pode não ser muito estimulante.

Krippmeister disse...

Abobrinha, esse parafuso acusa alguma acumulação de cálcio. Econselho uma pastilha calgonit por dia.

Abobrinha disse...

Herr K

És muito simpático... mesmo! É que se fosses mau tinhas dito que era ferrugem! E isso levava-nos por caminhos tortuosos, como é óbvio! Sobretudo porque é o meu blogue...

Não te preocupes: esta semana que passou e a anterior foram complicadas (de mais que uma maneira), mas agora que lhes sobrevivi espero estar com tempo e estaleca para... postar badalhoquices!

O problema é que a badalhoquice é tanta e os posts que tenho na minha cabeça são tantos que não sei se darei vazão! Vamos ver!

Abobrinha disse...

Osvaldo

Não sou esperta suficiente para fazer uma licenciatura em Matemática. Licenciei-me em outra coisa, mas isso agora não interessa nada.

Mas foste suficiemente inocente para achar que eu sou esperta, por isso deixa-te estar. Não que seja verdade, mas se não disseres a ninguém eu também não conto! Além de tudo és um bom elemento: badalhoco! Estás no sítio certo, não sei se já reparaste. Se bem que isto anda um pouco em baixo.

O tamanho é como tudo: conta, mas não é factor único. Há aí grandes pénis agarrados a grandes caralhos, o que não interessa nada. Para isso há acessórios especializados com grandes vantagens: funcionam a pil(h)as, são mais portáteis e não chateia ao menos. Claro que não têm uma pele quente a cheirar bem, mas isso também não é para qualquer um.

Infelizmente não consegui abrir o artigo (ou melhor, quando consegui não estava com tempo para o ler e agora não consigo), por isso não sei onde te situas.

A realidade nua às vezes é uma desgraça. Crua e comida à mão mas com a luz mais difusa às vezes revela-se estranhamente saborosa... suponho que estamos a falar do mesmo, mas estou com uma moca de sono acumulado. E ferr... cálcio!

Abobrinha disse...

Bem, ao menos com esta fotografia consegui mostrar que não tenho icterícia. Tenho uma mão cheia de linhas, mas isso é algo entre velhice e lepra. Ou qualquer coisa assim.

Anónimo disse...

hehehehehe
Karin

Osvaldo Lucas disse...

O link ficou cortado!
http://dn.sapo.pt/2007/02/26/sociedade/ comprimento_medio_penis_portugues_e_.html
(coloquei um espaço em branco a meio para caber!!...)

Krippmeister disse...

Pois e eu não percebo nada de máquinas de lavar. Não é calcio, é calcário.

Abobrinha disse...

Herr K

Para que é que precisas de perceber alguma coisa de máquinas de lavar? O que é delicado, como mulheres e roupa interior lava-se à mão.

E não é inteiramente mentira: é carbonato de cálcio. Não interessa porque foste simpático e não me acusaste de estar com ferrugem. Mas nessa altura eu teria insistido em extrair-te o apêndice B com as minhas facas do IKEA... ou com as do meu faqueiro lindíssimo daquela marca excelente mas que me falha o nome... e que não cortam bem...

Abobrinha disse...

Osvaldo

Uma coisa: cair na normalidade não é o mesmo que ser um caralho qualquer (mesmo). Podemos sempre personalizar o nosso caralho, mas há limites: um pierçing não é boa opção (além de poder limitar o tamanho e a porformance). Isto diz respeito a um post meu há um tempo que tenho a preguiça de referenciar.

Quanto à duraçao, aí 2 horas parece-me bem... para uma rapidinha!

Osvaldo Lucas disse...

Estou a considerar a sugestão. Talvez decalcomanias?
Mas como é que farei para publicitar a minha nova personalidade?