terça-feira, 13 de maio de 2008

Assim é que se vende calendários!!!

Afinal a imagem que tentei meter no post dos lésbicos tinha um erro e por isso não carregava. Já lá está, mas agora não ia ter o impacto que merece. Vai daí, dediquei-lhe um post!

Digo eu que assim é que se vende calendários para fazer parques infantis! Também não sei porquê (aceita-se palpites), mesmo porque as tipas não estão de salto alto... nem têm grande aspecto de se dedicarem a bolos...

19 comentários:

Anónimo disse...

Abobrinha
Em relação aos teus posts sobre lésbicas: não defino as pessoas no que respeita a sua orintação sexual tãopouco como as defino em relaçãoà sua escolha de práticas desportivas. Cada um que curta como lhe apetecer desde que não incomóde ninguém.
Bjs Karin

Abobrinha disse...

Karin

Olha, eu defino! Por questões contabilísticas: não há como a crueza dos números! Saber quem posso e quem não posso assediar e a opinião de quem conta em termos de assédio.

Vai daí, um dia destes decidi tirar a limpo se conhecia muitos amigos homens e homem-sexuais... fiquei deprimida: são muitos! Mesmo muitos! Isto não pode ser normal! Adoro-os a todos, respeito a opção sexual mas... é concorrência a mais! Fiquei mesmo deprimida!

Anónimo disse...

Abobrinha
podes crêr. E o pior é que os homosexuais que eu conheço são giros, inteligentes e encantadores. It is an injustice!
Bjs Karin

Osvaldo Lucas disse...

No post anterior o calendário faria sucexo nos anos 60/70.
Com a evolução da tecnologia, ou seja com molduras electrónicas, incorporando imagens em movimento, com updates diários via downloads... mais um produto tradicional em vias de só se encontrar nos museus, tal como uma obra de arte.

Abobrinha disse...

Karin

É das únicas alturas em que eu desejava que a homossexualidade fosse uma doença: assim ao menos havia a esperança de uma cura... não é justo mesmo! Mas há muitas coisas que não são... c'est la vie! Compreendes agora o título do post da saída do armário da Solange, não? É que ela é linda! Não me importava nada que ela me assediasse!

Abobrinha disse...

Osvaldo

Dos anos 60/70? Queres dizer 1160/1170, certo? Concordo: ver um calendário gregoriano em 1160/70 deveria ser excitante!

Anónimo disse...

.. e lá continuo baralhado com a harpa, que raio, pra que é a coisa? Só mesmo se o quadro representa harpias com uma grande latitude.
Valetorno

Krippmeister disse...

Assim está melhor!

Reparem no pormenor fabuloso das sereias lésbicas em segundo plano. Aparentemente foi uma má escolha, visto não terem pernas para abrir, mas o artista resolveu a questão transformando cada perna em cauda de peixe. Genial.

Sereias Lésbicas Rule!

Abobrinha disse...

Valetorno

A harpa? Que harpa? Ah! Aquela harpa! E... o que é que isso interessa? Compra o calendário ou não?

Abobrinha disse...

Herr K

Havia um filme que é uma palermice eu não me lembrar do nome (mas é assim que eu sou) em que a Darryl Hanhah era uma sereia. Quando estava em terra firme tinha pernas (e que pernas!), mas de cada vez que ficava molhada ficava com barbatanas, por isso... eeeeee... mmmm... perdi-me... onde será que eu queria chegar? Mmmmm... não me lembro... seria badalhoquice?

De qualquer modo, isto é definitivamente arte, não é sr. artista?

Curiosamente a Darry Hahnah na altura em que fez esse filme namorava com o John John Kennedy. Questão: será que à noite teria pernas ou barbatanas? Isso sim são as coisas que verdadeiramente interessam!

Catarina, disse...

Olá.

Está a decorrer um leilão em http://ideiastoa.blogspot.com/

Dá uma espreitadela.
Bj

cat*

Abobrinha disse...

Catarina

Só não apago a mensagem por ser SPAM porque é um leilão de um BROCHE!

Ou de uma pregadeira? Não interessa: está dito, está dito!

Bizarro disse...

Ai as lesbicas... havia muito para dizer sobre elas, mas agora não temos tempo.

Quanto a estas bocas dos gays serem todos bonitos e encantadores... isto é porque eles só tem que se dedicar a serem bonitos e encantadores, não precisam de gastar a quantidade brutal de energia que é necessária para alimentar o esforço cognitivo de perceber as mulheres... Eu se não tivesse que gastar esta energia, tb seria bonito e encantador, mas como não se pode ter tudo fiquei-me pelo bonito, e so far so good :)

Abobrinha disse...

Bizarro

Não te preocupes que eu ando numa maré badalhoca, por isso se não é fufas é outra badalhoquice qualquer que sai. Mas badalhoquices são garantidinhas, não te aflijas!

Aqui o gajedo mandou as bocas dos gay porque às vezes os meninos que gostam de nós na óptica do utilizador teriam muito a ganhar em aprender com eles. No caso de um amigo meu em particular, qualquer menino mulher-sexual (ou lésbico) teria literalmente muito a ganhar: ele anda sempre com gajas à volta! E cada uma melhor que a outra! Já há muito tempo que não o vejo, por acaso.

Um deles vai ganhar um lugar no céu porque num dia em que eu me estava a sentir super em baixo vira-se para mim com a maior das naturalidades e diz-me "estás com óptimo aspecto".

Eu sei que há ateus no meio do meu público, mas quem é que tem coragem de dizer que este menino não vai para o céu? Um homem lésbico só olharia com cara de quem tem fome mas comeria outra porra qualquer. E não diria nada. Ou seja: más línguas há muitas!

Mas isto não altera uma coisa: são muitos! Eu fiquei verdadeiramente deprimida quando me apercebi isso! Porque eu diria com a maior das naturalidades e sem pensar que estaria a mentir que não tenho muitos amigos homossexuais!

E fufas, nem vê-las! Mmmm... pensando bem... talvez... não interessa!

Abobrinha disse...

Bizarro

AS mulheres são fáceis de entender, acredita. Quando te aperceberes quão fáceis são de entender, então estás lá.

Quanto a ser encantador, é um processo. Continua a tentar, que é o verdadeiramente importante. O oposto é dizer "ah, e tal, não vale a pena tentar entender as gajas, porque elas são muito complicadas". Com todo o respeito, isso é uma paneleirice!

Bizarro disse...

Abobrinha abobrinha,

Eu já percebi as mulheres (por isso fiquei bonito) elas querem uma cena que fica no intervalo entre chocolate e livros, é dificil de explicar por palavras.

Quanto ao tentar, não gosto de tentar por muito tempo, se não consigo num prazo que eu considere aceitavel, deixo de tentar, e vou render para outras paragens, um exemplo foi na altura que achei que não queria pagar a um designer para trabalhar comigo nos sites que fazia, e decidi fazer eu o design de um site, até que percebi que o tempo que levava estava a custar-me mais dinheiro que pagar a um designer, é tipo a cena do ser encantador, também hei-de conseguir, mas sai-me mais barato ser só bonito :)

Abobrinha disse...

Bizarro

As mulheres querem tudo. É só isso que merecem.

Quanto ao tentar, é a hora errada para te dar uma resposta, porque eu também não a tenho e não posso mostrar-me demais (não faz parte da minha natureza). Seja como for, faz o que aches mais confortável. Mas não fiques com a sensação de poder estar a passar ao lado de algo em que valia a pena investir.

E ser bonito ajuda. E és bom menino, por isso estou certa de que isso há-de capitalizar-se em qualquer coisa que valha a pena em breve ou quando for mais oportuno.

Krippmeister disse...

"Havia um filme que é uma palermice eu não me lembrar do nome (mas é assim que eu sou) em que a Darryl Hanhah era uma sereia. Quando estava em terra firme tinha pernas (e que pernas!), mas de cada vez que ficava molhada ficava com barbatanas, por isso... eeeeee... mmmm... perdi-me... onde será que eu queria chegar? Mmmmm... não me lembro... seria badalhoquice?"

O filme era o Splash, com a Daryl e o Tom Hanks. Coitado do Tom, encontrar uma boazona que cada vez que fica molhada se transforma em peixe deve ser ingrato...

Abobrinha disse...

Herr K

Au contraire, mon cher: há mais que muitas maneiras de cozinhar peixe... e depois de cozinhar... tem que se comer...