quinta-feira, 17 de abril de 2008

O meu pénis dava um festival

É o que devem pensar estes amiguinhos que conheci via Expresso, que se reuniem (literalmente) à volta do pau!

"Todos os anos um gigante pénis de madeira é o grande protagonista de uma festa que reúne milhares de pessoas em Kawasaki, no Japão. Celebrar a fertilidade e pedir protecção contra as doenças sexualmente transmissíveis são os grandes objectivos daquele que é já conhecido como o "Festival do Pénis"."

Ou então será um a homenagem ao Vincent Gallo e ao seu... (aaaaaaaaaa....) coelho castanho!

Ou terá sido por aqui vir que o Vincent ficou com um grande... gallo? Eu apostava mais na medalhinha da primeira comunhão!

"Entre os vários alimentos com formato de órgãos sexuais servidos durante a festa, os mais procurados são as salsichas enroladas em pão, que simboliza a vagina."

Não sei se a Chloe Sevigny vai ao festival, mas quase aposto que não come pão. Mmmm... na volta é por isso que ela é tão fininha! Tenho mesmo que lhe perguntar, da próxima vez que a vir!

De qualquer modo, amanhã o tema para o consultório sexual será... "o meu pénis"!


5 comentários:

indomável disse...

minha querida abobrinha...

O meu pénis não dava um festival... até porque não tenho pénis e mesmo que tivesse não ia fazer dele um festival, até porque depois não ia dar para as encomendas e a concorrência do galinácio abaixo cabava logo num instante...

Ainda assim, não pude deixar de saudar este teu post tão a despropósito, mas que por isso mesmo vem a propósito ou então talvez nada disto que escrevo faça sentido, mas enfim...
tanto tempo de ausência tinha de dar nisto!

leprechaun disse...

Olha!!! O festival a que a Ritinha foi no Japão, mas há umas 2 semanas atrás, parece...

Sim, honra à fertilidade... mas agora até já nem são precisos nada desses atributos, ao que se ouve e lê... ;)

Creio que o nome da celebração é Kanamara Matsuri, a jovem adaptou-a para seu nick! :D

Mas o xintoísmo é de longe a religião do Extremo Oriente que eu menos conheço. Só há uma dúzia de anos me comecei a interessar por aprofundar as minhas leituras sobre isso. Apenas sei que o culto dos ancestrais e da natureza é a base na religião tradicional japonesa.

Ora bem, vou ter de pedir à linda gueixa que me ensine...

Rui leprechaun

(...quando ela regressar aqui prò Djinn! :))


PS: O que vale é que a Rita nem lê este blog... e que o lesse, já sabe com o que (não) pode contar... ;)

Abobrinha disse...

Indomável

Também tenho saudades tuas, moça, mas penso sempre que estás aí a ler-me.

Foi badalhoquinho, não foi? Assim muito Abobrinha, certo? EU mesma gostei!

Mas vê se colocas uma pergunta por outra no consultório sexual acerca do teu pénis. Real ou imaginário não interessa, porque o importante é mesmo o anonimato e um nick de arrancar os cabelos.

Abobrinha disse...

Leprechaun

Se eu fosse ao Japão não sei se o primeiro sítio que visitaria seria este festival. Mas como não fui ao Japão nem planeio, não é sequer relevante. Sorte da Rita! Quem quer que ela seja!

leprechaun disse...

Mas ela foi porque está lá, claro!

De facto, nem sei se essa cidade fica muito longe de Yokohama, mas posso ir já ver... a correr! ;)

Bem, ambas se situam na maior ilha japonesa, Honshu, onde também estão Tóquio e Hiroshima. Ah, mas confere! As duas cidades ficam na mesma província de Kanagawa, que nem é muito longe de Tóquio, situada logo a norte.

Ora, pergunta-se à Rita quando ela aqui vier... mas não sei é se convém dizer que ando a falar aqui tanto dessa juvenil beldade...

...ora, mas se eu amo a mocidade...

Rui leprechaun

(...tudo o que digo é verdade! :))