terça-feira, 17 de março de 2009

Abobrinha, Dra.

Acho que o título já chega!

Acho que toda a gente já teve que esfregar os olhos numa ocasião ou outra para verificar que, depois da esfregadela a mancha ", Dr." ou ", Dra." (a vírgula e o ponto são importantes!!!) continuavam lá!

E não, não dá estilo: é PAROLO!!!!! Um licenciado é só um licenciado, um mestre é só um mestre, um doutorado é só um doutorado! Um título académico é como uma pila: o tamanho não é tão importante como o que se faz com ela!

Dito isto, odeio ser tratada por "dona" só porque não ando a exibir o meu título académico! Não faz mal!


Aha! Já consegui introduzir (salvo seja!) a palavra "pila" num post! Isto está a voltar à badalhoquice!

32 comentários:

Boop disse...

Sim Dra!
;)

VCosta disse...

Em questões profissionais, acho bem que se faça uso, fora isso ñ...
Julgo que a confiança entre as pessoas devam quebrar esses formalismos! Eu não tenho nenhum título académico e se tivesse raramente o utilizaria (acho eu)!

Storyteller disse...

A utilização dos títuloa académicos é uma questão de deferência. Mas a mim irritam-me um bocado. Quando me tratam por Dr.ª Storyteller... parece que não sou eu!

GATA disse...

Pois, eu também não gosto de usar... mas, por vezes, tenho que puxar do título académico, especialmente quando as pessoas são parvas e tratam os demais como se fossem m***a! Curiosamente o 'tratamento' muda e elas ficam mansas mansas... e eu fico brava brava! Porque detesto gente cínica!

Storyteller disse...

Gata,
E se ao título académico ainda juntares a carteira profissional de jornalista... é vê-los todos caírem a teus pés!
É feio, mas às vezes é mesmo necessário!

francis disse...

mai nada sra dra.

Eu mesma! disse...

Eu também detesto o titulo académico agora.... o "Dona" não....

Quando me dizem...
Dona Eu Mesma eu própria digo... ou é Dr.ª Eu Mesma ou é Eu Mesma mesmo!

Agora Dona não....
é que eu não sou dona de nada :)

Onde eu trabalho somos mais de 70% licenciados, doutores para cá e doutores para lá....

então tratamo-nos por tu e pelo nome próprio!

Muito mais prático!!!!!!

:)

Agora ter Dr.ª no Cartão Multibanco.... acho uma parolhice de todo o tamanho... é que Dr.ª não faz parte do nome escrito no BI......

Storyteller disse...

Mas «Dona» não gosto!
É demasiado horrível! Estou com a Eu mesma!
Se é para armar aos cágados, Dr.ª Storyteller, por favor. Se não, vai mesmo Storyteller... ainda por cima, no meio em que me movimentoé comum tratarem-nos pelo nome próprio.

Blondewithaphd disse...

Pois eu cá não gosto nem do Sra. Dona Blonde, nem do Sra. Dra. Blonde, nem do Sra. Profa. Dra. Blonde. Isto só mesmo neste país!

NI disse...

Por incrível que pareça já sofri críticas por me estar a borrifar para o meu título académico. Confesso que só faço uso dele na situação que foi descrita pela Gata. Detesto quando alguém se faz superior ao outro...

Abobrinha disse...

Meus caros

A grande questão é que em Portugal NÃO EXISTE em circunstância alguma o "Abobrinha, Dra.". Nem para meios académicos nem para nada.

O uso do título profissionalmente só é relevante para "colegas" (aka advogados) e médicos. E esses são Dr. Abobrinha. Notem a diferença!

O Abobrinha, Dra. é uma americanice que do Abobrinha, M.D. (se a Abobrinha fosse médica) ou Abobrinha, PhD. (se fosse doutorada). Neste último caso em Portugal seria Doutora Abobrinha.

Esse "neste país" é uma questão falsa: há outros países e circunstâncias que são mais formais que outros. Mas cada qual é o que é. Agora estar a usar erradamente um título e ainda por cima com um formalismo importado... é estupidez!!!

Quanto ao Dra. Abobrinha no cartão e extratos bancários, acho parolo. Compreendo (infelizmente) que haja quem precise dele para ter respeitabilidade. Mas é triste! Eu mandei tirar o meu título da minha conta bancária, porque não é relevante.

Não gosto que me chamem "dona", mas odeio mais que me tratem com excesso de reverência ou com falta de respeito.

GATA disse...

STORYTELLER: medo, muito medo! :-)

EU MESMA: pior que o DR. no cartão multibanco, é o DR. no cheque... careca! Lindooo!

L!NGU@$ disse...

Então, senhora doutora? Não seja assim. :p

Sadeek disse...

Mas "licenciado" não é maior que "Mestre"?! Isto quer dizer portanto, que quanto mais pequeno o tamanho, melhor?!

Caraças...já me fizeste ganhar o dia...HAHAHAHA

BEIJOOOOOOOOOOOOOO

pinxexa disse...

Já não metias aqui "pila" (salvo seja)à muito tempo e mesmo assim fostes logo dizer inverdades!
Não interessa?!
Mas não interessa para quem?
Para mim, interessa!
;-)

Anónimo disse...

Então muito boas tardes !!
Isto de falar com a senhora doutora, eleva-me o dia.
Por favor não use o dra é que douta_ora é muito à frente.
Portanto e se bem entendo a dra tem horas em que é douta mau ! e nas outras é que mete pilas??
Dedicado
Valetorno

Com tranquilidade disse...

Que grande debate... drª., doutora, mestre, Mestre... interessante, muito interessante!

Lembre-se, cara amiga, que tudo "isso" poderá ser qualquer um (obviamente com trabalho)e que o difícil é ser Senhora ou Senhor.

Abraço e continuação nessa sua azáfama.

Bacardi disse...

O mais giro disto é que, para que conste o "dr." ou o "eng." no cartão do banco, não é preciso fazer prova de nada. O mais simples trabalhador das obras, que nem a 4ª classe tem pode perfeitamente chegar ao banco e pedir para o tratarem por doutor. E os senhores fazem-no com todo o gosto. Giro, não é?

Acho que vou dar um salto ao meu banco e pedir para porem lá "engenheiro doutor professor coronel Bacardi". Só porque me apetece :)

Manuel de Jesus disse...

Então e piadas ao curso do Sr. Eng., não há? E ainda ele se queixa de cabalas na blogosfera, um post com este tema, dúzia e meia de comentários e nem uma piadinha, tá muito fraquinho.

Não te preocupes com isso da pila, porque eu que ando por aqui há muito pouco já descobri que quanto mais pilares mais o povo gosta e os Drs e os Engs também.

Abobrinha disse...

Gata

Não é preciso ser doutor nem pelintra para se ser caloteiro...

Abobrinha disse...

Dr. L!ng@$

A minha posição em relação ao título é discutível e tem que ser vista como parte de uma tendência. E a tendência é mais respeitar a competência que o título e caminhar para uma informalidade respeitosa.

Abobrinha disse...

Sadeek

O do licenciado é maior que o do mestre? Não sei, depende do licenciado!

Fogo, eu estou mesmo em baixo de forma: não tinha descoberto esse filão badalhocal, pá!

Abobrinha disse...

Pinxexa

Eu não digo inverdades. Eu introduzi (salvo seja) o tema a partir de um erro que é o modo como se apresenta o título.

O título interessa profissionalmente em algumas actividades como a advocacia e afins, medicina e certos ambientes e situações académicos. Não para uma carta em outras situações.

Quanto a ter uma licenciatura, eu valorizo muito a minha porque me saiu do corpo. Mas não exijo reverência, particularmente porque foi uma parte (importantíssima) do meu percurso pessoal e académico. Mas... that's it! Não tem mais importância que isso!

Abobrinha disse...

Valetorno

A Abobrinha ou a Dra mete pilas dependendo mais da disposição que do tratamento e dos estudos. As minhas "bedside manners" não incluem exigir o tratamento formal nem sequer um "com licença"... normalmente nessas alturas eu já estou (digamos) receptiva a essas coisas e dá para ver!

Abobrinha disse...

Com Tranquilidade

QUe bom saber que ainda me lê! Estava com saudades de um comentário seu!!

Volte sempre!

E sim, tem razão: ser uma pessoa a sério é mais importante e mais complicado que o título académico. A vivência na Faculdade tanto pode ajudar como não quem se está a formar como pessoa. E, como no resto da formação, tem que ser contínua, porque os estudos não se limitam aos bancos da Faculdade e a fazer cadeiras!

Abobrinha disse...

Bacardi

Giro giro seria mesmo que hoje em dia seja o que for que vem de um banco tivesse credibilidade!

Acho que "marido blogosférico da Abobrinha" te daria mais prestígio (e também é um título!)! Mas é só uma opinião!

Abobrinha disse...

Manuel de Jesus

Bah, isso do Eng. do "outro" foi mesmo praticamente só isso: parolice e presunção! E ele só se borrou com isso, mas a nível do anedotário nacional. Grave é tudo o resto, mas a malta não quer saber!

Quanto aos pila-res, este não é da altura do betão como o "outro". E tem que se convencer disso! Porque o povo já se convenceu!

Sadeek disse...

Não estás pior que eu de certeza. Mas a minha javardice consegue sempre ir mais além...:D

BEIJOOOOOOOOOOOOOO

Bacardi disse...

Giro giro seria transportar estes títulos para o século XXI. Assim uma coisa mais bairro social novaiorquino. Por exemplo "Nigga Bacardi" ou "Nerd Bacardi" (não me considero nenhum dos dois). Isso sim teria piada.

Abobrinha disse...

Bacardi

Bem... há uns anos li que havia pessoal a querer mudar de nome para ser qualquer coisa como "manuel.com"... por isso já não digo nada!

...mmm... achas que eu conseguia abrir conta como Abobrinha??

Pedro M. disse...

Eu não só já introduzi a pila num post como numa... esquece.

Abobrinha disse...

Pedro

Deixa-me adivinhar: oooops, escorregou! HAHAHA! Não resisti!