segunda-feira, 2 de março de 2009

O que é e o que não é arte

Arte é uma coisa de difícil apreensão. Maçuda. Densa. Pesada. Por vezes difícil de compreender o que é ou não.

Por vezes cruzam-se os limites da pornografia. Como na imagem abaixo: um leigo confundiria esta obra de arte com uma inocente folhinha na loja transmontana no Porto, anunciando legumes. Meus amigos, nada disso! Mesmo porque os meus leitores de há mais tempo sabem que ESTE legume é tudo menos inocente!

A obra em causa, datada de 2009 e de autor desconhecido tem que ser visto em contexto: o suporte é descuidado, assim como o local em que está exposta. Mas nada aqui é inocente: trata-se de uma subalternização da mulher: tratada como um vegetal, indignamente exposta e vendida a menos que a unidade monetária europeia. Profundamente triste e faz-nos pensar no papel da mulher na nossa sociedade e no mundo inteiro! A pobreza técnica da foto é mesmo culpa minha.
A famosa obra "vegetariana" do pândego do Gustave Coubet tem outra dignidade: teve um franciú todo chique e todo artista a elaborá-la, tem uma mata como moldura, está inserido num contexto chique com o pomposo nome de "escola realista" (chama-lhe realista!), a modelo foi bem paga (não sei se em géneros se em numerário), e o mesmo vegetal que o anunciado atrás foi exibido em museus de todo o mundo, num suporte digno. Quando esse filme passou a livro no nosso país, a crítica não foi consensual e meteu polícia e tribunal (ver aqui, por exemplo)!
Em Serralves vi a arte como muito homem impotente: ao dependura! Possivelmente inspirada nisto é que a Sexykiller congeminou a cena de pendurar o bonitão... depois de lhe ter dado uma facada e engatado um gancho nas costelas, o que por acaso não ocorreu ao Juan Muñoz. E por bons motivos: as mulheres são mais lixadas nestas coisas!
E depois vamos para a sétima arte. O amor, esse desconhecido! Who're you gonna call? Não, não os ghostbusters, mas o deus do amor: Eros! O filme "Help me Eros!". Atenção: o ponto de exclamação é artístico, como podem ver aqui na Wikipédia: "The exclamation is a wry reference to the film's comically cynical perspective on human relationships, in which a wide variety of unlikely subjects - food, marijuana and live eels, amongst others - become substitute objects of comfort and affection for the protagonists. The plea for help is also a strong theme in the form of the suicide hotline." Lindo, não? Artístico, profundo, denso, difícil de compreender!
E nesta altura vocês estão a pensar: tu não nos pregaste esta seca para falar de arte, pois não? Claro que não! Eu preguei esta seca toda para mostrar esta imagem, do filme "Help me Eros!" (não esquecer o ponto de exclamação!). E para não pensarem que eu inventei, tirei-a desta página da net (é mesmo o último filme)! Isto, meus meninos e minhas meninas... é arte! Não é badalhoquice. OK, eventualmente contorcionismo!

E Pedro M., meu menino... isto é para quando achares que o teu dilema é mesmo um dilema: como é que abordarias uma menina para uma coisa destas? Certamente que não com a abordagem "escorregou"!!! Nem com um bitoque ou um batido de morango!
NOTA 1: Este é, oficialmente o post mais badalhoco de há um tempo! Não está extremamente inspirado, mas está badalhoco!
NOTA 2: Se eu disser que a origem deste post foi uma busca de imagens no google com a palavra "help" ninguém acredita, pois não? Mas acreditem que foi verdade!
NOTA 3 (acrescentada às 00:52): Conforme acabei de escrever num comentário ao post abaixo, não tenho a certeza até que ponto me sinto inteiramente confortável a colocar imagens tão... badalhocas como as que aqui tenho. E não é por ter um amigo "offline" a passear-se por aqui. É mesmo por... não sei: há fases que se passam e às quais não se volta! E não sei se esta é uma delas.

31 comentários:

Eu mesma! disse...

Minha linda...
o post não é badalhoco....

é artístico!

Storyteller disse...

Pela nossa saúde mental, não acabes com a badalhoquice. É fundamental para que os nossos dias corram às mil maravilhas.
E a Eu mesma! tem toda a razão: este post não é badalhoco, mas sim artístico. Tipo artístico-trungalhunguento, mas mesmo assim artístico.

NI disse...

Desculpem lá mas antes de me pronunciar sobre se é arte, contorcionismo ou simples badalhoquice tenho que experimentar. Eu cá não sou pessoa de emitir opiniões por dá cá aquela palha...

GATA disse...

Correndo o risco de ser considerada conservadora, não gosto nem nunca gostei (nem que venha Deus à Terra mudo de opinião!) do quadro Courbet - para mim é uma mulher nua de perna aberta e ponto final E jamais teria esse quadro na minha sala! Porque para ver uma gaja nua, dispo-me e ponho-me frente ao espelho!

Em relação aos restantes exemplos... errr... desculpa mas para mim não são arte! Porque se o gajo e a gaja nus são arte, ó pá... então eu também sou uma artista! :-)

Anónimo disse...

sou pouco dado a cenas de arte (trombose antiga nessa veia)mas logo que meta gajas e tiros, parece-me bem. O que não percebo é aquela dos grelos, seguramente por falta de informação! Concretizemos, os grelos... são de couve ou de nabo? e neste ultimo caso , são dos que amarujam ?
dedicado
valetorno

francis disse...

não sei porque é que está badalhoco...está até compostinho...tirando o preço do grelo.

Abobrinha disse...

Eu Mesma, Storyteller e Francis

Mmmmm... quer dizer, tem um 69 acrobático e um... coiso... pois... não sou a única a precisar de óculos! A questão é: e eu quero saber? E acho que a resposta é: NÃO!

Storyteller

Pois, sem badalhoquice não há mundo! E se houvesse, seria menos divertido!

Abobrinha disse...

NI

Experimentar? Estás a falar da loja alentejana, da pintura, do dependura ou do contorcionismo? O que esta mulher está disposta a fazer por amor à arte!

... depois conta, OK?

Abobrinha disse...

Gata

Em relação ao quadro, eu concordo contigo. Mas haveria sempre quem te chamasse (logo, a mim também) de ignorante e que não sei o quê e que a pintura é uma quebra de convenções e que só ligamos ao que é bonito e que a arte não é só o que é bonito e mais não sei quê. Ou seja, balelas de quem acha que sabe muito!

Em relação às tuas obras de arte, aí já puxo de outro chavão artístico: arte é tudo o que eu digo que é arte! Escolhe é bem o público, não? ;)

Abobrinha disse...

Valetorno

Não sei, a loja estava fechada quando passei por lá. E daí... who cares? Um grelo é um grelo!

Eu também desconfio que nasci sem essa veia para apreciar arte. Mas também nunca me fez falta e não é agora que vai começar a fazer.

Caranguejo disse...

Isto faz me lembrar as discussões que tinha em história de arte, e o post está bem fixe para além de arte até fala em contorcionismo lol.

Beijinhos

Abobrinha disse...

Francis

Mas o preço é alto ou baixo? Qual é a cotação do grelo nos dias que correm?

Storyteller disse...

Quanto à cotação do grelo, não faço a mínima ideia, mas eu ando aqui às voltas com o Big Mac Index da revista The Economist (não se esqueçam que eu tenho a mania que sei tudo).

Abobrinha disse...

Caranguejo

História da arte??? Que peninha que eu tenho de ti!

Abobrinha disse...

Storyteller

Então chuta para aí a cotação do grelo. Uma mulher informada vale por duas. Ou três. Ou quatro... e já estou de novo a entrar no domínio das fantasias lésbicas, apesar de o assunto estar em discussão do lado da Pinxexa...

Eu mesma! disse...

A cotação do grelo??????

mas que raio é que voces estão a falar?

fica uma miuda a manhã toda sem ver o email porque ATE ESTA A TRABALHAR... e voces falam em grelos cotation!!!!!!

:)

Abobrinha disse...

Eu Mesma

Isto tinha uma lógica e uma sequência... mas eu não me lembro de uma nem outra! Não interessa: o que interessa é que, de uma maneira ou outra, isto descambou! Forte e feio! Justamente quando me estavam a acusar de ser púdica!

Caranguejo disse...

Também eu tinha Abobrinha...

Queres ver que vai ser o grelo que nos vai tirar da crise... :)

Eu mesma! disse...

mas vocês continuam com os grelos??????

:)

Abobrinha disse...

Cada qual fica com o grelo que tem e a mais não é obrigado! E eu tenho o meu!

(e eu não acredito que acabei de escrever isto...)

VCosta disse...

Quanto a arte e nada percebo mas tudo é bem-vindo a este mundo!!!
Quanto a grelos, hoje em dia dou muito mais valor, mas a cotação dos ditos não faço a miníma ideia, nunca fui às "compras"!!! hehehe

GATA disse...

"haveria sempre quem te chamasse de ignorante..." Errr... e tu achas que eu me importo??? :-)

A quantidade de pseudo-intelectuais que eu já aturei... sabem tudo, aqueles seres iluminados a pilhas... mas quando lhes pergunto "qual é a capital do Burkina Faso?"... engasgam-se!!! Ah pois é bebé!

By the way... a capital do Burkina Faso é UAGADUGU! :-)

Salto-Alto disse...

LOOOL! Só mesmo tu! Está genial este post!

Joaquim Simões disse...

É por estas e por estes (posts) que eu continuo a ter esperança em ti!
Beijinhos.

Tinta Permanente disse...

muito pedagógico!, lol

Abobrinha disse...

VCosta

Comprar grelos... realmente não é muito recomendável. É melhor pedi-los no quintal de alguma vizinha...

Abobrinha disse...

Gata

À quantidade de disparates que eu já disse sobre arte... achas que eu me importo também? Não creio!

E pronto, um momento de cultura no Abobrinha... agora é só preciso que eu fixe esse nome demoníaco.

Abobrinha disse...

Salto-Alto

Tu é que és esperta, porque percebeste que eu estava num daqueles dias em que precisava que me dissessem que eu estava genial!

Abobrinha disse...

Joaquim

Este blogue acaba por cair sempre na badalhoquice. Ou seja, é artístico, porque a badalhoquice é a origem do mundo... get it????

Abobrinha disse...

Tinta

... és uma crente, minha querida! ;)

VCosta disse...

... concordo tb!!!
Nesta altura de crise mais vale é comer mm o que é produzido em casa!
O caseiro acaba por ter sempre mais valor e ser mais gostoso!!!