segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Como tratar um homem como um pedaço de carne

Ou como a poluição debaixo da ponte Vasco da Gama é um horror!


Depois da verdadeira problemárica do assédio sexual do ponto de vista de uma mulher, a Abobrinha vem explorar meios de tratar um homem como um pedaço de carne. Eu que até sou vegetariana! Mas uma coisa não tem nada que ver com outra: homem de vez em quando é para ser tratado como um pedaço de carne! Tenra! E comido à mão!

Há muito tempo que os homens tratam as mulheres como pedaços de carne. Como têm dificuldade com o todo, dividem a coisa em partes ou pedaços facilmente identificáveis. Não é bem assim, mas fica a ideia (e depois, há pervertidos para muita coisa).



O Hannibal Lecter ao menos era um mister: lavava as mãos (neste filme foi conveniente, mais que não seja porque teve que a reimplantar) e cozinhava como um gourmet. E gostava de cenouras. Pelo menos de cabeças de cenoura (a Juliane Moore é linda, só tem bom gosto o homem).



A Eva Mendes pode até não usar peles (por acaso não sei se é vegetariana), mas tem todo o aspecto de saber esfolar um homem. E digo eu que há quem não se importe e até se ofereça para estrada, refeição principal e sobremesa! Como um pedaço de carne!

Acho que a Cristy Turlington é vegetariana, pelo que tratar um homem como um pedaço de carne se torna logisticamente complicado. Mas com dois pães faz-se uma sandezinha num instante. É prático, não se suja as mãos, não tem muitas calorias e não engorda muito. Quando os pães são deste calibre, entra-se verdadeiramente no regime gourmet! Para uma menina tão magrinha, logo tão frugal, trata-se bem a moça!

Há grandes argumentos para o vegetarianismo, como este cidadão. Embora para saber se o argumento era grande ou não eu precisasse de o ver de frente). Mas promete! Já vi melhor, já tive muito melhor e não gosto das tatuagens. Dito isto, aquelas agulhas hão-de ter tornado a carne mais tenra.

Há homens que têm um problema com a comida: comem tudo o que lhes aparece à frente e metem tudo à boca. Mas estes 4 cidadãos têm o aspecto de queimar muitas calorias no processo. Estão no seu direito! Mesmo! Embora eu tenha problemas (meramente logísticos) com ter homens a tratar outros homens como pedaços de carne: isso é o meu departamento, caramba!

As bananas são excelentes para matar a fome quando não se tem salsichas ao pé. Há quem não goste muito de bananas, mas as salsichas engordam muito. Sendo assim, não há grande problema em não comer: chupa-se só. E lambe-se!

Os homens não têm problemas em comer pito (é termo cá de cima para frango). No caso deste cidadão, eu abandonaria o vegetarianismo na boa por uma horinha e tal. E ainda o deixava próprio para consumo (mas sem saber de que terra era!). Podia tratá-lo como um pedaço de carne, mas no fim ele ia gostar. De novo, a merda das tatuagens não é lá muito a minha missa, mas à meia-luz também não se nota muito.

O que seria bom era mesmo que os homens viessem embaladinhos, prontinhos a preparar e comer, certificados e com prazo de validade.

Finalmente os perigos da carne e da poluição debaixo da ponte Vasco da Gama: a salsicha pode ser boa (OK, mal vestida) e parece ter pouco colesterol, mas a vaca louca tentou montar uma árvore, o que não pode ser normal na maioria dos países. O que é que vocês andam a pôr debaixo da ponte para causar este tipo de comportamentos?





10 comentários:

bluegift disse...

A publicidade está muito bem feita. O vídeo bem podia candidatar-se ao prémio de mau gosto do ano...

Joaninha disse...

eu adoro este titulo até porque muitas vezes é isso que eles são uns belos pedaços de carne ;-)

Abobrinha disse...

Bluegift

Estranhamente eu gosto da publicidade da cena dos homens homossexuais asiáticos. Está muito bem feita e é muito ternurenta (e um bacanal do carago, diga-se!).

O vídeo é o máximo! Se eu soubesse mexer-me com aquele à-vontade, casava-me. Mas as joelheiras, as roupas e a combinação de cores... beeeem! Mas a música tem power!!!

Abobrinha disse...

Joaninha

O título é bom, mas encontrar nacos de carne em condições é que é uma porra! E às vezes quando o produto até parece bom, não sabe a nada.

O segredo é procurar! Muito!

bluegift disse...

Não tb não tenho nada contra a publicidade com homossexuais, ora essa!! É um desperdício sim, mas o que é que se há-de fazer ?! :P

Abobrinha disse...

Bluegift

Há meninos que se sentem ameaçados na sua sexualidade que acham essas coisas feias. Eu gosto do raio da imagem. E sim, é um desperdício.

Crestfallen disse...

Tratem como um pedaço de carne, desde que me deixem em pau depois :)

Abobrinha disse...

Filhinho

Isso é só para quem merece. Não é para qualquer pedaço de carne.

Crestfallen disse...

Eu não queria escrever:

"desde que me deixem em pau depois"

Mas sim.

"desde que me deixem em paz".

A letra "u" fica ao lado da "z" nos teclados Alemães, por isso fugiu-me o dedo para a verdade :)

Abobrinha disse...

FIlhinho

A isso eu chamo um acto falhado. O que te safa é que eu sei que os teclados alemães são exactamente iguais aos nossos menos o y e o z que estão trocados (por acaso tinha pensado que era o x, mas pelos vistos não).

Mas olha que faz mais sentido assim! ;-)