terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Toda a verdade sobre o meu rabo gordo e mais qualquer coisinha

Se eu estivesse dedicada à política teria um tabu. Mas eu não estou na política! Ou por outra: estou, mas isso é só porque a política é frequentemente uma badalhoquice. Ora badalhoquice é a especialidade da Abobrinha (com incursões tímidas em outros campos). Logo, pode-se considerar a Abobrinha um blogue político.

Um dos assuntos mais discutidos e que seria um aparente tabu é o meu alegado rabo gordo! Mas ao contrário da política, eu não tenho tabus! E governo por sondagens, como qualquer político decente (e também não sou engenheira). Por essa lógica criei o consultório sexual, um sussexo, embora tenha que contribuir com grande parte das questões, que esta gente anda muito presa e não suficientemente badalhoca.

Uma das sondagens dizia respeito a essa mesma lógica de mercado, perguntando preto no branco “Que tipo de problemáticas prefiro ver abordadas pelo génio da Abobrinha?”

Numa votação em que 29 criaturas de Deus (entre crente, ateus e agnósticos) perderam tempo, as respostas foram organizadas da seguinte forma, por ordem decrescente de número de votos (num total de 49 votos, 1,7 votos por criatura, em média):

Gajos 10 (34%)
Badalhoquices, sejam elas quais forem 10 (34%)
Qualquer coisa, desde que tenha imagens fixes! 10 (34%)
Fufas 8 (27%)
Se ela se calasse é que era fina! 7 (24%)
Evolucionismo 4 (13%)

As respostas não deixam margem para dúvidas: a minha especialidade é algo vaga! As respostas “gajos”, “badalhoquices” e “qualquer coisa” ficaram com o mesmo número de votos. De perto temos “fufas”, um clássico! Um número desapontantemente baixo de votantes acha que se eu me calasse é que era fina. E se há dúvidas quanto à existência de crentes neste blogue, 4 almas simples acham que eu me devo dedicar ao evolucionismo. Não que eu não goste (e gosto muito, acho fascinante), mas não sou capaz de falar no assunto com a profundidade intelectual que o assunto merece. Dito isto, esses 4 votos podem vir de criacionistas ou de pessoal que votou em tudo ao mesmo tempo.

Mas onde é que eu ia? Ah! No meu alegadamente gordo rabo! Acho curioso como pessoas que não me conhecem de lado nenhum opinaram sobre o meu rabo! Mas o tamanho do meu rabo não é tabu! Nada na Abobrinha é tabu! Já mostrei os meus sapatos, os meus pés, o meu pi-pi e a minha pi-linha, por isso o meu rabo e o seu tamanho não serão nunca tabu!

De tal modo que, em mais uma genial iniciativa da Abobrinha, organizei outra sondagem a fim de tirar a temperatura ao grau de badalhoquice e receptividade deste blogue, que só existe para vós, o meu público fiel (embora se pronunciem poucas vezes nos últimos tempos, seus desgraçados! Horrorosos!).

A pergunta era (de novo) o mais directa possível: “Como têm andado os posts da Abobrinha?”. Desta vez só 16 crentes responderam (para o caso de haver dúvidas quanto à crise de fé que assola o mundo) em 17 respostas (e ainda por cima não votaram em mais que uma hipótese! Que miséria!). Por ordem decrescente:

EU QUERO É FUFAS, CARAGO! 5 (31%)
Pá, está badalhoca como sempre! 5 (31%)
Eu cá para mim ela tem é o rabo gordo e
o resto é conversa para boi dormir! 4 (25%)
Murchitos: está a perder o talento
para a badalhoquice. 2 (12%)
Nota-se que está a ficar velha e carunchosa. 1 (6%)
Bah! Às vezes dá-lhe para ser séria e não gosto disso. 0 (0%)

É reconfortante saber que das duas uma: ou ninguém me leva a sério, ou ninguém se importa que eu de vez em quando fique séria. Ou ambas.

Uma clara minoria acha que eu estou a ficar velha e carunchosa e a perder o talento para a badalhoquice. Uma clara maioria acha que eu sou uma badalhoca, como sempre fui e reclama por fufas!

Mas um número significativo de crentes reclama que o meu rabo tem que ser gordo! Sendo este um blogue com uma lógica de mercado, acho que tenho mesmo que esclarecer esta dúvida. O público assim o exige!

Mas eu tenho para mim que quem votou estava a pensar no oposto! Aliás, a manifestar o seu agrado pelo facto de eu mostrar rabos muito interessantes e mesmo (pela primeira vez na história da literatura moderna) a versão Heineken do rabo da Simone de Beauvoir: provavelmente o verdadeiro rabo da Simone de Beauvoir! Não há certezas, mas a literatura também não é uma Ciência exacta. Nem a Abobrinha.

Abobrinha é política! Claramente! Sem tabus! Incluindo o do meu alegado rabo gordo.

Ora rabos são uma das especialidades da Abobrinha. Também mais ou menos na óptica do utilizador, dado que apresentei aqui um post alegadamente sobre paneleiros (e era, mas ao mesmo tempo não era) e um par de imagens de homens homem-sexuais. Que achei giras! Mas a Abobrinha recusa ser rotulada por um tema. E por um rabo. Gordo ou não.

Não que seja assunto tabu: não há assuntos tabu na Abobrinha! Muito pelo contrário: fala-se de tudo. Na realidade, ultimamente, sou mais eu a falar sozinha, porque vocês não comentam muito. Mas eu nunca tive problemas com isso: consigo falar por várias pessoas e consigo mesmo interromper-me a mim mesma. Como em política!

Mas onde se vê que a Abobrinha é definitivamente política é na quantidade de promessas não cumpridas e na capacidade de ser muito palavroso sem dizer rigorosa e absolutamente nada... como neste post...

3 comentários:

Joaquim Simões disse...

Nestes cinco minutos que tive para te fazer uma visita, fizeste-me pensar. O será um rabo de abóbor(inh)a? E gordo, ainda por cima?
Hmmm...

Abobrinha disse...

Joaquim

Soube bem a visita. Pena ter sido tão curta. Volta sempre!

O que é um rabo de Abóbora... isso é politiquice...

leprechaun disse...

Humm... eu creio que votei nessas sondagens, sim!!!

Tipo... qualquer coisa, na 1ª, e o quê na 2ª?! Talvez nada, mas eu também gosto do registo sério... nem que seja só um bocadinho!

Ora, mas com tanto ginásio e veggie... same as me!... não devia haver assim tanta gordura por aí. Isso fica mais para mim, que pouco passeio pelo parque e no jardim.

Mas gosto de formas generosas...

Rui leprechaun

(...e Abobrinhas em flor tão maviosas! :))