quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Estar pronta para assumir o nosso casamento é...

... pensar em ti nos momentos mais improváveis...


... como nos corredores do Arrabida Shopping... não sei porquê...

Não sei se é amor, mas lá que é muita afinidade é! Bacardi... temos futuro!

25 comentários:

Bacardi disse...

Num post algures, pedi-te para me arranjares um lugarzito em tua casa para poder ir passar uns dias ao Porto e conhecer-te a ti e à cidade. Mas, à luz de um evento que vi publicitado há pouco na tv, exijo mesmo essa oportunidade. E tenho a certeza que vais querer partilhar estes momentos comigo:

Porto Lazer


Verás que, dia 14 temos um evento imperdível ao qual seremos obrigados a ir como casal: Desfile de Pais Natal. Como vês, o mundo está a compor-se à nossa volta e a indicar-nos que fomos realmente feitos um para o outro. Isso ou é Natal para os restantes mortais. Vou já começar a arrumar carros aqui no parque da faculdade para ter dinheiro para a munição. Algo me diz que as nossas caçadeiras não vão ter descanso neste dia.

Abobrinha disse...

Bacardi

Definitivamente é destino! Achas que vamos disfarçados ou que entremos assim a matar (por assim dizer), de camuflado, tipo "natural born killers" ou "Bonnie and Clyde"? Não será melhor comprarmos uma bazuca? É capaz de dar mais rendimento! Isto atendendo à tua (e minha) política de "cereal killers".

NI, antes que refiles, isto é romance no seu melhor!

Bacardi disse...

Um bocadinho offtopic: Li no teu post “everybody wants to be a cat” que gostas de gatos. Assim, aproveito para te presentear (a ti e aos restantes leitores do teu tasco) com um conjunto de vídeos que, pessoalmente, acho o máximo:

Simon’s cat

Este “user” tem 3 ou 4 videos, todos eles valem muito a pena. Divirtam-se :)

Abobrinha disse...

Bacardi

Amo gatos! É um dos motivos porque não tenho um de momento: não seria boa companhia, porque páro pouco em casa.

TEnho que ver os vídeos noutra altura, porque a minha ligação está lenta.

E tenho que IR DORMIR, porque a minha idade avançada não me permite estas coisas (sobretudo porque ontem também me deitei muito tarde).

Bacardi disse...

Como já disse, não acredito em destino. Mas um dos ditados que mais uso é “Eu não acredito em bruxas, mas que as há, há”. E, a haver destino, esta é, sem dúvida, a sua manifestação mais flagrante.

Quanto ao armamento a usar, acho que podemos ir variando. Bazuca não, mata muita gente de uma só vez. Mesmo sendo para o Guinness, duvido que haja assim tanta gente com tão baixa auto-estima que consiga sair de casa vestida de Pai Natal por simples caridade. Aposto mais em começarmos com espadas ferrugentas, e irmos avançando gradualmente até às armas automáticas e caçadeiras. Tem de ser um dia para desfrutar, momento a momento, dado que será a nossa primeira actividade como casal.

Quanto ao traje, porque não irmos de coelho da Pascoa? Visualiza comigo: 2 pessoas a entrarem por ali vestidas de coelhos, armadas até aos dentes, a matarem tudo o que se mexa e use roupa vermelha. Não parece quase Tarantino?

Crest© disse...

Estar pronta para assumir o nosso casamento é... Fritura, ahahahahaha

NI disse...

Romance no seu melhor?

E eu a pensar que estava a ler um argumento de um filme de terror....

Abobrinha disse...

Bacardi

Bem, há coincidências do caraças. Como eu e a NI termos estado a fazer compras da mesma coisa no mesmo sítio à mesma hora (e não nos termos encontrado, ainda por cima).

Gostei dessa dos coelhos! Mesmo porque toda a gente sabe o que fazem os coelhos! Parece-me uma boa imagem para a época natalícia: amor e repopulação do planeta (parecendo que não, vamos fazer um desbaste do caraças!).

O escalar da violência também me agrada: é uma imagem da sociedade! O devir, a actualização tecnológica (podemos usar uns Magalhães para esmagar alguns crâneos com produto nacional), as diferentes formas de violência, todas unidas pelo ódio à falsidade da época de Natal, apelando à autenticidade, à fé cega no próximo, à fé no amor e no compromisso, como simboliza o nosso casamento.

Mais: podemos alegar que o que nos preparamos para fazer é uma performance artística! Na volta ainda arranjamos um financiamento! Olha que eu tenho uns amigos em Serralves (o porteiro).

E gostas de Tarantino ainda por cima... ... uuuuuuuui, Tarntino! Se ainda por cima disseres que achaste a cena do Hannibal em que o moço leva a Julianne Moore ao colo para longe da cena dor porcos romântica, eu caso mesmo contigo! Isso ou dou-te uma "foot massage". E o Apocalypto? Gostaste do Apocalypto? Eu adorei: saaaaaaaangue por todo o lado!

Abobrinha disse...

Crest

Isso de frituras é no teu blogue. Eu odeio fritos: dão-me cabo da vesícula e engordam imenso!

Não: isto é a sério! OK, pode não ser, mas se fosse seria um casamento com mais fundamento que alguns que já vi por aí!

Abobrinha disse...

NI

Bem... e é! Mas não é romântico? Ficas a saber que em vez de posts anti-Natal, este ano Dezembro vai ser dedicado ao planeamento do meu casamento! Claro que "conhecendo-me" já sabes que isto vai dar asneira...

NI disse...

Logo que não fujas no dia do casamento de vestido de noiva e sapatilhas...

:-)

Abobrinha disse...

NI

Eu? Fugir? Não perdia este casamento por nada deste mundo! Mas ainda não decidi a indumentária. Na verdade ainda não decidi nada! Tenho que começar os preparativos, porque a data aproxima-se!

Bacardi disse...

Abobrinha:

Não concordo com usarmos Magalhães para matar pessoas. Isto porque, desde o lançamento desse artefacto, estou sempre a aguardar ver na capa do Correio da Manha: “Criança de 8 anos assassina e desmembra colega com Magalhães”. Acho que, mais tarde ou mais cedo, vai acontecer. Não quero ser eu a protagonizar isso, prefiro aguardar que uma qualquer criancinha se lembre disso. Vai ser tão divertido :)

Mas, de resto, violência em dose industrial é o que se quer nesta quadra. Assim podemos não só desfrutar do nosso Natal, como promover o espírito de união dos restantes mortais nesta quadra (mais que não seja, para fugir de nós). Um exemplo já estudado desta teoria é a série Futurama, em que o Pai Natal é um robot homicida e, de facto, as pessoas unem-se no Natal. Para se esconderem e não serem brutalmente assassinadas. Mas isso não interessa.

Quanto a Hannibal… não sou fã. Confesso que existem muitas pérolas do cinema que ainda não vi. A saga “O Silencio dos Inocentes” está na lista de “ver antes de morrer”. Não sei quando vai acontecer mas, dado que a minha futura esposa é fã, é possível que seja em breve.

Abobrinha disse...

Bacardi

Concordo com essa do Magalhães. E vou estar atenta aos jornais, porque essa parece-me uma excelente ideia!

Podemos usar o meu computador em vez do Magalhães: anda uma gaja a compar um computador caríssimo para ficar com as teclas e apoio do pulso gastas, mandar o filho da mãe para garantia e ficar sem ele um mês e tal... para o c*** das teclas estarem a caminho de ficar iguais? Não me parece bem! Faço-lhe um seguro contra actos de vandalismo e ainda consigo comprar outro (ou vários Magalhães para distribuir por criancinhas com atitude).

Ando um bocado arredada de desenhos animados. Fazemos assim: mostras-me o teu Futurama, que eu mostro-te o meu Hannibal... e isto assim de repente soou lascivo, por isso é melhor dizer que estamos a falar de filmes.

Mas estou a ver que temos que trocar apontamentos sobre filmes violentos. E nesta altura recordo-te que o Porto é famoso pelo Fantasporto! Oié!!!

Bacardi disse...

Tens de assistir a mais desenhos animados. Futurama, Family Guy, American Dad e os eternos The Simpsons. É divertidíssimo ver as sátiras que estas séries fazem às diversas culturas e, em especial, à norte-americana.

Quanto ao Fantas, era para ter ido este ano, mas não tive oportunidade. Tentarei ir em 2009. Mas mesmo que não vá ao Fantas, entre Janeiro e Abril irei ao Porto. E faço questão de te pagar um jantar num japonês. Filmes violentos não são os meus favoritos. Mencionei Tarantino porque tem um estilo especial, uma capacidade espectacular de transportar tudo para o mundo do fantástico. Filmes violentos só por si tendem a fazer-me rir porque tentam sempre ser tão impressionantemente explícitos que rapidamente caem no ridículo. Mas estou sempre aberto a sugestões de bons filmes. Às vezes estão onde menos procuramos ;)

Eu mesma! disse...

não acho bem...
já estou a ser encornada pela legitima mas..

ok... no problem!
tirem é fotos please!

Abobrinha disse...

Bacardi

Acho que vi um bocado do family guy e não gostei muito. Os simpsons não só adoro como fiz um post acerca do assunto (está aí algures perdido).

Eu acho os filmes violentos relaxantes, sinceramente. Mas, como tudo na vida, têm que ser bem feitos.

Neste momento dói-me que o único filme que me apetece ver é mesmo o Madagascar (e não sei se vou ver ou se compro o DVD ao meu sobrinho e depois vejo o dele). Isso, Rei Leão, a fuga das galinhas, quinta da barafunda e os incomparáveis Lilo e Stitch fazem-me rir. E o Schreck! Mas isto são vantagens de ter sobrinhos (entre outras).

Não sou extremamente alternativa nem artística, mas gosto de ver coisas diferentes e por vezes compensa (tenho uns quantos descritos neste blogue). E de vez em quando farto-me de James Bonds e outros que tais (que esperam perfeitamente por passar na televisão). Fases!

Abobrinha disse...

Eu mesma

Eu é que sou a legítima, por isso não te queixes! ;)

Não te esqueças que ainda tens o lado certo da ponte como vantagem. E miradouros românticos e a mágica luz de Lisboa.

Eu mesma! disse...

bem meninos...
com tanta conversa já devem ter feito pelo menos 3 dates...:)

Eu mesma! disse...

pronto...
eu compro as alianças.....:)

mas linda.. eu e tu estamos do mesmo lado da ponte...
ele é que tem que a atravessar para vir ter conosco!

300km acima ou abaixo... é tudo do mesmo lado!

Abobrinha disse...

Eu mesma

Não te preocupes: serás sempre a outra! HAHAHA! EU rio-me, mas houve uma amiga que ouviu isto de uma vizinha a respeito do casamento de uma outra vizinha! Há gente triste e depois há isto!

Pois é do mesmo lado, mas o gasóleo está pela hora da morte! Mas quê, o Barreiro é assim tão mau?

Crest© disse...

Abobrinha disse...

"Isso de frituras é no teu blogue."

Na, na, na a fritura é omnipresente e omnipotente...

"Não: isto é a sério! OK, pode não ser, mas se fosse seria um casamento com mais fundamento que alguns que já vi por aí!"

Ahahahahahahaha

Abobrinha disse...

Crest

Tu ris-te, mas não deixa de ser verdade a solidez do meu casamento! Já viste que é mesmo a sério: com cornos e tudo! ;)

Eu mesma! disse...

eu sou suspeita quanto à margem sul mas...

barreiro... acho que se lá estive duas vezes foi muito!

Bacardi disse...

Gostava de poder dizer o mesmo. O Barreiro é daquelas cidades que não tem piada absolutamente nenhuma. É um autêntico dormitório. As poucas coisas que tentam fazer para revitalizar a cidade, fazem-nas mal. A única coisa com alguma beleza por aqui é a vista para o Tejo e Lisboa.

Esposa, não prestes atenção a essas almas invejosas que tentam agoirar o nosso casamento. No fundo, toda a gente quer ter uma relação como a nossa: damo-nos bem, falamos todos os dias, não temos de nos ver um ao outro quando acordamos e parecemos que acabamos de ser desenterrados, etc. Inclusive partilhamos interesses criminosos. Relação mais estável e duradoura do que esta só recorrendo à violência doméstica, da qual não gosto nada.