quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Italiano em 7 lições - parte 2

No episódio anterior, eu e o italiano bonzão (mas vocês não estão bem a ver!) tínhamos tirado a parte incómoda da história da frente.

Vai daí, sendo eu solteira mas não "dormível" (se bem que estou desconfiada que o plano dele fosse mais manter-me acordada a tirar café em chávena fria!), apresentou-me a mais italianos. Aliás, napolitanos! Eles são o máximo a falar e a mexer-se: parece que estão permanentemente no engate, o que deve ser cansativo! Mas é divertido e elevou-me o ego apesar de eu estar parecida com um urso polar quando saía à rua (parecendo que não, já estava frio na Dinamarca em Setembro).

Mas ele não desistiu (sim, Crest, tens razão: não deixam de pensar no assunto): e se eu tinha namorado, e como era e como deixava de ser. Ao que eu respondi como não costumo: fingindo! A mentira ia ficando mais elaborada à medida que a curiosidade dele ia aumentando! E eu a gozar com ele de fininho!

Inventei uma história de um namorado de há 2 anos com quem já vivia. A nossa casa (quer dizer, um apartamento, que não somos ricos!) era um espectáculo, mas ainda estávamos a decorá-la! Aos poucos, claro! Não acreditávamos no casamento, por isso ainda não tínhamos casado (nem tínhamos planos): o nosso compromisso era do coração, não precisava de validação legal da sociedade. Então e porque é que eu tinha ido passear sozinha? Porque ele me respeitava e à minha individualidade, eu precisava de fazer uma pausa e não tinha conseguido tirar férias nesta altura. E o que é que ele fazia? Bem, aí colei-me à minha relação e adaptei. O que eles não repararam foi que eu de um momento para o outro passei a viver "há dois anos" com o rapazinho numa cidade e depois noutra!

E ele não tinha medo que eu o encornasse? E eu tinha a certeza que ele não me encornava? Claro que não! Ele confiava em mim e eu nele! Eu mesma fiquei a pensar na sorte que tinha de ter um companheiro tão bestial. Pena ser mentira e tê-la eu fabricado naquela mesma hora! Mas fui tão convincente que no último dia de férias eles já me diziam que eu e ele devíamos ter filhos! Já! 2 ou 3! Nem era preciso pensar no assunto: só fazê-los. E eu a pensar: ou tu és uma fingida do carago ou eles realmente são um bocadinho totós!

E as namoradas deles, na Itália? Confiavam neles? Claro que sim! E eles tinham a certeza de que elas também eram fieis? Bem, aí não consigo descrever a cara que eles fizeram: CLARO que elas eram fieis! A dada altura disse-lhes que em dias de tempo claro se via a cornadura das namoradas deles... na Dinamarca! E eles riram-se! E que tinham que se baixar para passar nas portas porque senão não cabiam com os cornos. E eles não só se riram como fizeram o gesto de baixar a cornadura. E eu a pensar: se eras meu namorado ficavas a falar como o Farinelli no tempo que levava a dizeres "corno". Mas não era! Graças a Deus!

E começamos a sair juntos todas as noites. Programas levezinhos: ir comer um gelado, jogar Playstation (joguei Pro-Evolution Soccer pela primeira e última vez na minha vida), conversar, andar nas bicicletas de utilização livre que existiam na cidade e ouvi-los falar na net para Itália. Excepto quando era a namorada do meu "pretendente", porque ela era ciumenta como tudo. O que não lhe adiantava nada: tinha cornos e tinha... ou não?) É que... os desenvolvimentos seguintes fizeram-me duvidar!

Sendo que os desenvolvimentos seguintes foram... o belo fim de semana. Ora os italianos estavam há 3 meses fora de casa e com uma "fome" que vocês não estão bem a ver! Aliás, acho que era o estado permanente deles. Mas desconfio que se vivessem na Dinamarca permanentemente... digamos que acho que a longevidade da deles minhoca estaria assegurada (para se recordarem do contexto, ler aqui).

E por hoje é tudo. Só para espicaçar, digo-vos que há uma pequena cena de lesbianismo em breve... ... ...

17 comentários:

Crest© disse...

Pois claro que as namoradas são fieis, as Italianas? Upa, upa aquilo transborda de fidelidade.

Mulheres que se vestem como se fossem a um casamento quando vão só despejar o lixo. Mulheres que colocam 8 Kg de base só para abrir as cortinas. Mulheres que quase te fazem um broche num local publico, só porque falas outra língua...

O que vale é que eles estavam na Dinamarca, em que os cornos deles eram confundíveis com os capacetes Vicking!

Existe uma frase que é dita por todas as nacionalidades, incluindo os italianos. "Se queres uma boa cozinheira e uma puta na cama, arranja uma Italiana", o problema é que cada vez menos há Italianas a cozinhar bem, mas na cama, acho que serem boas é genético!

Sadeek disse...

É bom saber que também os italianos jogam PES. E que a fome é igual em todo o lado. E que tiveram, ao menos, jogo de cintura para fingirem baixar as hastes para poderem passar na porta. Haja boa disposição.... ;)

BEIJOOOOOOOOOOOOOOO

P.S.- E também há fotos da cena de lesbianismo?!? :D

GATA disse...

Eu desde que, há muitos anos, fui engatada numa casa-de-banho (mista) de um restaurante em Milão, fiquei a detestar italianos! Porra, que estão sempre com as hormonas aos saltos!!!

Abobrinha disse...

Crest

Sinceramente acredito que elas fossem fieis. Quanto a eles, eu ainda não acabei a história!

Não sei como era na cozinha a namorada do "meu" italiano, mas digo-te já que na foto que ele me mostrou ela parecia uma mulher de rua: provocadora como tudo. Mas eu acho bem que uma gaja se cuide. Quanto a produção a mais ou a menos, isso é pessoal e intransmissível. Mas fato de treino... ... olha, até a Madonna andou de fato de treino e teve que pagar uma batelada ao Guy dela!

Ser boa na cama não creio que seja genético. Nem que seja preciso praticar muito. Mas pronto, isso são outras conversas..

Abobrinha disse...

Sadeek

Nope! Da cena de lesbianismo infelizmente não há fotos.

Quanto à fome... cenas dos próximos episódios!

Abobrinha disse...

GATA

Pessoalmente eu gosto de ser engatada: faz-me bem ao ego! Como disse, no fim de semana só não tive que ir pescar um pou outro ao meu decote porque não calhou (o que me fez reflectir nas vantagens dos homens altos, mas isso é outra história!).

As hormonas são boas. Os saltos (mormente os para a cueca) é que já são outra coisa!

Sadeek disse...

E video?! Há video!? :D

Abobrinha disse...

Sadeek

Também não. Mas pensando bem, há uma foto minha a fazer o 69! Eu depois mostro!

Sadeek disse...

Abobrinha...olha que me matas...:P

Abobrinha disse...

Sadeek

Mato nada: é a mais pura verdade! No fim das lições de italiano eu mostro-te! Aliás, eu mostro a toda a gente, que não é vergonha nenhuma!

Gostaste da foto que eu te mandei??

Sadeek disse...

Pois acredito que não seja vergonha mesmo...e não...aquela foto era completamente dispensável... :P

Abobrinha disse...

Sadeek

HEHEHE! Pois eu gostei muito dela!

Sadeek disse...

Arghhhhhhhhhhhhhhh

Eu mesma! disse...

estou a começar a ficar irritada....

tanto blá blá blá e nada de acção!!!!!!

Crest© disse...

Abobrinha disse...

"Ser boa na cama não creio que seja genético. Nem que seja preciso praticar muito. Mas pronto, isso são outras conversas.."

Sim é preciso praticar muito, o sexo é como andar de bicicleta mas nem toda a gente anda bem.

Por outro lado as Sicilianas são consideradas as melhores na cama, por algum motivo será.

Abobrinha disse...

Eu mesma

Queres ver que também bebes café em chávena fria? Calma moça!

Abobrinha disse...

Crest

Não te sei dizer, nunca dormi com uma siciliana! ;) Mas para ser representativo teria que dormir com muitas e não me está a apetecer!

Andar de bicicleta também é bom!