sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Noções breves de economia doméstica

Natal é... prendas, certo? Prendas é... gastar dinheiro. E por muito que eu goste de dar coisas aos meus mais próximos (porque os outros não levam nada), gastar menos dinheiro é sempre bom! Pois eu lembrei-me de grande esquema para gastar menos qualquer coisinha e queria explicar ao povo.

Há anos que desisti do cartão FNAC. Na altura aborreci-me e não renovei! Acontece que me ocorreu que o desconto de aderente é de 6%. E 6% é dinheiro! E eis senão quando me disseram que alguém não sabe fazer contas e de 12 a 31 de Dezembro o desconto será de 10%!!! Negócio! Além de que, se pagar com o cartão de crédito, ainda me devolvem 1% da compra (não fica um total de 11% porque o desconto não é sobre o valor inicial da compra, mas ainda é dinheiro).


Moral da história: vou aderir ao cartão e comprar uma série de coisas na FNAC. Entre prendas e coisas que realmente preciso (desperdício não, senão mata em bocado o espírito da poupança).

E sim, isto é um pouco para compensar o fim de uma relação com mais de 5 anos. Uma relação de entrega, resistência às adversidade e fidelidade... ... mas não se esqueçam que no meu blogue... raramente as coisas são aquilo que parecem à primeira vista...

22 comentários:

Bacardi disse...

Esse espírito consumista fica-te muito mal. Até porque, na Fnac, as coisas tendem a ter o preço bastante inflacionado. O serviço excelente que têm tem de ser pago de algum modo, não é verdade? Mas, por outro lado, acho que também vou aproveitar a dita promoção. Estou a precisar de um iPod, e já que o Natal está aí… ;)

Carol disse...

Hum... E agora é que dizes?! Já fiz as compras todas...

Bem, vai lá ao meu cantinho e responde ao desafio.

Eu mesma! disse...

Eu acho que fazes tu muito bem...
confesso que o meu melhor anti-depressivo não é gelados, nem roupa ou sapatos...

é mesmo ir para a FNAC!

L!NGU@$ disse...

Para mim é a edição especial do Blade Runner. Não esquecer. :P

Bacardi disse...

Para mim, ir à fnac com dinheiro na carteira é muito perigoso. Acabo sempre por comprar qualquer coisa. Seja um DVD, um livro, um CD ou uma qualquer outra coisa, o dinheiro fica lá sempre. E concordo com a Eu mesma: é um excelente anti-depressivo (a seguir a sushi ou um licor beirão duplo).

Salto-Alto disse...

Eu ainda não fiz o cartão Fnac... Aquilo mesmo com desconto é mais caro do que nos hipermercados... :s

Abobrinha disse...

Bacardi

Pois fica, mas... eu gosto de ter coisas! E se eu não der prendas aos meus sobrinhos, pais, irmã e cunhado, sinto-me um bocadinho mal a receber! E eu estou a precisar de uma outra coisa que sabe bem com 10% de desconto.

Achas a FNAC mais cara que outros sítios? Pois eu acho que há coisas em que eles têm preços simpáticos! Por exemplo, comprei a "Maldição do coelhomem" por € 9,9. Ainda não o vi, mas ficas a saber que é o único thriller vegetariano!

E comprei o "Closer"...

Abobrinha disse...

Carol

Não sabia antes e de qualquer modo só era de 12 a 31.

Os teus desafios são lixados, pá! De novo, não sei como responder ao teu desafio! Vou tentar (mais daqui a pedaço, que o fim de semana foi dureza...).

Abobrinha disse...

Eu mesma

Pois eu concordo... ... especialmente porque não estamos ainda nos saldos (mas nem te conto o que comprei no Stock Market!).

Abobrinha disse...

L!ng@s

Não vi. Mas vi uma edição especial do "Estranho mundo de Jack" que me apetecia. Não comprei porque não estava assim tão barato e uma noção de economia é... não comprar em excesso... pois...

Abobrinha disse...

Bacardi

A dada altura morei no Porto perto de um centro comercial (ia a pé) e estava numa fase em que comprava todos os dias uma porra qualquer, com óbvio prejuízo para as finanças domésticas. Passei a fazer o seguinte: saía de casa com 50 cêntimos no bolso, ia para o centro comercial mexer em tudo... tomava um café e vinha-me embora! Não tirava a emoção das compras, mas não gastava dinheiro.

Faço esse exercício de mexer e não comprar com frequência na FNAC! Mas por causa dos preços, sou capaz de começar a comprar na Amazon.

Mas isso não tira lugar ao sushi!

Abobrinha disse...

Salto-Alto

É num instante! Acho que é preciso olhar para as oportunidades. E é um espaço agradável e com iniciativas agradáveis. E isso paga-se!

Eu mesma! disse...

O Closer parece desde já ter sido uma excelente compra:)

e o que é que andaste a comprar no stock market???? Conta lá!

Abobrinha disse...

Eu mesma

Uma das coisas que comprei fez com que várias pessoas enterrassem os olhos no meu decote este fim de semana, elevando a minha auto-estima a níveis muito adequados.

A outra vai ser usada para ver se um menino é ou não gay. Não quero saber que ele já tenha tido namoradas: se não cair de queixo com aquilo... é gay!

Outra dá-me um estilo bestial e é quentinho. E as outras duas são só quentinhas, mesmo não mostrando as mamas. Ou seja, dão para ir trabalhar!

Não comprei sapatos... era abusar um bocado!

Eu mesma! disse...

Muito bem!!!!! Palettes de roupa hiper mega fabulosa!!!!

e quando é que vais testar a sexualidade desse menino?

quero saber todos os detalhes!

Abobrinha disse...

Eu mesma

Ainda não sei...

Eu mesma! disse...

antes do natal tem que ser!

Abobrinha disse...

Nope: a ser, será mesmo depois do Natal. É que ele não está por cá!

Estás a falar por causa do "nosso" casamento, certo? Não tem mal: o meu marido/teu amante não se importa de certeza!

Abobrinha disse...

E fui, mas entretanto tomamos um chazinho juntos e deixaram-me em casa. ;)

Eu mesma! disse...

tenho a certeza que ele não se chateia com esses pequenos detalhes!

Bacardi disse...

Oi oi oi oi oi!!!!

A fazer planos para me trair, antes do casamento??? Que pouca vergonha vem a ser esta?!?!?!? :P

Boa sorte com o rapazinho. Mas confesso que fiquei curioso para te ver nesses trajes de fazer cair o queixo que compraste :P

Abobrinha disse...

Bacardi

Infelizmente quer-me parecer que vou descobrir o que não quero: que é mais um traumarizado com um relacionamento anterior e bla bla, bla bla... paneleirices! Mas se ele ficar a salivar já será em parte uma vitória! E depois, há mais peixe no oceano, não?