quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Eu gosto muito de derivas fascizantes, fascizóides e outras coisas que façam bem à saúde - parte 3

Bem, estes posts do tabaco cumpriram o objectivo inicial que era animar a caixa de comentários e a audiência. Agora estão uma seca tão grande e cheiram tão mal que nem eu posso mais com eles! E não têm figuras! Bora javardar!

1. O tabaco e os saltos altos Ora qual é a relação entre os sapatos de salto alto e o tabaco? Eu diria que absolutamente nenhuma, mas isso era o que diziam da relação entre o verdadeiro rosto de Jesus Cristo e o rabo da Simone de Beauvoir! Homens e mulheres de pouca fé!

Os saltos altos podem ser um prazer (para quem usa e para quem olha) ou instrumentos letais. Ou para as costas e os joanetes ou para o sentido de moda e bom gosto. Claro que se pode passar a vida inteira a usar sapatos altos sem sofrer de nenhum desses males, mas há quem morra de ridículo. Ou mate. O mesmo é válido para o tabaco: tanto se pode viver uma vida longa de fumador e um dia acordar morto e de perfeita saúde, como se pode morrer jovem e cheio de problemas. Esta medida não retira liberdade a ninguém: quem quer pode consumir sapatos e usá-los em todo o lado (por enquanto).


Por isso eu defendo impostos mais elevados para os sapatos de salto alto: há que proteger a população dos potenciais perigos deste flagelo. As imagens seguintes não são para corações frágeis e são os equivalentes sapatais a pulmões pretos e impotência. É quase preciso ser um super-homem para usar sapatos altos.



2. O tabaco provoca nitidamente perdas de memória. Mentes perversas querem fazer pensar que a cidadã Sharon Stone gravou esta cena deliberadamente. A realidade é que ela se esquecer de vestir as cuecas! Porquê? Porque é loura? Não: porque fuma!



3. O tabaco é um excelente método de contracepção. Há más línguas que falam no cigarro pós-coito, mas isso é um mito urbano: consumido em vez do propriamente dito não há melhor para prevenir uma gravidez indesejada ou uma doença sexualmente transmissível. Se o hálito for suficientemente forte, as hipóteses de engatar alguém também diminuem abruptamente (pelo menos alguém com olfacto).

4. Um homem com um cigarro na mão é quase tão viril como um homem a comer uma banana sem observar os cuidados que já descrevi num outro post delirante: não há como negar que um cigarro tem um aspecto fálico... e expelir o fumo, o que é que vos faz lembrar? Ah! Bem me parecia! Pode ser um argumento para as mulheres fumarem, mas eu não gosto de mulheres nessa óptica, por isso é-me indiferente.

5. O tabaco causa impotência. Mas nem era preciso recorrer à Ciência: bastava ver a mensagem subliminar do cigarro... inicialmente firme e hirto... para passar a murcho e morto. Claro que depois dos pontos 3 e 4 já nem é muito relevante, pois não?


Mas quando vemos políticos a meterem-se no assunto, temos logo a tendência a achar que mentem. Mesmo quando é uma mulher a assegurar-nos disso mesmo (se bem que esta tem um par de tomates virtual).

6. Agora um pouco de Ciência: o fumo pode ter um comportamento de gás ideal... mas não está sozinho! Ou por outra, as liberdades são relativas!



8 comentários:

Joaninha disse...

Abobrinha,

Como podes tu atacar o meu mais querido vicio, (já que agora que estou no caminho de ser não fumadora) os saptinhos. Sua amiga da onça!!!
Como podes tu ser tão cruel

Abobrinha disse...

Joaninha

Isto não era um post sério: era uma deriva fascizante e fascizóide... ou seja... um daqueles posts sem ponta por onde se lhe pegue! Logo eu para atacar o nobre acto da satisfação por via sapatal! I don't think so!

Feitixeira disse...

Hilariante! Adorei!!!
Até tem ponta por onde lhe pegue... a ponta do sapato ou do cigarro. Mas apontar é feio;)

Beijinhos apontando o teu blog no meu***

Feitixeira disse...

Hilariante! Adorei!!!
Até tem ponta por onde lhe pegue... a ponta do sapato ou do cigarro. Mas apontar é feio;)

Beijinhos apontando o teu blog no meu***

indomável disse...

Abobrinha amiga da horta,

o facto é que está provado, por via cientifica e tudo, que o uso do sapato de salto alto consecutivamente, provoca realmente problemas costais. Se forem os saltos agulheta que tens exposto naquela bela fotografia, as dores deverão ser tremendas. Nada como um belo par de sapatos de ténis (embora tenha as minhas dúvidas quanto ao aspecto fashion dos mesmos).
Eu sou uma louca pelos sapatinhos e como com esse vicio vem sempre agregado o vicio da malinha, limito-me ao máximo nesse tipo de compra. Mas ninguém me impede de babar nas montras e fazer olho gordo a cada pézito que passa.
Pois, já com o fumo... guerras antigas impedem-me de prosseguir. Só te digo que como diz o ditado e um certo senhor da ASAE, quem está mal muda-se e foi o que eu fiz já por diversas vezes!

Abobrinha disse...

Indomável

O post começou com a intenção de apresentar outros exemplos fascizóides possíveis de legislar a seguir ao tabaco (fica para outra altura). O imposto nos sapatinhos justificar-se-ia assim pelo sentido de moda e pelo mal que faz às costas. O problema é que isto é tentador e eu sinto-me inclinada a pedir fúria legislativa para as galochas cor de rosa, os crocs, algumas sapatinhas (um par delas sendo umas que eu comprei num dia em que me esqueci de usar o cérebro)... e por aí adianta.

Pois a intenção era essa, mas... olha, entretanto perdi-me na conversa e isto ficou ainda mais delirante.

O senhor da ASAE esqueceu-se de acabar a frase: quem está mal muda-se... para os casinos! Ora isto está mal e é típico e irritante aqui do burgo: laxismo e clientelismo, disfarçado de brandos costumes. As regras são para todos! Mas uma deriva de cada vez (ou várias à molhada e sem ligação nenhuma).

Abobrinha disse...

Feitixeira

Bem visto: ponta!!! Uma palavra com grande potencial badalhocal!

Benvinda!

Abobrinha disse...

Estranhamente ninguém comentou o rabo da Simone de Beauvoir, e era uma coisa que eu queria que as meninas comentassem.