terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Uma série de coisas que não interessam ao menino Jesus nem à vaquinha do presépio, mas servem para chutar para canto

Meus lindos

Aqui a Abobrinha está mais tipo cebola: quando se tira a casca faz chorar. Acho que mais abraços não adiantam (mas sabem bem). O que é preciso é tempo. Não sei quanto, mas.... bom, não interessa. Como ainda não estou em condições de ligar o badalhocómetro, deixo-vos com trivialidades que não interessam ao menino Jesus nem à vaquinha do presépio mas que servem para rir um bocadinho.

1. Os meus vizinhos têm muita confiança na minha capacidade de fazer manobras. Só assim se justifica que com um monte de garagens (boa parte delas desocupadas) deixem o carro em frente à minha, forçando-me a provar que nenhum homem me enganou com a treta dos 20 cm;

2. Tenho um kiwi dentro do carro há cerca de um mês. Por nenhum motivo especial;

3. A minha roupa não seca. Pode esse facto estar eventualmente relacionado com estar "estacionada" DENTRO da máquina de lavar há 2 dias, mas eu estou inclinada para acreditar que é uma cabala qualquer contra mim;

4. Óculos de sol disfarçam muita coisa, mas dão um bocado de mau aspecto quando usados no contexto errado;

5. Não jantar, mesmo que seja por esquecimento, dá fome;

6. Não sei porquê, os kiwis que tenho em casa (ao mesmo tempo que o irmãozinho gémeo que habita o meu carro) não amadurecem;

7. Os cartuchos de café da Nespresso têm uns nomes um bocado apaneirados;

8. O gasóleo está caro, não sei se se deram conta. Isso pode ter como consequência gastar-se mais dinheiro em tudo, incluindo andar de carro para as pequenas coisas do dia-a-dia e viagens de lazer;

9. Não passar a ferro tem como consequência ter a roupa engelhada. Esperar que ela se passe sozinha não parece ter qualquer efeito nesse engelhamento a não ser ter que se acordar mais cedo e passar a peça que se quer se ela estiver no monte. Claro que sair de casa com a roupa engelhada não é opção;

10. O lixo não se leva sozinho à rua. É estranho: ao fim de um tempo seria de supor que já se tivesse habituado;

11. Há, no geral, uma série de coisas que é preciso a pessoa se mexer para que aparentemente apareçam feitas. Lá está: aparentemente, porque fazê-las pode ser rotina mas não é milagre! Estas coisas fazem uma gaja perder a fé;

12. Há coisas em que é melhor não se mexer. Afastar-te, calar-se e estar quietinha. Pela lei de Murphy, a pessoa só se apercebe disso quando é tarde demais;

13. Um rolo de papel higiénico por dia para limpar os olhos de lágrimas parece um pouco excessivo. Mas eu sou excessiva, não sei se já deram conta;

14. Chorar, em excesso ou não, não parece ser solução para a maioria dos males. Fica o mistério: porque é que se opta por uma solução com um dispêndio de energia tão grande quando comprovadamente não adianta nada?

15. Às vezes apetece afastarmo-nos de tudo e todos. O que é possivelmente uma péssima ideia porque o motivo para isso são pensamentos que só falam alto quando têm espaço para tal. Mas o mundo está cheio de péssimas ideias.

15 comentários:

rds disse...

1-Cuidar da roupa, pois "descascada" vais mal!
2- Usar óculos escuros disfarça a insônia.
3- Tomar chá, o JF bem o sabe, deves fazer o que seu Guru faz.
4-Não jantar mas tomar uma sopa cai bem, o JF bem o sabe.
5-Kiwis servem para ser saboreados.
6-Andar a pé faz bem e é ecologicamente correto, e leva-se o lixo, corre-se o risco de tropeçar no lixo e não mais levantar.
7-Passar a ferro é otimo para os braços anatomicamente sensuais ahahahah!(JF bem pode aconselhar)
8-Passar a ferro é muito melhor que estar a ferros!
9-

indomável disse...

minha linda amiga alaranjada e doce,

Uma gaja está por fora uns dias e tu vais-te logo abaixo?
E depois tens uns gajos caidinhos por ti que como na adolescência se atiram ao teu rabo?

Olha, deixa lá... eu quando ando assim gasto papel que é uma coisa parva. Mas não é o higiénico. Vingo-me nas folhas A4 do caderno de linhas, faço o papel sangrar de tinta e depois atiro-o ao lume, numa cerimónia fúnebre que me liberta (só um bocadinho).
Escrevo de tudo, para todos, ou de todos sobre todas as coisas... como geralmente os sentimentos não são os melhores, as folhas têm de ir de imediato pera o crematório.

experimenta. Esses sentimentos não são bons, mas são necessários. Imagina que estás a dar um espaço de inverno aos teus dias. Ninguém gosta de chuva, mas que seria de nós sem ela?
Até porque, depois do inverno vem sempre a primavera...
Oh pá! Olha o que fizeste! estou a escrever coisas do mais lamechas que existe!
Esta não te perdoo... bom... talvez só um bocadinho...

Allanah disse...

Abobrinha
Desculpa, mas tu so tens um kiwi, eu tenho muitas mais coisas a apodrecer no carro que ja nem sequer sao indentificaveis. Não sei porque, mas e daquelas coisas para as quais eu nao tenho puto de paciencia é lavar e limpar o carro, como resultado, anda smp um nojo...
Nao chores mais que não vale a pena, faz rugas e mais não sei que. A vida segue e o que passou passou, nao vale a pena pensar mais nisso. Vai ver os teus sobrinhos e a tua familia, cola-te a eles o mais que conseguires e deixa-te contagiar pela alegria das crianças que são o melhor que ha no mundo!
Um beijinho e votos de uma rapida melhora (de humor, leia-se)

ZumZumMataMoscas disse...

Abobrinha,

Passe uma roupinha a ferro, limpe os olhos e saia de casa.
Use todo o seu charme (terá de parar de chorar e tirar os óculos), arranje um gajo qualquer, use-o e depois deite-o fora.

Não tenha problemas de consciência, pois você está zangada com o mundo e necessitava de se vingar. Não se preocupe com o gajo, pois alguns gajos não se importam de ser tratados assim e outros bem o merecem.

Se alguém perguntar, diga que fui eu que a "mandei" (sim, já sei que ninguém manda em você, e muito menos eu. Era uma força de expressão).

Já sei que uma loucura destas não lhe levanta outra coisa, mas pode ser que lhe levante um pouco a moral.

http://zumzummatamoscas.blogspot.com/

Krippmeister disse...

Eu concordo com a allanah e confirmo: o carro dela está mesmo um nojo. Hihihi

Mas é como ela diz, agarra-te ás coisas boas e deixa-te ir melhorando.

Abobrinha disse...

Meus lindos

Espero que estejam na disposição de partilhar entre vocês a despesa de mais um rolo de papel higiénico, porque eu dei cabo de mais um a parar a choradeira se seguiu a estas vossas mensagens.

Algo me diz que vocês são interesseiros e que querem é ver-me recuperada para começar a postar badalhoquices. Se a resposta é "sim", isso significa que vos catequisei devidamente.

Agora vou responder a cada um de vocês.

Abobrinha disse...

Raiodesol

Benvinda de volta.

Andar a pé é ecologicamente correcto... mas aos 2-3 km de cada vez no dia-a-dia, mais aos fins de semana. Gasóleo caro não ajuda a minha vida social nem um bocadinho. Isso para não falar nos efeitos na economia, que também influencia a minha vida social.

Saborear os kiwis que eu tenho a amadurecer não é para corações fracos. Não está bem a ver: estão mesmo verdes!

Passar a ferro é bom para ganhar varizes ou atirar com ele à cabeça de alguém! E mais nada!

Abobrinha disse...

Indomável

Eu sou um bocadinho inconstante. Andava em equilíbrio e de repente... plof! Fui-me abaixo!

Gajos caidinhos por mim não costumam dizer que eu tenho o rabo gordo. Pelo menos não os que sobrevivem. Não vamos falar em adolescência, que é para não nos chatearmos (não sei se já disse, mas eu era muito inocente na minha adolescência, por estranho que possa parecer).

Esta gente muito faz sangrar cadernos! Que violência! Tenho que dizer que sou mais de martelar no computador: apagar é mais fácil (se o disco for com o c*** então é que é, mas isso é outra história). Nunca tentei escrever em papel higiénico. Desconfio que só ia sair merda!

Isso de atirar a obra para a fogueira é altamente artístico um acto de verdadeiro génio temperamental. Atirar o computador para a fogueira é mais dramático um pedaço (e mais caro). Mas devo confessar que já estive muitas vezes para o mandar pela janela fora (mas isso é outra história). A porra toda de andar a teclar como se não houvesse amanhã é que estou a sentir uma tendinite a espreitar (o que não deixa de ser irónico, all things considered).

Abobrinha disse...

Allanah

O "não vale a pena" é duplamente cruel. O "o que passou passou" a mesma coisa. Não gosto de deixar coisas boas a meio ou para trás. Mas não tenho escolha, pois não?

Os meus sobrinhos estão com um horário de executivo. A minha sobrinha impediu-me de ter caído já no sábado. Neste momento não sou boa companhia para ninguém, e os pequeninos não são excepção. A tua menina é um espanto: deves estar orgulhosa por ter feito uma coisinha tão bem feitinha (se quiseres apresento-a ao meu sobrinho: acho que ele gosta de mulheres mais velhas e é muito giro e bem disposto).

O meu kiwi não está a apodrecer: está a amadurecer. Há uma diferença (mas isto é porque eu tirei uma laranja de lá um dia destes que aparentava pouca saúde). O meu carro é o meu escritório: está lá tudo. Nem que eu não saiba onde está, está lá tudo!

Não sei se é boa hora para me lembrar que kiwis era o que os ingleses chamavam aos tomates dos homens. Em contrapartida, um tomate era para eles um tomate.

Abobrinha disse...

ZumZum

O meu charme hoje valeu-me o epíteto de mau feitio: um tipo achou que eu tinha feitio de sagitário. Depois de escorpião. Gémeos não. Mmmm.... touro! Ou sagitário ou escorpião ou touro. Quando eu fiz notar que ficavam em alturas do ano inteiramente diferentes, o que me parecia ligeiramente arbitrário e não revelei que era touro (acertar 1 em 3 não me parece grande feito), fui chamada de mau feitio.

Está a ver que os homens... são estranhos. Mas ele também não me interessava, senão eu era capaz de ter dito que era virgem.

Tratar mal um gajo já tratei (não assim) e não gostei. Sobretudo porque ele não merecia, porque é um querido. Mas eu só faço merda, sobretudo quando estou de cabeça perdida (que é o caso). As minhas emoções fortes frequentemente viram-se contra mim.

Quanto a usar e abusar de um homem... não sou capaz! Simplesmente não sou capaz!

Abobrinha disse...

Herr Krippmeister

Se fosses um cavalheiro ajudavas a limpar o carro em vez de fazer pouco.

Quanto a agarrar-me a uma coisa boa... isso queria eu! Mas não posso porque não me deixam e não sou tida nem achada no assunto. O que possivelmente é bem feita: dei cabo de tudo!

Há-de melhorar, mas agora só consigo ver núvens negras, apesar de estarem dias lindíssimos.

Allanah disse...

Abobrissima
Precisamente por nao teres escolha é que não vale a pena! Se tivesses escolha nunca te diria nada do genero! As vezes mais vale deixar as coisas correr o seu rumo sem lhes dar demasiada importancia, senao elas tomam conta da nossa vida e depois parece-nos que não ha maneira de sair daquilo. Acredita que em termos de desgosto amorosos ou o que quer que seja que tu estas a passar, eu tirei licenciatura, mestrado e doutoramente, apesar da minha tenra idade! E o que eu retirei disso tudo contribuiu para que eu me tornasse numa pessoa melhor e mais forte! Para tudo o que é mau ha um lado bom. E por mais que te doa agora, é melhor assim do que arrastar uma situação que nao faz sentido querer arrastar! Não estou nem de longe nem de perto a dizer que sei muito bem o que tu sentes, ate porque cada um sente as coisas à sua maneira, nem a querer meter-me na tua vida, mas como tu, eu sofro muito com o sofrimento dos outros. Quanto aos nossos sofrimentos, há que aprender com eles, retirar tudo o que trazem de bom, e seguir em frente, porque a vida não pára para nos sofrermos a vontade e a seu tempo, aproveita cada minuto para descobrir coisas novas na tua vida, e as que foram, deixa-as, passado é isso mesmo, passado.

Abobrinha disse...

Allanah

Neste preciso momento e em outros que se seguirão só consigo ver tudo negro. Eu sei que isto passa, porque tenho experiências semelhantes. Mas vai demorar muito tempo.

Não quero que sofras por mim porque não mereço. Eu não me devia ter exposto desta maneira, mas... olha... não devia ter feito muitas coisas!

Vá, já estou melhorzinha. Mas és ainda mais bonita do que as tuas fotografias mostram, pequena.

Gipsy Queen disse...

Abobrinha és fantástica!! Nem com o lamechómetro ligado e a chorar baba e ranho deixas de ter o dom de me fazer rir! ;) E agora que a "depressão" já passou, vê se aproveitas para poupar que isto de andar a gastar um rolo de papel higiénico por dia é dose!!!

Abobrinha disse...

Gipsy

"Fantástica". Gostei! Estás à vontade para fazer um upgrade para genial ou equivalente (ou superior).

Ficas a saber que o dia em que o lamechómetro disparou foi o dia com mais visitas aqui no estabelecimento: a malta gosta muito de um dramazinho. Ou de mim, também é uma hipótese. Mas o que interessa é que "the show must go on".

Das duas uma: ou eu sou mais interessante online que offline ou então estou a precisar de mudar de ares e de amigos. Felizmente estou muito mais inclinada para a segunda hipótese, em que ando a matutar há muito tempo e a fazer planos para isso acontecer: é que onde eu tenho feito a minha vida social ultimamente, não se aprende nada.

Beijinhos, jeitosa