terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Bananas, baratas e carraças - parte 2

Meus lindos

O Natal e a parolice a ele associado (e o mau humor que este causa em abóboras com défice de luz) fizeram com que lamentavelmente se perdesse o fio à meada desta saga de posts. Eu gosto de sagas porque me permitem javardar o mesmo assunto sem ter que puxar pela imaginação. Pensar custa! E o lucro que retiro deste estabelecimento não sei se justifica.

Ora em tempo idos escrevi estes delírios. Entretanto descobri que as carraças se podem parecer muitíssimo com o Pavilhão Atlântico, desde que estejam a trepar pelas minhas calças acima. Nessa altura também não consigo bem distinguir carraças de baratas, pelo que qualquer coisa com muitas patas assumia esse tipo de proporções.

E estamos conversados de baratas e carraças. Vamos às bananas, que é o que interessa.

Isto, meus caros, é a prova de que nem tudo o que se relaciona com a banana é fálico, tem conotação sexual ou mesmo é interessante. Prova ainda que não era seriamente expectável que quem teve a sua infância nos anos 70 e início dos 80 fosse minimanente apertado da moleirinha. E como proibir os YouTube não é necessariamente uma deriva fascizante e/ou fascizóide: pode ser simplesmente uma medida de higiene pública! Abram a ligação por vossa conta e risco. E podem amaldiçoar quem me ensinou a colocar vídeos nos posts.







Para me redimir, isto são bananas fufas. Não sei porquê, mas se perderem tempo a imaginar algo que as relacione com fufas pode ser que apaguem da cabeça a ligação do José Cid com as bananas.
Como arte é tudo e tudo é arte, um monte de bananas também é arte se alguém decidir que assim é. E como eu sou uma divulgadora de arte, não podia deixar de escapar este... esta... o... coiso... ... isto é uma instalação ou uma performance? Quer dizer, podemos dizer que estas bananas se estão a "bananar" umas às outras à fartazana! Ou seja, isto é um bacanal (ou um bananal!)! Não mostrem isto às vossas crianças!

E depois "40 000 bananas piled up in public places"... isto é exibicionismo! Claro que se pode ir muito longe com o verbo "piled". Sobretudo quando está "up"! Que é como o "piled" está bem! Oiéeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee! Esperamos pelas "60 000 bananas piled up in public places"... isso sim vai ser uma moca!

Dito isto, as bananas "piled up" são obra de uma criatura de nome cristão Doug Fishbone. Ter uma espinha de peixe a fazer arte não augura nada de bom em primeiro lugar. Mas "what's in a name?"... bem, neste caso... o peixe come carne. Ou por outra, antes comesse! Faria com que não brincasse com a comida e sobretudo não fizesse um auto-retrato com carne de Kebab! Sim, é isto mesmo. Ou uma "instalação" (ou performance) onde um jovem árabe americano está sentado com ar inexpressivo. Digo eu que era falta de bananas (ou o pagamento seria insuficiente).




Se alguém tiver dúvidas que isto é arte, leiam isto: "I made a classical self-portrait out of gyro meat, rotating on a cooking machine in the middle of the gallery, which touched upon issues of death and decay, artistic vanity and notions of tradition and scandal in today’s gimmick-oriented art climate. " Com uma explicação tão fatela e tão rebuscada, quase caiu fora da classificação de arte (ou seja, fico quase nas bordas), mas recuperou o estatuto com o inverosímil da coisa. Mesmo assim acho que não é suficientemente conceptual. Ou seja, fraquinho!

O Andy Warhol também se dedicou às bananas, mas nós sabemos todos o que é que ele queria! Ganhar dinheiro à custa de pacóvios, o que é que vocês estavam a pensar?
Para death e decay, temos um dente podre! Que é arte! Se eu disser que é arte (eu tenho que arranjar uma cunha em Serralves!). O dente podre ainda nos remete para o mau hálito e a podridão humana não acompanhada de morte mas de uma inalienável degradação física e moral. A única morte de indivíduos envolvida com um dente podre é da hipótese de alguma macaca lhe comer a banana!

Voltando às bananas e a comer a banana (de preferência de alguém sem instalações ou performances de dentes podres), não podemos usar bananas assim a torto e a direito. Esta cidadã parece empunhar uma banana como uma arma. Dito isto, com uma farpela tão ridícula, eu também deitaria a mão ao que pudesse usar como arma: para me defender agressivamente dos risos descontrolados que tal figura causasse!


Uma banana não pode ser trincada assim sem mais demoras. Tem que ser saboreada! Tem que se lhe sentir o gosto. Aos poucos, com a ponta da língua de início. Delicadamente, muito delicadamente.


Para seguidamente se proceder à deglutição do fruto do pecado! Completamente descascado! Come-se até ao pau! Sem faca e garfo: à selvagem mesmo! Cuidado com os dentes, que isso é material sensível!

Por último, e como ainda tenho uma figura de Natal para queimar, deixo-vos uma cidadã descascada. Não estorva e fica bem em qualquer lado. E depois, o Natal é quando o Homem quiser... mas eu preferia que não fosse em dia nenhum do calendário!

8 comentários:

Gipsy Queen disse...

Ai Abobrinha às vezes parece que adivinhas... ainda no outro dia estavamos no Metroul de Bucuresti e eu disse olha vou comer uma bananinha e houve quem quisesse também... e depois a conversa desenrolou-se com frases do género: "Ao tempo que já não comia uma bananinha" "Uiii há anos!" "Mas esta parece-me verde, nao?" "Não, bem boa! Tá impecável..." E pronto foi assim! Acho que vou começar a seguir os teus conselhos de como saborear uma banana! Ah! Amei o Musicol... a parte das baratas e carraças é que dispenso! :)

- com - da + disse...

Há quem prefira uma bela abóbora!!!


Um camionista está a conduzir à noite pela estrada, morrendo de vontade de encontrar uma mulher.

Ao passar por uma plantação de abóboras, ele pensa consigo mesmo:
- Uma abóbora é macia, é húmida por dentro... Hmmmmm...

Sem ver ninguém por perto, ele pára o camião, escolhe a abóbora mais bonita, corta um buraco do tamanho apropriado e começa a divertir-se com ela. Fica tão empolgado, que nem se apercebe da chegada de uma viatura da polícia.

- Desculpe-me, caro senhor! - interrompe o polícia. - Posso saber o que é que o meu amigo faz nesses modos, atracado a uma abóbora?

O camionista olha assustado para o polícia e exclama, exaltado:
- Uma abóbora?? Foda-se! Ó Cinderela, já é meia-noite?

jorge disse...

Minha querida,...muito obrigado pela atenção desejada! tempo de antena não é fácil de arranjar! Continuo no entanto a achar que é uma pretenciosa do pior! É daquelas menininhas com a mania que é a mais esperta da turma. De qualquer modo, seja feliz com as bananas, que nunca lhe faltem!!!!

Joaninha disse...

Carissimo Jorge,

Não podia estar mais enganado em relação a nossa amiga Abobora menina, mas enfim, não vou dizer mais porque não quero afugentar os trolls que ela tanto estima.

Abobora minha amiga,

Mas que bela colecção que estás a conseguir arranjar ;)

Joaquim Simões disse...

Eu não disse?!
Não tenho é a certeza se se diz pretenciosa (ciosa, do cio... sabe-se lá! alguma escorregadela freudiana...) ou pretensiosa...
Vou ao dicionário agora mesmo.

Abobrinha disse...

Joaninha

São meus! Todos meus! Os trolls!

Dizia um professor meu que só as peças móveis é que causam atrito, o que é verdade. Mas este aqui está a precisar de um bocadinho de vaselina para o atrito que eu causo... mas com areia misturada, que é para aleijar! O meu professor não disse nada acerca da vaselina, ficas a saber: fui eu que descobri.

Abobrinha disse...

Gipsy

As bananas são sempre um bom tema. Sempre. E pronto, não há mais nada a dizer!

As baratas e as carraças fazem parte da conversa inicial. Não podem ser dissociadas. E ultimamente associaram-se a chatos! Mas eu trato disso!

Abobrinha disse...

- com - da +

Dá cá os ossos! Já agora, pelo nick é complicado: fazes chichi em pé ou sentado? Ou por outra, és m ou f?

O que me lembra uma abordagem à campeão em chats de um chichzador em pé a uma chichizadora sentada:

- k fd?
- m ou f?

- m. k fd?
- Mmmm... duvido... diz 5 marcas de cerveja

(a resposta vem rapidíssimo)

- Heineken, Super Bock, Imperial, Guiness, (ora porra, imaginem outra, que eu não sei)
- Diz 5 marcas de preservativos

(muito a conta-gotas)

- Control...

... durex...

... pá, não sei!

- É m: bebe + do q fd


(COmo é óbvio eu já espreitei e o preclaro faz chichi em pé)

Mmmm... um blogue só para convidados... isso sim é um segredo! Mas na net, todos os gatos são pardos!