quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Ora porra, o Natal está aí outra vez à porta!

Quem teve o bom gosto de ler o meu blogue o ano passado mais ou menos por esta altura, deu de caras com uma série de cartas ao Pai Natal e outras iniciativas de ódio puro em relação ao Natal em si (ver a etiqueta "Natal"). Com um humor que não sei bem onde fui buscar, porque estava de tal modo engasgada. O último post foi este, em que já nem grande humor consegui fazer, tal era o ódio ao Natal e a solidão.

Este ano, para a minha própria sanidade mental, acho que vou fazer uma coisa que normalmente é contra os meus princípios: fingir! Fingir que não estou cada vez mais em pânico com o Natal e a solidão avassaladora que o acompanha e que não odeio o Natal com todas as minhas forças. É que assim como assim as pessoas ou não querem saber o que sinto ou querem saber mas não podem fazer nada acerca do assunto. E estar só é isso mesmo: estar completamente responsável por mim. Só eu. Dói, mas é assim mesmo. Já me devia ter habituado...

9 comentários:

NI disse...

Abobrinha, desculpa a pergunta (se não quiseres responder compreendo), mas o facto de passares o Natal sózinha é uma opção pessoal ou é porque, de facto, não tens ninguém com quem passar?

Abobrinha disse...

NI

Eu não disse que passava o Natal sozinha: eu sinto-me sozinha no Natal. É diferente! Passo o Natal em família, o que torna a coisa particularmente estranha. É estranho sentir-se sozinha no meio de uma multidão, mas... é assim!

NI disse...

Não é nada estranho, acredita. Os meus maiores momentos de solidão ocorreram na presença de pessoas.

:-)

Fico triste quando alguém me diz que se sente só nessa época.

Amanhã explico melhor porque mal consigo olhar para o écran de tão cansada que estou.

Beijinhos e até amanhã

Sadeek disse...

Eu gosto muito do natal...e das crianças no natal...e do que se come no natal...

E com este teu post não consigo fazer nenhuma graçola...bahhhh...para que foste postar isto, pá?! :S

pinxexa disse...

Ai como eu te comprrendo linda....

Sentirmo-nos sozinhos ao pé de uma multidão, é do pior...

beijo doce

André Couto disse...

Abobrinha, desse mal também padeço.
Quando se aproxima o Natal e todas as pessoas andam em alegre corropio começo a ficar deprimido.
Não há Natal que passe em que não me sinta alheado dos outros, sem paciência, triste. Sempre passei o Natal em família. Há muito que me sinto assim.
Também me acontece este fenómeno em dias de aniversário. Quando seria espectável que estivesse muito contente tenho a reacção oposta.

Abobrinha disse...

Pinxexa e André

A pior solidão é a que vem de dentro. E é de dentro que se combate.

Baaaaaaaaaaaaah, isto passa-me!

O pensador disse...

Cantam os sinos com alegria...talalalala lalalalá

:-))))

Brinco, mas desde que me tornei pai de 2 filhos também passei a odiar o natal....arghhhhhh!!!!!!

Se não fosse o bacalhau com todos....

:-)

Abobrinha disse...

Pensador

Engraçado: normalmente o que há de mais giro até são as crianças no Natal! Acho estranho que não gostes. Mas pronto, também há quem ache estranho eu odiar o Natal!