sábado, 29 de dezembro de 2007

Até para o ano

Meus caros

Ainda não fiz as malas e amanhã tenho que acordar cedo. Não dá para grandes divagações, badalhoquices ou seja o que for. Parte de mim que quer mesmo levar o computador atrás, mas resisti, pelo que estarei isolada da blogosfera 4 dias (mais a ressaca).

Uma passagem de ano é uma coisa artificial. Pelo menos tão artificial como o Natal, mas pelo menos não tem a conotação emocional deste, pelo que já me é mais pacífico dizer: divirtam-se muito. Ao menos o ano novo cheira a recomeço, o que é em princípio bom. Para mim será, creio.

Tudo de bom para vocês e "vemo-nos" daqui a 4 dias.

P.S: Não se esqueçam dos "discos pedidos": este blogue segue uma economia de mercado (mas não dá lucro).

5 comentários:

Krippmeister disse...

Portanto segue a economia do mercado portugês. É como o meu.

Boa passagem de ano!

antonio disse...

Boa refelexão e pensamentos laterais...

Joaninha disse...

Então já de volta ou nem por isso?

Abobrinha disse...

Joaninha

De volta, com 12 (ou 13?) horas de sono no bucho e algumas dores de várias ordens no pêlo.

Tudo isso e ainda outros pormenores (sem serem demasiado reveladores), respostas a posts meus e de outros e ainda posts novos hoje à noite!!

E daí... talvez amanhã... depende se o meu cérebro já estiver a funcionar... se é que ele alguma vez funcionou, que por vezes tenho as minhas dúvidas...

Abobrinha disse...

Meus caros

Agradeço as sugestões. Serão todas levadas em conta. Portando os discos pedidos são... fufas, não é? Suspiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiro... e se o assunto deixa de ter piada?

Bem, acho que há aqui 2 nichos de mercado: as badalhoquices e as filosofices. E as lamechices, mas dessas tento não abusar. Vou apostar nos dois nichos e ver o que dá. A economia de mercado assim o exige!