terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Uma ferroada no Miguel Sousa Tavares

A prova de que não vou na cantiga de qualquer homem com olhos de gato é não apreciar muito o Miguel Sousa Tavares. Mesmo porque o fumo em vez de o conservar deu cabo dele (mas isso não interessa nada: é mesmo só para mandar uma ferroada no mau hábito de fumar). E depois, cinismo como regra e não como condimento de uma visão mais equilibrada do mundo... não é a minha missa! E se nem sentido de humor tem, então pode ficar com a pretérita beleza (antes de ter sido defumado) e com os olhos de gato.

Pior: se se tivesse construído a barragem de Foz Coa, destruído as patadas de dinossauro ou não construído o "loboduto", estou em crer que o Miguel Sousa Tavares teria criticado o governo. E daí... na volta ele só pensa em Lisboa, no FCP (não confundir com o Porto) e nos livros e ego dele. Who cares?

Em contrapartida, quem manda uma ferroada no Miguel Sousa Tavares, ainda por cima com nível e ao ponto de me fazer rir está logo em vantagem! Luís, suponho que isto não fosse a minha prenda de Natal (e nem fosse para mim), mas gostei na mesma! Ah, valente!

Tenho uma ideia mais gira: escreve tu um livro e eu compro! Não compro os do Miguel Sousa Tavares e ando à procura de algo interessante para ler. Encontrei uns do Stephen Jay Gould na FNAC, mas tinham dois defeitos: estavam velhos em aspecto, mas novos em preço. É uma má combinação! Mas já me estou a dispersar!

6 comentários:

antonio disse...

Pensei que já havias encontrado algo para ler... no meu blog, mas tudo bem, eu não tenho olhos de gato.

Olha miúda este tipo de texto talvez seja o teu estilo.

Mas como não nos devemos levar muito a sério, para não sermos como o MSS, tenho lá no meu lado um desafio para ti.

Abobrinha disse...

António

Eu tenho bastante lido e escrito nos blogues e faço-o com prazer porque me estimula a mioleira (nem sempre é fácil, mas ultimamente se tenho queixas é de mim mesma, por não ter pedal acompanhar algumas leituras. Ora isso resolve-se (ou vai-se resolvendo.

Queria era provocar o Luís a escrever mais sistematicamente divulgação científica. Não é para qualquer um!

E depois, eu acabei de dizer que ter olhos de gato não é condição indispensável para me chamar a atenção. Ajuda, mas há outros critérios.

Em relação ao desafio, está anotado. Agora não sei quanto tempo vai demorar (pode ser 5 minutos ou 2 dias, não sei ainda).

antonio disse...

Nem me atrevo a perguntar quais são os outros critérios...

Ciência Ao Natural disse...

Cara Abobrinha,

A "provocação" está aceite, se não só por ti, mas fundamentalmente por mim.
Dá-me um enorme prazer, como espero que imagines.
Mas também me consome muito tempo, que me faz imensa falta na fase final da minha tese.
E como divulgação científica não dá para comer (pelo menos a mim não...), faço-o quando posso.
:)

Luís Azevedo Rodrigues

Abobrinha disse...

António

Eu também não sei bem quais são os critérios. Uma constante é que vão mudando. Não ao sabor do vento, mas ao sabor da descoberta. A minha e dos outros.

Abobrinha disse...

Luís

Ora aí está uma boa provocação: uma que agrada a todos!

A tese é uma fase, não um estado permanente. Ou seja, ao fim de um tempo passa!

Nem só de pão vive o homem, mas também de divulgação científica. Pensa nisso como um passatempo que (quem sabe) poderá tornar-se um dia lucrativo.